O Duelo

  • por Victor Junior
  • 6 Anos atrás

Quinta-feira, 21 de agosto de 2014, 22h. O placar continua empatado. O Mineirão urra de raiva contra o árbitro após o pênalti marcado contra o Cruzeiro. A pequena torcida gremista, ainda confusa com a situação, não sabe se comemora ou se lamenta a marcação. Confesso, não pude ver muito do lance. Dudu (ou teria sido Giuliano?) lançou a bola para Lucas Coelho que, num toque sutil, tentou o drible no goleiro. Foi alçado ao chão. Bola na marca da cal.

Mãos trêmulas ajeitam a bola no gramado. Um chute decisivo, que pode colocar o rival na liderança do campeonato. O Cruzeiro não perde para o Grêmio em Minas Gerais desde 1998. E agora, a bola mais importante dos últimos jogos pode dar o impulso que o tricolor precisa para recuperar os bons resultados e partir com moral em alta para o jogo contra o Corinthians.

“Ele não pode marcar!”, diz um torcedor ao meu lado. Maluco, suponho. O Grêmio precisa vencer, seja contra quem for. Buscar diminuir a vantagem. Azar se o Inter vai para a liderança! Precisamos dos 3 pontos!
O jogador se prepara para o chute. Corre para a bola e, numa pancada, estufa as redes! Grêmio 1×0!

No mesmo momento, em algum lugar de Porto Alegre (talvez próximo ao Rio Guaíba), fogos de artifício rompem a escuridão da noite. Mais uma vez, o futuro deles está nas nossas mãos. Seria uma brincadeira do destino? Acho que não. Nascemos primeiro, ganhamos tudo antes que eles pensassem em honrar o nome “internacional”. Nada mais justo que decidamos o futuro dos nossos filhos.

 

[youtube id=”KW6UlbGZb8E” width=”620″ height=”360″]

Comentários

Gremista desde 1903. Admirador das coisas simples e incríveis da vida, como aquele gol do Ibrahimovic de bicicleta de fora da área. Lembra? Futebol é vida. Eterno novato do DPF. Mas tem um bom coração.