Fernando Canesin concede entrevista ao DPF

Foto: Voetbalkrant.com - Em 2010, Fernando Canesin deixou o Olé Brasil e partiu para o futebol europeu

Foto: Voetbalkrant.com – Em 2010, Fernando Canesin deixou o Olé Brasil e partiu para o futebol europeu

Jovem meio-campista brasileiro, Fernando atua no KV Oostende da Bélgica, onde também já defendeu o Anderlecht. Aos 22 anos, o jogador se firmou no cenário belga na última temporada e, segundo o site Transfermarkt, em 24 jogos disputados na Jupiler League, marcou três gols e proveu seis assistências, ajudando seu clube a não só lutar contra o rebaixamento, como também alcançar uma colocação segura na liga.

Muito atencioso, Canesin falou sobre sua saída do Brasil, adaptação ao futebol europeu, sonhos, referências no futebol e sobre o Campeonato Belga. Em 2010, o meia-atacante foi destaque do Olé Brasil na Copa São Paulo de Futebol Jr., rumando pouco após para o Anderlecht, clube que já havia recebido o talento brasileiro para um período de empréstimo de 90 dias.

No momento, Fernando acaba de acertar sua transferência em definitivo para o KV Oostende, mas admite o sonho de atuar em um grande centro do Futebol Europeu.

Wladimir Dias (DPF): Fernando, qual foi o principal motivo para sua saída precoce do Brasil, apostando numa carreira no futebol Belga?

Fernando Canesin: Na verdade, eu sempre tive o sonho de jogar na Europa, como qualquer outra criança quando começa a jogar futebol sonha. Mas o principal motivo (para a saída) foi para estar na vitrine do futebol europeu!

Wladimir Dias (DPF): No Anderlecht, você viveu momentos muito diferentes, oscilando entre a titularidade e a reserva. Pelos números, a temporada 2011/2012 foi sua melhor no clube. A que você atribui o fato de não ter se firmado na equipe?

Fernando Canesin: Na temporada 2011/2012, que foi minha primeira como profissional, tive uma passagem muito produtiva! A temporada 2012/2013, que seria o ano da confirmação da boa temporada anterior, devido à mudança de treinador, acabou atrapalhando meus planos… O novo treinador chegou com seus jogadores e acabei saindo da equipe sem motivo algum, e ninguém entendia o porquê, nem os dirigentes e nem torcedores aceitavam essa decisão, mas o treinador parece que não foi com minha cara (risos).

Wladimir Dias (DPF): Na temporada 2012/2013, você chegou a disputar a Champions League. Qual é a sensação?

Fernando Canesin: Foi um sonho realizado. Um dos meus objetivos quando subi para a equipe principal do RSCA (Royal Sporting Club Anderlecht) era disputar a UEFA (Europa League) e a Champions (League), e graças a Deus eu pude desfrutar dessa oportunidade. Essa sensação não tem explicação.

Wladimir Dias (DPF): Já na última temporada, você se mudou para uma equipe de pouca expressão, o KV Oostende, no que parecia um retrocesso na sua carreira. Entretanto, lá você se firmou e o clube o contratou em definitivo. Qual a principal diferença de jogar em um grande clube como o Anderlecht e em outro, pelo menos historicamente, menor?

Fernando Canesin: No começo foi muito difícil me adaptar às diferentes condições de estrutura. Mas, com o passar do tempo, acabei me acostumando e me firmando na equipe titular, e passei a ser um elemento importante na equipe. Apesar de ser um clube menor que o RSCA, me sinto à vontade e com a mesma disposição de sempre. E me dou super bem com o treinador, o que é um fator fundamental para um jogador profissional.

Foto: Gva.be - Contratado em definitivo, Canesin vive bom momento

Foto: Gva.be – Contratado em definitivo pelo Oostende, Canesin vive bom momento

Wladimir Dias (DPF): Pouco conhecido no Brasil, o “Fernando Canesin Matos” virou um “mito” dos jogos eletrônicos. Assim, jogadores de Football Manager e FIFA passaram a conhecê-lo. Qual é o sentimento de ser uma “celebridade virtual”?

Fernando Canesin: (Risos) Na verdade fiquei surpreso com essa pergunta, mas fico feliz por saber disso e de fazer parte dos jogos eletrônicos!

Wladimir Dias (DPF): Como você definiria seu estilo de jogo?

Fernando Canesin: Rápido, boa condução de bola, gosto de jogar sempre para frente, tenho boa técnica e tenho uma boa condição física.

Wladimir Dias (DPF): A seleção belga vive um dos melhores momentos de sua história. É possível relacionar isso de alguma maneira ao crescimento da Jupiler League?

Fernando Canesin: Na verdade, a maioria dos jogadores da Seleção Belga jogam na Inglaterra e na Espanha, a Jupiler League está crescendo, mas não acho que tem como relacionar isso. O campeonato agora tem muitos jovens em evolução, por isso, cada ano que passa, tem novas promessas saindo da Bélgica e indo para campeonatos de alto nível.

Wladimir Dias (DPF): O Campeonato Belga não dispõe do mesmo reconhecimento que o inglês, alemão, espanhol, etc. Se você tivesse que classificar, em termos de Europa, em que nível estaria a Jupiler League?

Fernando Canesin: Nível médio, mas, a cada ano
 que passa, o campeonato fica mais visado pelos grandes clubes europeus.

Foto: Reprodução - No FM, famoso jogo de gestão de clube de futebol, Canesin é boa escolha

Foto: Reprodução – No FM, famoso jogo de gestão de clube de futebol, Canesin é boa escolha

Wladimir Dias (DPF): Quem é o melhor jogador com quem já jogou? E o melhor rival?

Fernando Canesin: Lucas Biglia – hoje jogador da Lazio da Itália e da seleção Argentina e Isco – jogador do Real Madrid, mas, anteriormente, jogador do Málaga.

Wladimir Dias (DPF): Fernando, você tem algum ídolo no futebol? Se sim, por que o considera um ídolo?

Fernando Canesin: Kaká. Eu o considero um ídolo, porque acompanhei sua trajetória desde quando ele subiu para o profissional, e seu estilo de vida sempre muito correto e trabalhador fez com que ele se tornasse um ídolo mundialmente. Sou muito fã!

Wladimir Dias (DPF): Sempre que um jogador brasileiro jovem muda-se para a Europa fala-se da difícil adaptação. Como foi a sua adaptação? Qual é a maior dificuldade que você enfrentou?

Fernando Canesin: Graças a Deus, tive uma boa adaptação, em 3 meses já entendia a língua, me adaptei rápido ao estilo de jogo e ao nível tático. A maior dificuldade foi o frio, mas hoje já estou bem adaptado!

Wladimir Dias (DPF): Fernando, quais são seus grandes sonhos? Jogar em um grande clube europeu, vestir a camisa da Seleção Brasileira, jogar por uma grande equipe brasileira, ou algum outro?

Fernando Canesin: Sonho sim em jogar em um grande clube europeu, vestir a amarelinha e voltar a jogar no Brasil! Mas tudo no tempo de Deus. Tenho paciência e creio que as coisas acontecem na hora certa.

Wladimir Dias (DPF): Tendo em vista as recentes naturalizações de jogadores como Diego Costa e Thiago Motta, o que você pensa disso? Se pintasse a oportunidade de defender a Bélgica, que já teve o Brasileiro Luis Oliveira, você aceitaria?

Fernando Canesin: Já tive essa proposta para me naturalizar para defender a equipe sub-20 da Bélgica. Na época não aceitei, mas tendo em vista esse grande crescimento da Seleção Belga, ultimamente eu aceitaria sim, sem dúvidas!

[youtube id=”1CSolwUg6YY” width=”620″ height=”360″]

Comentários

Advogado graduado pela PUC Minas, mestrando em Ciências da Comunicação (Universidade do Minho) e Jornalismo Esportivo (MARCA), 26 anos. Amante do futebol inglês, mas que aprecia o esférico rolado qualquer terra. Tem no atacante Marques e no argentino Pablo Aimar referências; e não põe em dúvida quem foi o melhor jogador que viu jogar: o lúdico Ronaldinho Gaúcho, na temporada 2004/05. Também n'O Futebólogo e na Revista Relvado.