Ultras do Lyon entram na onda do “Decime que se siente”

Foto: Bad Gones 1987 - Officiel

Foto: Bad Gones 1987 – Officiel

Durante a Copa do Mundo de 2014, a torcida argentina chamou a atenção com um canto em que provocava o Brasil, o famoso “Brasil, decime que se siente”. A música é uma paródia do clássico Bad Moon Rising, do Creedence Clearwater Revival. De lá para cá, diversas torcidas têm adotado o canto e fazendo paródias, inclusive brasileiras, como as de Vasco da Gama e América Mineiro.

Acontece que esta moda também já ultrapassou as fronteiras continentais e chegou à Europa. Os Bad Gones, mais tradicional torcida organizada (os Ultras) do Olympique Lyonnais, embarcaram na onda e parodiaram o canto nas arquibancadas do estádio Gerland.

A primeira vez que a torcida entoou o cântico foi na vitória por 2×1 sobre Mladá Boleslav, da República Tcheca, na 3ª pré-eliminatória da Liga Europa. A música foi intitulada “Notre Ville” (Nossa cidade) e já virou hit entre os Ultras do clube. Diferente do que fazem outras torcidas (provocar o time rival), os Bad Gones preferem valorizar o próprio Lyon e a cidade.

Confira abaixo a letra e a interpretação da torcida:

“Notre ville, c’est aussi notre fierté!
Son club, partout la fais briller!
C’est pour ça, qu’on va vous encourager!
Les gones, ensemble on va chanter!
Allez l’Olympique Lyonnais,
Alllez l’Olympique Lyonnais
Allez allez allez Olympique Lyonnais”

“Nossa cidade também é nosso orgulho!
Seu clube, em todos os lugares vai brilhar!
E por isso, vamos torcer por você!
Os Gones juntos vamos cantar!
Vamos Olympique Lyonnais,
Vamos Olympique Lyonnais,
Vamos, vamos, vamos Olympique Lyonnais”

[youtube id=”Yb05vjr42Oc” width=”620″ height=”360″]

Comentários

Uma mistura maluca de pessoa. Academico de jornalismo, catarinense de origens italianas e espanholas, mas apaixonado pela bola que rola na terra da Torre Eiffel e pela gorduchinha que pinta os gramados cheios de chucrute da Alemanha. Não escondo minha preferência por times que tem uniformes nas cores amarelas e pretas, mas sempre com análises bem embasadas... ou não. Mas acima de tudo, sou um Doente Por Futebol.