Mourinho, o grande negociante da janela

Foto: Getty Images - Nesta temporada, o dinheiro está sendo controlado no Chelsea

Foto: Getty Images – Nesta temporada, o dinheiro está sendo controlado no Chelsea

Por O Futebólogo

Conhecido por gastar muito, fazer negócios não-recomendáveis e pouco lucrar com suas vendas, o Chelsea, na presente temporada, está nadando contra a sua própria maré. Com tônica de trabalho diferente, o time do treinador José Mourinho registra, até agora, saldo positivo no balanço de suas transferências. E o mais interessante: vendendo poucos, os Blues contrataram muitos.

Esse quadro não é definitivo ainda, havendo a possibilidade de chegada e saída de outros jogadores, mas a realidade que se apresenta até esta altura é interessantíssima. Desde a temporada 2008-2009, o clube não apresenta superávit em suas transferências. Curiosamente, o feito aconteceu na gestão de Luiz Felipe Scolari. O clube, então, dispendeu a maior parte de seu orçamento nas contratações do lateral José Bosingwa e do meia Deco. Por sua vez, deixaram o clube Wayne Bridge, Shaun Wright-Phillips, Tal Ben Hain, Steve Sidwell e Khalid Boulahrouz.

Nas temporadas que se seguiram, o Chelsea só apresentou déficit. Em 2009-2010, o saldo negativo foi de £ 22,9 MI; já em 2010-2011, £ 94 MI. Na sequência, £ 62,8 MI, £ 72, 8 MI e £ 44,1 MI. A única razão que poderia ser alegada para atenuar um pouco essa situação é o fato destes números considerarem as negociações das janelas de verão e inverno.

Foto: Getty Images - David Luiz rendeu £44 MI aos cofres londrinos

Foto: Getty Images – David Luiz rendeu quase £44 MI aos cofres londrinos

Até o momento, o clube apresenta uma entrada de £ 84,8 MI e uma saída de £ 82,2 MI. De importante, apenas o zagueiro David Luiz deixou a equipe. Romelu Lukaku e Patrick van Aanholt, outros jogadores negociados em definitivo, estiveram emprestados e Demba Ba foi pouco utilizado na última temporada. Em contraponto, desembarcaram lá o poderoso centroavante hispano-brasileiro Diego Costa, o excelente lateral Filipe Luís, o talentoso meia Cesc Fàbregas e o legendário Didier Drogba. Saíram quatro e entraram outros quatro. Na prática, saíram dois e entraram quatro.

Leia também: onde encaixar Fàbregas no Chelsea

Detalhando os negócios, o clube recrutou Diego Costa por “apenas” dois milhões de libras a mais do que o recebido com a venda de Romelu Lukaku, sendo que a diferença de rendimento dos dois na última temporada é brutal. Para mais, somando-se os valores gastos com Filipe Luís e Fàbregas, afere-se tão-somente três milhões a mais do que a venda de David Luiz

Além disso, o clube aliviou um pouco a sua folha salarial. Donos de vultuosos rendimentos, os experientes Ashley Cole, Frank Lampard e Samuel Eto’o deixaram o Chelsea ao final de seus contratos. A outra grande novidade da equipe londrina é o fantástico goleiro belga, Thibaut Courtois, que já pertencia ao quadro e volta de empréstimo.

Foto: Getty Images - Contratações cirúgicas, Diego Costa e Fàbregas foram bem na pré-temporada

Foto: Getty Images – Contratações cirúgicas, Diego Costa e Fàbregas foram bem na pré-temporada

Na temporada passada, o Chelsea sofreu com a inoperância de seus atacantes. O artilheiro da equipe do período foi o winger belga Eden Hazard (com 17 gols) e o centroavante que mais vezes marcou foi Eto’o, que, em 35 jogos, balançou as redes apenas doze vezes. Agora, o clube terá Diego Costa, que marcou 36 gols na temporada, e Drogba, que, apesar da idade, pode ser vital em momentos cruciais.

A lateral, que sofreu com as lesões e má forma de Cole, apelando para a improvisação de César Azpilicueta (que até foi bem, mas não é natural da função), terá a qualidade de Filipe Luís, um dos pilares do Atlético de Madrid na exitosa última temporada. Além disso, a vaga deixada por Lampard será ocupada por Fàbregas, excelente opção para a construção de jogo e autor de 14 gols e 15 assistências em 2013-2014.

Ao final, não restam dúvidas de que a equipe gastou muito dinheiro, mas, diferentemente das últimas temporadas, houve contrapartida. Ademais, as contratações feitas foram pensadas para corrigir falhas e encorpar o elenco, deixando-o ainda mais propenso a grandes conquistas. Assim, pelas razões supra, é possível inferir: Mourinho é, indubitavelmente, o grande negociante da janela.

(Atualização em 22/11/2014)

Passam o meses e a dupla Fàbregas / Diego Costa segue avassaladora, contribuindo diretamente para o Chelsea seguir liderando a Premier League. Os Blues disparam na frente com 32 pontos em 36 possíveis. Fàbregas distribuiu 10 assistências em 12 jogos disputados e Diego Costa marcou incríveis 11 gols em 10 jogos.

(Atualização em 02/10/2014)

O impacto imediato que as contratações de Mourinho vem fazendo só reforçam nossa tese de que ele foi quem melhor contratou nesta janela. Diego Costa chegou alcançando a excelente marca de 04 gols em 03 partidas disputadas no mês de agosto, assim abocanhando o prêmio de melhor jogador do mês. No total, Diego já soma 08 gols em 06 jogos pela Premier League.

cq5dam.thumbnail.490.338.margin

Foto: premierleague.com

Diego não cansa de ser premiado por seu início avassalador nos Blues. No início de outubro saiu o resultado da votação dos fãs ingleses no site da Associação dos Futebolistas da Inglaterra (PFA), Costa foi escolhido o melhor jogador de setembro.

Além disso, Cesc Fàbregas já empilhou 08 assistências nos 06 jogos que disputou pelo Chelsea.

Foto: skysports.com

Foto: skysports.com

;

Primeiro título da dupla:

https://www.youtube.com/watch?v=hac_v1jH61I

Bola nos pés de Fàbregas que lança para Diego Costa e corre para o abraço. Esta tem sido a crônica da temporada 2014 / 2015 que resume o melhor que o Chelsea de Mourinho tem oferecido. A dupla letal – que custou “barato” (cerca de 70% do valor da venda de David Luiz) – marcou o gol de definiu o título da Capitol One Cup em cima do Tottenham de Pochettino. Diego possui 18 gols em 30 jogos na temporada e Fàbregas 21 assistências em 36 jogos disputados. Valeram cada centavo investido até então.

Comentários

Advogado graduado pela PUC Minas, mestrando em Ciências da Comunicação (Universidade do Minho) e Jornalismo Esportivo (MARCA), 26 anos. Amante do futebol inglês, mas que aprecia o esférico rolado qualquer terra. Tem no atacante Marques e no argentino Pablo Aimar referências; e não põe em dúvida quem foi o melhor jogador que viu jogar: o lúdico Ronaldinho Gaúcho, na temporada 2004/05. Também n'O Futebólogo e na Revista Relvado.