Os jogadores mais completos da Europa

  • por Doentes por Futebol
  • 5 Anos atrás

CAPA

Por João Pedro Almeida

Ser um jogador completo é fundamental, não só no futebol como em qualquer esporte. No basquete, por exemplo, um atleta é muito valorizado quando consegue alcançar dois dígitos em mais de uma estatística durante um jogo. Um “duplo-duplo” (ou até mesmo um “triplo-duplo”) faz parte da rotina dos grandes do esporte, no qual é mais louvável uma performance com 15 pontos e 15 assistências do que uma com 30 pontos e nenhuma assistência.

No futebol, é impossível avaliar o desempenho de um atleta durante o jogo pelos números alcançados, pois, em termos de gols e assistências, o fato do número não ser zero já é algo a se comemorar. No entanto, atualmente, os jogadores se prendem muito às suas funções – é normal que atacantes, por exemplo, se resumam simplesmente a fazer gols e não busquem servir os companheiros. Sendo assim, é sempre digno de nota quando alguém consegue conciliar a arte de marcar gols com o costume de ajudar seus colegas de equipe a fazer o mesmo.

Exatamente pelo fato de jogadores com essas duas qualidades serem tão incomuns, é raro ver um duplo-duplo nos quesitos gols e assistências ao observarmos as estatísticas de atacantes das principais ligas do mundo. Se levarmos em consideração as ligas europeias de maior destaque, apenas 13 profissionais conseguiram tal façanha na última temporada.

LIGA ESPANHOLA

A liga nacional em que houve maior número de futebolistas a atingirem tal marca foi a espanhola, com cinco atletas anotando 10 ou mais gols e 10 ou mais assistências na temporada 2013/2014 (quatro atacantes e um meia). O Barcelona foi o único time no país com mais de um representante na lista, Lionel Messi (28 gols e 11 assistências) e Alexis Sánchez (19 gols e 10 assistências). Agora, apesar de não terem mais Sánchez, os culés contam com o croata Ivan Rakitic, que fez 12 gols e deu 10 assistências pelo Sevilla. Já seu maior rival, o Real Madrid, emplacou apenas um jogador em nosso ranking, o galês Gareth Bale com 15 gols e 12 assistências. Quem completa a lista é o mexicano Carlos Vela, que fez mais uma boa temporada com a Real Sociedad, marcando 16 vezes e servindo 12.

EPL

Logo atrás da Espanha está a Inglaterra, capitaneada pelo uruguaio Luís Suárez, que, além de artilheiro da última Premier League com 31 gols, também foi o segundo colocado em assistências (12). Ele migrou para o Barcelona, mas o Liverpool segue bem servido neste aspecto, pois seu capitão Steven Gerrard foi o líder de passes para gol (13) e também conseguiu um duplo-duplo ao marcar 13 vezes, assim como o recém-contratado Rickie Lambert pelo Southampton (10 assistências). Finalmente, Wayne Rooney, mesmo com a péssima campanha do United, conseguiu passar incólume pela crise e fazer um bom trabalho, anotando 17 gols e auxiliando em outros 10.

Foto: espn.uol.com.br

Foto: espn.uol.com.br

O único atleta tupiniquim dentre os treze foi o meia Roberto Firmino. Preterido por Dunga em sua primeira convocação, o brasileiro fez temporada fantástica com o Hoffenheim e conseguiu números igualmente fantásticos: 16 gols e 11 assistências. Suas marcas só não foram melhores que as de Marco Reus, que, com 16 gols e 13 assistências na última temporada da Bundesliga, pode ser considerado um dos melhores do planeta atualmente. 

>> Leia mais: Roberto Firmino e sua grande temporada <<

As ligas restantes contaram somente com um representante no rol. Na francesa, o nome é óbvio: Zlatan Ibrahimovic (26 gols e 11 assistências). Contudo, na liga italiana, houve uma surpresa. O único jogador a conseguir 10 ou mais gols e assistências dentre os que atuam na Serie A defendeu um time que terminou apenas na sétima colocação – e não foi sequer seu grande destaque. Ofuscado pelo brilho e pelos gols de Ciro Immobile no Torino, Alessio Cerci marcou 13 vezes e auxiliou os companheiros em outras 10, merecendo todo o reconhecimento por representar a Itália no ranking e por ser um dos jogadores mais subestimados e leais das grandes ligas.

Vale destacar também aqueles que bateram na trave e não figuraram na listagem por um número apenas. Foram eles: Cristiano Ronaldo e Karim Benzema (Liga BBVA), Yaya Toure (Premier League), Henrikh Mkhitaryan e Max Kruse (Bundesliga), James Rodríguez (Ligue 1) e Gervinho (Serie A).

Não é fácil encontrar atletas que conciliem momentos de protagonismo e de coadjuvação. Por isso, aqueles que conseguem fazê-lo merecem destaque – o que alguns deles não têm, como Cerci e Firmino. Confira, abaixo, a lista com os números de gols e assistências de todos os jogadores que alcançaram o duplo-duplo nas grandes ligas em 2013/2014 (o critério utilizado para o ranqueamento foi a soma do número de gols com o de assistências).

Luis Suárez (Liverpool) – 31 GOLS, 12 ASSISTÊNCIAS 
Lionel Messi (Barcelona) – 28 GOLS, 11 ASSISTÊNCIAS 
Zlatan Ibrahimovic (PSG) – 26 GOLS, 11 ASSISTÊNCIAS 
Alexis Sánchez (Barcelona) – 19 GOLS, 10 ASSISTÊNCIAS 
Marco Reus (Borussia Dortmund) – 16 GOLS, 13 ASSISTÊNCIAS 
Carlos Vela (Real Sociedad) – 16 GOLS, 12 ASSISTÊNCIAS 
Gareth Bale (Real Madrid) – 15 GOLS, 12 ASSISTÊNCIAS 
Roberto Firmino (Hoffenheim) 16 GOLS, 11 ASSISTÊNCIAS 
Wayne Rooney (Manchester United) – 17 GOLS, 10 ASSISTÊNCIAS 
10° Steven Gerrard (Liverpool) – 13 GOLS, 13 ASSISTÊNCIAS 
11° Rickie Lambert (Southampton) – 13 GOLS, 10 ASSISTÊNCIAS
Alessio Cerci (Torino) – 13 GOLS 10 ASSISTÊNCIAS
13° Ivan Rakitic (Sevilla) – 12 GOLS 10 ASSISTÊNCIAS

Fonte de dados: whoscored.com

Comentários