Os substitutos de Xavi

  • por Victor Mendes Xavier
  • 4 Anos atrás
Foto: Site da Uefa | Xavi, o símbolo da maior geração da história do futebol espanhol

Foto: Site da Uefa | Xavi, o símbolo da maior geração da história do futebol espanhol

Em sua primeira coletiva oficial na nova temporada, Xavi deu fim ao mistério que o cercava durante as férias: ele irá permanecer no Barcelona. A sua saída, que chegou a ser dada como oficial pelo jornal Mundo Deportivo, foi negada pelo catalão, que afirmou que Luis Enrique, seu novo treinador e ex-companheiro de Barcelona, o convenceu a ficar no clube. No entanto, a coletiva foi marcada por outra declaração: Xavi não irá mais atuar pela seleção espanhola.

Xavier Hernández i Creus foi indispensável à geração mais vitoriosa da história da Espanha. Ícone e maior representante de um estilo de jogo que marcou o futebol mundial, é considerado por muitos o maior jogador espanhol de todos os tempos. Seja dentro ou fora de campo, a importância de Xavi à Fúria era única.

O melhor jogador da Eurocopa de 2008 vem em queda livre desde a Eurocopa de 2012. Apesar da excelente final, quando controlou o meio-campo italiano com maestria, relembrando o Xavi dos bons tempos, as atuações abaixo da média viraram rotina. O estopim foi a Copa do Mundo de 2014. O primeiro tempo promissor contra a Holanda foi apagado após o vendaval holandês na segunda etapa. A última competição do catalão pela Espanha, por ironia do destino, tornou-se um pesadelo. Do banco de reservas, viu sua seleção ser impotente diante de um intenso Chile, dando adeus precocemente ao Mundial.

No Maracanã, Del Bosque sacou Xavi do time titular para dar a entrada a mais um homem de frente no ataque, Pedro Rodríguez. Na segunda etapa, substituiu Xabi Alonso por Koke, um dos muitos novos Xavis surgido na Espanha nos últimos tempos. E é justamente essa a primeira missão de Del Bosque no ciclo pós-Copa: achar o substituto de Xavi para o meio-campo da Roja.

Até a Eurocopa de 2016, a Espanha irá percorrer um bom caminho. Muitos testes, provavelmente, serão feitos pelo treinador madrilenho. O Doentes por Futebol entra na brincadeira e irá ajudar Del Bosque a “achar” um novo maestro para o meio-campo. Concordam? Discordam? Opine, deixe seu comentário abaixo.
;

Ander Herrera
;
Ander_Herrera_Spain_U-21_(cropped)
Idade: 24
Clube: Manchester United
Passagens pela Espanha: 0

Ander Herrera já foi tema de um dos nossos textos há um mês. O novo contratado do Manchester United surgiu jogando mais adiantado, como camisa 10, mas ganhou mais notoriedade justamente na posição de Xavi, como um segundo volante controlador e organizador de jogo no Athletic Bilbao de Bielsa. Ander foi um dos grandes destaques da pré-temporada mancuniana nos Estados Unidos e rapidamente tornou-se um dos xodós de Louis Van Gaal, treinador do Manchester United e responsável por lançar Xavi ao time A do Barcelona em 1998. O esperado crescimento futebolístico de Ander será um de seus trunfos na tentativa de assumir uma vaga no time titular espanhol nos próximos anos.
;
;
.

Francesc Fàbregas

Foto: Espn | Pela seleção,   Fàbregas, atuando de falso nove, foi um dos destaques do título europeu em 2012

Foto: Espn | Pela seleção, Fàbregas, atuando de falso nove, foi um dos destaques do título europeu em 2012

Idade: 27
Clube: Chelsea
Passagens pela Espanha: 91

O camisa 10 da Fúria, em entrevista ao site da Uefa em 2011, afirmou que nunca será capaz de substituir Xavi. Primeiro, porque Xavi é único. E segundo (e principal motivo) é que lhe falta uma característica primordial em seu jogo: a paciência. Segundo Fàbregas, a capacidade de acalmar um jogo que Xavi tem dificilmente será igualada por outro jogador. Cria da base do Barcelona, Fàbregas amadureceu seu futebol na Premier League, pelo Arsenal, e desenvolveu um estilo mais vertical e profundo. A esses atributos, somam-se a ótima visão de jogo, o dinamismo e o bom faro para o gol para um volante/meia. Pela seleção, Fàbregas se estabilizou atuando (bem) de falso nove nos últimos dois anos. Mas chegou a hora de ser mais utilizado em sua posição de origem. Tem capacidade para substituir Xavi.

;

>> Leia mais: O falso nove Fàbregas <<

.

Koke Ressurreción

Foto: footballcantera.com

Foto: footballcantera.com


Idade: 22
Clube: Atlético de Madrid
Passagens pela Espanha: 10

Koke ganhou suas chances com Del Bosque logo após a Copa das Confederações e as aproveitou bem. A chamada à Copa do Mundo foi o pontapé inicial ao excelente meio-campista nascido em Madrid. Polivalente, atua de extremo direito pelo Atlético de Madrid, tendo liberdade para centralizar e criar jogadas. Porém, Del Bosque o utiliza pela seleção em sua posição de origem, como foi contra o Chile na Copa. Até pela forma que atua pelo Atlético, Koke perdeu um pouco a capacidade de controlar uma partida como Xavi, mas ganhou uma disciplina tática que pode ser importante à Fúria. Koke tem a seu favor os bons lançamentos, o jogo mais vertical e os passes em profundidades que seriam importantes na tentativa de “mudar” o cansativo estilo de jogo da Roja.

 

>> Leia mais: A temporada de afirmação de Koke Resurrección <<

;

Thiago Alcântara

Foto: Getty Images | Ao lado de Isco, Thiago sempre foi o destaque de sua geração nos torneios de base

Foto: Getty Images | Ao lado de Isco, Thiago sempre foi o destaque de sua geração nos torneios de base

Idade: 23
Clube: Bayern de Munich
Passagens pela Espanha: 5

Thiago lidou com a responsabilidade de ser o substituto de Xavi desde os seus tempos de divisões de base no Barcelona. Pelo clube catalão, faltou mais consistência e atuações que provassem que ele poderia ser, realmente, o Xavi do futuro. A saída para o Bayern justamente na temporada na qual Xavi diminuiu seu nível deixou uma interrogação no ar em muitos momentos da complicada campanha 2013/2014 barcelonista: seria Thiago o meio-campista que faltou ao Barça em muitos momentos da temporada? Pelo clube da Baviera, Thiago começava a ganhar protagonismo sobre o terreno de jogo, até a lesão que o tirou dos gramados por três meses, impedindo-o de viajar ao Brasil para disputar a Copa. A magnífica atuação contra o Stuttgart, em fevereiro deste ano, quando completou 145 de 155 passes em 90 minutos, mostrou a real capacidade do hispano-brasileiro. A técnica espanhola junto ao drible e magia brasileira chamam a atenção no estilo de Thiago, dono de uma rara visão de jogo.
Comentários

Jornalista, carioca e apaixonado pela Liga Espanhola desde a época em que Rivaldo, Zidane, Figo e Raúl foram seus professores. Colaborou para o programa [email protected] da Rádio Globo São Paulo falando sobre o futebol do país das touradas. Repórter da Super Rádio Tupi.