O futuro dos Saints

 

#458622398 / gettyimages.com | Koeman foi o escolhido para suceder Pocchetino

;

Por O Futebólogo

A temporada 2013-2014 revelou para o futebol inglês uma equipe surpreendente. Com ótima qualidade técnica, extremamente organizado, dono de excelentes e jovens valores, o Southampton mostrou que é possível construir um time competitivo com um orçamento curto e, principalmente, deixou claro que um trabalho eficiente das categorias de base é o melhor caminho para os clubes desprovidos de muitos recursos.

A equipe que conquistou poucos títulos em sua história e cuja glória principal foi o título da FA Cup de 1976 fez uma campanha belíssima na última temporada. Apesar de ter terminado a EPL na oitava colocação, ficando de fora das competições europeias, o time, então treinado pelo argentino Mauricio Pocchetino, figurou durante boa parte do torneio nas posições de cima da tabela.

Com esse quadro pintado, o esperado aconteceu. Não só os destaques debandaram, como também o treinador. Titulares habituais, Luke Shaw, Adam Lallana – principal estrela do time –, Dejan Lovren, Calum Chambers e Rickie Lambert deixaram o Southampton, rumando para clubes maiores. Destes, ressalte-se, apenas Chambers não disputou a Copa do Mundo no último verão europeu.

Confira também: Luke Shaw: o futuro da lateral

#157093545 / gettyimages.com | Shaw, e Lallana estiveram na Copa do Mundo

;

Com essa realidade, até o torcedor mais crente e empolgado viu rugas aparecerem em sua testa. Tudo o que vivera na última temporada não passara de sonho, perguntou-se. A despeito disso, aparentemente, o clube está lidando muito bem com as adversidades e promete, novamente, surpreender, fazendo outra campanha sólida.

Assim, a primeira medida da direção dos Saints foi a contratação de Ronald Koeman, ex-treinador do Feyenoord, que foi vice-campeão holandês. Uma escolha muito bem ponderada, uma vez que o neerlandês fizera um excelente trabalho com jogadores jovens, em uma situação semelhante à do clube inglês. Sob o comando de Koeman, atletas jovens como Stefan De Vrij, Bruno Martins Indi, Jordy Clasie, Terence Kongolo, JeanPaul Boëtius e Tonny Vilhena ascenderam à equipe principal, chegando inclusive a ganharem oportunidades na Laranja Mecânica.

Além da chegada de seu novo treinador, o clube tem feito contratações muito bem estudadas. Para a vaga de seu craque, Lallana, o sérvio Dusan Tadic foi adquirido. Melhor jogador do último Campeonato Holandês, tem grande talento e, já em sua estreia oficial – na derrota tangencial contra o Liverpool –, mostrou enorme qualidade, conferindo bela assistência para o lateral Nathaniel Clyne.

Leia mais: Tadic, o substituto de Lallana

;

Para o ataque, que não mais conta com a referência de Lambert, chegaram duas opções com estilos diferentes: Graziano Pellè, ex-comandado de Koeman e vice-artilheiro do holandês, e Shane Long, atacante irlandês que viveu ótimos momentos no West Bromwich Albion. Pellè, que possui 1,93m, é mais adepto do jogo dentro da grande área, enquanto Long tem facilidade para circular por toda a faixa de ataque.

No lugar de Lovren, na zaga, o clube contratou o defensor da Seleção Romena – que, por pouco, não se classificou à Copa do Mundo –, Florin Gardos, uma aposta, como o próprio croata fora outrora. Já a lateral esquerda, uma das posições mais carentes do futebol mundial, ganhou o reforço de Ryan Bertrand, lateral ofensivo de razoável qualidade, vindo por empréstimo junto ao Chelsea, após ter tido bom desempenho atuando pelo Aston Villa na última temporada.

Além desses reforços, que se fizeram necessários para recompor a equipe, o clube trouxe o goleiro Fraser Forster, ex-Celtic, para tentar resolver o problema da meta. O polonês Artur Boruc não demonstrou grande segurança em 2013-2014. Chegou ao time também o promissor e polivalente meio-campista argelino Saphir Taider, emprestado pela Internazionale.

#456194100 / gettyimages.com | Vice-artilheiro da Eredivisie, Pellè é a grande aposta para o ataque dos Saints

;

Não restam dúvidas de que a reconstrução da equipe do sul da Inglaterra está sendo feita com muito cuidado e observação. Além dos novos reforços, alguns jovens jogadores devem ganhar ainda mais espaço no time. O talentoso e multifuncional James WardProwse deve se tornar titular absoluto e outros jovens, como o atacante Sam Gallagher, muito provavelmente receberão novas e melhores chances.

Confira ainda: Tempo de mudanças na Inglaterra

Já tendo revelado jogadores da categoria de Theo Walcott, Alex OxladeChamberlain e, principalmente, Gareth Bale, não se deve duvidar de que o clube apresente, nesta temporada, algum novo e grande valor. A nova aposta, que inclusive atuou na partida inaugural da equipe na atual edição da Premier League, é Lloyd Isgrove, meio-campista galês que ganhou oportunidades e foi observado na pré-temporada da equipe.

O que mais impressiona nesta nova modulação é o saldo das transferências. O caixa do Southampton recebeu £ 105 MI e dispendeu £ 51 MI, o que significa um lucro de £54 MI. Ainda podem acontecer novos negócios até o final da janela, sendo o volante Morgan Schneiderlin a principal possibilidade de saída (embora o clube esteja se esforçando enormemente para garantir sua manutenção). Entretanto, nada de muito radical deve acontecer.

#453518662 / gettyimages.com | Isgrove é a nova aposta da base do clube

;

Trabalhando bem, o Southampton, que no meio da temporada receberá o reforço de Jay Rodríguez, cujo retorno de lesão é ansiosamente aguardado, é, novamente, um clube a ser observado de perto. Com muita confiança, o treinador holandês garante: “O que vi na pré-temporada foi que somos muito melhores que outras equipes na Premier League.” A certeza só teremos ao final da temporada, mas, considerando a forma como o clube tem sido gerido, isso realmente parece verdade.

Por isso, Doentes, mantenham os olhos bem abertos, pois os Saints prometem mais uma temporada surpreendente, permitindo ao torcedor a certeza de que o que aconteceu no último campeonato não foi obra do acaso, nem tampouco sonho. O que se viu foi a mais cristalina realidade.

(Atualização em 08/11/2014)

;

Com 05 vitórias nos últimos 06 jogos, os Saints de Koeman seguem firmes em seu excelente início de Premier League 2014 / 2015. Em segundo lugar na Premier, com 11 rodadas disputadas, o Southampton sofreu apenas 05 gols (sendo a defesa menos vazada até então) e marcou 23 gols (é o segundo melhor ataque, atrás apenas do Chelsea de Mourinho). Será que os Saints terão fôlego para manter este maravilhoso pique? Acompanhe aqui no Doentes por Futebol!

(Atualização em 18/10/2014)

O início do novo time montado por Koeman tem sido excelente, ainda mais tendo em mente o milionário desmanche sofrido pelos Saints. Nas primeiras 8 rodadas da Premier League 14 / 15, o Southampton venceu 5 partidas, empartou uma e perdeu duas, alcançando o terceiro lugar na competição, campanha de time que briga forte por vaga na Uefa Champions’ League 15 / 16. Para coroar este ótimo início de Koeman e seus comandados, o time goleou o Sunderland pelo placar absurdo de 8 x 0.

Para ter uma noção da magnitude do feito, foi a maior vitória conseguida pelo Southampton na história da Premier League e a segunda maior margem de derrota do Sunderland em toda história da competição. Separamos alguns números que mostram o tamanho da surra dos Saints:

  • Dos 11 chutes acertados no gol pelo Southampton, 08 se converteram em gols;
  • Dusan Tadic distribuiu 4 assistências ao todo;
  • Grazziano Pellè teve dois gols computados, e só não fez um hattrick pois Liam Bridcutt tratou de por para dentro um chute certeiro do italiano.


Southampton vs Sunderland (8-0) Full Highlights… por rubin7190

Comentários

Advogado graduado pela PUC Minas, mestrando em Ciências da Comunicação (Universidade do Minho) e Jornalismo Esportivo (MARCA), 26 anos. Amante do futebol inglês, mas que aprecia o esférico rolado qualquer terra. Tem no atacante Marques e no argentino Pablo Aimar referências; e não põe em dúvida quem foi o melhor jogador que viu jogar: o lúdico Ronaldinho Gaúcho, na temporada 2004/05. Também n'O Futebólogo e na Revista Relvado.