Antiga Sina

  • por Sikorski
  • 7 Anos atrás

Hernane se foi. Embarcou para o “mundo árabe”, como costuma falar Mauro César Pereira. Tomou seu caminho disposto a fazer o pé de meia – ou a engordá-lo. Qual seria a alternativa de substituição de uma peça tão importante no elenco flamenguista? A diretoria respondeu quase que de imediato e buscou no próprio Al Nassr, time do Brocador, um novo camisa 9. Será ele capaz de suportar o peso de tal responsabilidade, peitando um antecessor carismático, caneludo e sem classe, porém, que cumpriu seu dever por 45 vezes?

A busca por um matador não assola somente as mentes poderosas do time rubro-negro carioca. Vários outros clubes – inclusive os grandes – já sofreram de mal parecido: a escassez de um centroavante de qualidade, experiente e que resolva. Antes com Hernane o torcedor punha fé, pois com o passar do tempo até alguns dos mais incrédulos e negativistas apoiadores gritaram “Hernane é gol!”.

O elenco limitado dificulta para o treinador e a não interatividade dos meninos da base é um problema sério. O Flamengo conta atualmente com um único centroavante, Alecsandro, eterno conhecido e rodado pelo Rio, que não dispõe de perspicácia necessária para balançar o fio jogo após jogo. Sua técnica já não é a mesma de anos atrás, e a idade pesa no físico… portanto contar com Alecsandro para arrancar gols é perigoso. Elton não é um nome odiado e nem mesmo repudiado em seus ex-clubes. Suas passagens foram simplórias, mas isto não significa nada nessa grande caixa de surpresas que é o futebol. Enquanto, no Al Nassr, Elton empurrou a gordinha 16 vezes para dentro do gol, em 20 jogos. Um bom número.

Quando contratado, Hernane nem era aposta, era mais uma peça no elenco. Porém desencantou e, mesmo sem as tão clamadas técnica, ginga e categoria, vingava tudo com raça, simpatia e esforço que resultaram em importantes e alegres gols. Foram 45 tentos em uma passagem marcante, porém curta. Com sua saída o “fantasma do número 9” volta à tona. Agora, cabe a Elton atravessar as barreiras da desconfiança e se tornar um novo goleador.

Foto da capa: Reprodução.

Comentários

Estudante, catarinense e apaixonado por futebol. Torcedor por hobby do Tottenham e grande apreciador da garra e classe do futebol europeu.