Thomas Meunier, o futuro da lateral belga

OLHO NELE

Arte: Fred Miranda

Na última Copa do Mundo, além das equipes que tradicionalmente formam bons times, o mundo queria ver o que a famigerada “Geração Belga” poderia fazer. O desempenho dos Reuten Tofel foi, entretanto, decepcionante. Com jogadores da qualidade de Eden Hazard e Romelu Lukaku pouco inspirados, distantes da forma que desempenham nos clubes, a Seleção ficou muito aquém das expectativas. Além disso, o fraco desempenho dos laterais (zagueiros improvisados) evidenciou uma grande falha da equipe.

Toby Alderweireld, Thomas Vermaelen e Jan Vertonghen são zagueiros, não laterais. Destes, apenas o último demonstra um pouco de desenvoltura para atuar pelo setor. Apesar disso, as dificuldades para formar o setor defensivo podem, muito em breve, diminuir. Aos 22 anos, Thomas Meunier, lateral direito do Club Brugge, vive ótimo momento e pede passagem na equipe do treinador Marc Wilmots.

Foto: Reprodução

Foto: Reprodução

À primeira vista, Meunier parece um zagueiro. Com 1,90m, chama muita atenção pela estatura e transmite a impressão de ser “duro”, ter pouca mobilidade. Uma observação mais atenta do atleta, permite, porém, o rápido desvanecimento dessa imagem. Rápido, habilidoso e extremamente consistente, já poderia ter ido à Copa do Mundo deste ano. Considerando o panorama mundial, que carece de bons laterais, o jogador se destaca tanto pela qualidade técnica quanto pela altura, característica rara e que pode ser valiosa para jogadores de sua posição.

Podendo atuar também no meio-campo, aberto pelo flanco direito, Meunier tem sido, já há algum tempo, pretendido por clubes alemães. Schalke 04, Wolfsburg e Borussia Mönchengladbach são algumas das equipes que já demonstraram interesse em contar com ele.

Já tendo passagens pelas Seleções Sub-15 e Sub-21, ganhou suas primeiras duas oportunidades na equipe principal em 2013, ocasião em que foi muito elogiado por Wilmots, que o considerou uma grande esperança para o futuro:


“Temos mantido um olho em Thomas por um bom tempo e estamos convencidos sobre suas qualidades. Agora, nós só temos que ver quão bem ele se encaixa na equipe. Meunier, que é definitivamente uma opção para o futuro, tem tudo para se tornar um grande jogador na lateral direita. Ele é disciplinado e é muito bom nos avanços ao ataque.”



A trajetória de Meunier no futebol começou bem cedo. Depois de passar por clubes muito pequenos, aos treze anos chegou ao Standard Liège, onde permaneceu até os quinze, quando partiu para o modestíssimo R.E. Virton, atualmente na segunda divisão belga e, na época, na terceira. Em sua última temporada no clube, foi imenso. Nas 28 partidas que disputou na terceira divisão, marcou 10 gols, desempenho impressionante para um lateral de 19 para 20 anos. Foi assim que chamou a atenção do Club Brugge, que, rapidamente, ultrapassou seus concorrentes – dentre eles o poderoso Anderlecht – e, em 2011, contratou a promessa.

Desde então, disputou 115 jogos, marcou 12 gols e assistiu seus companheiros 10 vezes. Com a disputa pela lateral-direita da Seleção Belga totalmente em aberto, não será surpresa alguma se, muito em breve, o jogador se firmar na carente posição dos Roten Teufel. É o que dizem seus números e o treinador da Seleção.

Doentes, confiram alguns lances do jogador:

[youtube id=”RT8A50yXuC4″ width=”620″ height=”360″]

Comentários

Advogado graduado pela PUC Minas, mestrando em Ciências da Comunicação (Universidade do Minho) e Jornalismo Esportivo (MARCA), 26 anos. Amante do futebol inglês, mas que aprecia o esférico rolado qualquer terra. Tem no atacante Marques e no argentino Pablo Aimar referências; e não põe em dúvida quem foi o melhor jogador que viu jogar: o lúdico Ronaldinho Gaúcho, na temporada 2004/05. Também n'O Futebólogo e na Revista Relvado.