As estranhas jogadas ensaiadas do Milan de Inzaghi

  • por Tiago Lima Domingos
  • 5 Anos atrás

Filippo Inzaghi tem apenas dois anos na nova função de treinador de futebol, mas o curto tempo na nova carreira já foi suficiente para Adriano Galliani, estimador do trabalho do ex-atacante, colocá-lo como técnico do elenco profissional do Milan.

inzaghi

Foto: Reprodução | Inzaghi, ao lado de Adriano Galliani, estimador de seu trabalho

A ascensão foi meteórica: no primeiro ano treinou o time Allievi Nazionali (jogadores com idade abaixo dos 16 anos) onde conquistou um título, e foi eliminado no campeonato nacional, perdendo para o Empoli, nos pênaltis, na semifinal. Para quem acompanhava, dizia que Pippo não poderia ter ido tão longe quanto foi. O bom trabalho lhe rendeu um cargo para ser treinador no time Primavera do Milan na temporada seguinte. Primavera nada mais é que a última categoria antes da chegada aos profissionais. Por lá, conquistou o Torneo di Viareggio, um dos torneios mais difíceis e renomados das competições de base da Europa. E foi a partir desse sucesso, com o rossonero batendo o Anderlecht na final, time reconhecidamente mais forte que o seu Milan, que Inzaghi conquistou Adriano Galliani, fazendo com que o cartola demitisse Seedorf, e o chamasse para assumir o comando do elenco profissional para a temporada 2014-2015.

O início nos profissionais não foi nada animador, ao menos pela pré-temporada que foi feita até aqui. O Milan caiu contra os melhores adversários que enfrentou, incluindo duas derrotas consideráveis como os 3×0 para o Olympiakos e os 5 a 1 para o Manchester City. Pippo conta com o apoio também de Silvio Berlusconi, um dado importante, visto que Berlusconi invariavelmente dá seus pitacos no esquema do seu clube. Inzaghi joga pra frente, tem no 4-3- seu esquema preferido, podendo variar para um 4-3-1-2, esquema que agrade, e muito, a Berlusconi.

Motivador, gosta de conversar muito nos treinamentos, sem interrompê-los, como fazia seu antecessor, Clarence Seedorf, fato que não agradava aos jogadores. A tática, é claro, não foi deixada de lado e é um fator, que nos chamou atenção, muito pela estranheza de um fato: as estranhas e bizarras tentativas de jogada ensaiada em cobranças de falta. Selecionamos dois momentos durante a pré-temporada que retratam bem a situação. As jogadas sem alguma eficácia no primeiro momento, dá uma sensação de uma invenção do novo treinador. Vamos a elas:

Jogada 1 vs. Liverpool

milan liv

Foto: Reprodução | A inusitada e esquisita formação do Milan em uma cobrança de falta

Contra o Liverpool, Balotelli se posicionou para cobrar falta, e Inzaghi posicionou três duplas de jogadores espalhados dentro da grande área. O que o treinador pretendia não dá pra saber, no lance, o atacante cobra a falta direto para o gol, como podemos abaixo:

Aos 37 segundos do vídeo:

 

Jogada 2 vs. Valencia

milan valencia

Foto: Reprodução | Mais um esquema estranho de Inzaghi numa cobrança de falta do Milan

Mais uma cobrança de falta, e mais um ensaio esquisito. Keysuke Honda se posiciona para cobrança de falta, e os jogadores formam uma barreira atrás da barreira da equipe adversária. Quando o japonês parte para a cobrança, todos correm em direção contrária para não ficarem em impedimento. No lance, Honda acaba fazendo gol, mas é difícil entender o propósito do esquema armado por Inzaghi.

Vídeo:

– Atualizado em 18 de janeiro de 2015 às 16:00

Hoje o Milan recebeu a Atalanta no San Siro e perdeu por 1×0. Perder em casa nessa temporada não é novidade para os comandados de Inzaghi. Foi a quarta derrota em seus domínios na Serie A desta temporada.

A novidade ficou por conta de mais uma jogada de bola parada no mínimo esquisita. Em cobrança de falta, o Milan formou duas barreiras com três jogadores cada a frente da barreira da Atalanta.

milan free kick

Foto: Reprodução YouTube | As duas barreiras de jogadores do Milan em cobrança de falta de Ménez

 

Veja o vídeo:

 

 

Comentários

Carioca e rubro-negro. Do Rio de Janeiro a Milão. Doente por futebol, é claro. E apaixonado pelo Calcio.