Martin Ødegaard, a futura estrela mundial

  • por Fernando Carreteiro
  • 6 Anos atrás

OLHO NELE MARTIN

Geralmente a imprensa já apelida qualquer jovem que desponta como o “novo Messi”, principalmente se ele surge em um campo longe dos holofotes, e uma avaliação superficial é o máximo que se pode fazer. Porém, no caso de Ødegaard, já chamado de Messi Norueguês, existe boa chance de acertarem.

Martin nasceu em 17 de dezembro de 1998, é filho de um ex-jogador profissional, Hans Eric Ødegaard, e ao contrário da maioria das promessas espalhadas pelo mundo, já deu provas do seu talento na divisão de elite profissional de seu país. É isso mesmo. Com apenas 15 anos, Martin Ødegaard já alinha no time principal do Strømsgodset IF, clube que milita na Tippeliga, a primeira divisão norueguesa.

Já se converteu no jogador mais jovem a atuar na liga e também a marcar um gol. Pouco a pouco foi conquistando seu espaço no time, onde estreou no dia 13 de abril deste ano, e logo em seguida assinou um contrato profissional de dois anos. Hoje, apesar da pouca idade, já é fundamental para o Strømsgodset. Em uma partida fora de casa contra o Sandnes Ulf, Ødegaard participou dos três gols do time e ainda sofreu um pênalti, perdido por um companheiro. Após o jogo, a mídia local já discutia uma possível convocação para a Seleção Norueguesa.

Suas características são as de um meia ofensivo: técnica apurada com a bola mesmo em velocidade, boa visão de jogo, chega fácil ao gol e tem um chute preciso. Como Lionel Messi, seu ídolo. Com personalidade e confiança, encara com naturalidade adversários imensamente superiores fisicamente.

Com tamanho currículo, Martin já atraiu os olhares dos principais times da Europa. Ao jornal norueguês Verdens Gang, seu pai garante que mais de 30 clubes já sondaram o wonderboy, incluindo Barcelona, Manchester City, Juventus, PSG, Ajax, Manchester United e Bayern de Munique. Nesses dois últimos, Ødegaard chegou a treinar durante o último inverno europeu. É avaliado em 12 milhões de libras (46 milhões de reais), mas Hans Ødegaard garante que não pensa muito sobre valores e transferências, mesmo sem descartar que o filho possa se desenvolver fora do país.

É muito cedo para cravar que ele será uma estrela do futebol internacional? Pode ser, até porque o que mais se encontra são talentos precoces que não vingam, por inúmeros motivos, muitas vezes até extra-campo. Mas dê uma olhada no vídeo e passe a acompanhar esse garoto. Eu apostaria minhas fichas!


Comentários