Baku e a Eurocopa de 2020

Assim deverá ficar o Estádio Olímpico de Baku  (Foto: Reprodução/Footballgrounds)

Assim deverá ficar o Estádio Olímpico de Baku (Foto: Reprodução/Footballgrounds)

O aguardado sorteio das sedes da Eurocopa de 2020, que terá um formato totalmente diferente do convencional – será a primeira que não contará com uma sede fixa –, ocorreu na manhã desta sexta-feira (19). Até com certa facilidade, a grande surpresa foi a escolha da cidade de Baku, capital do Azerbaijão.

A UEFA surpreendeu a todos quando anunciou que o “Baku Olympic Stadium”, ainda em construção e com previsão de inauguração no ano que vem, ficará não somente com três jogos da fase de grupos (assim como todas as sedes selecionadas), mas também com um jogo de quartas de final, honraria concedida também às cidades de São Petersburgo, Roma e Munique. Pelo fato de o estádio ainda não ter sido inaugurado, existia até a possibilidade de não ser incluído no seleto grupo.

Previsto para suportar 68.700 torcedores, o projeto agradou tanto que deixou para trás grandes e tradicionais cidades futebolísticas, como Glasgow (Escócia) e Amsterdam (Holanda), que ficaram “apenas” com três jogos da fase de grupos e uma oitava de final cada. Entre os estádios descartados pela UEFA, aqueles que apresentaram candidatura mas que foram barrados, estão o Millennium Stadium, do País de Gales (74,500 lugares) e a Friends Arena, da Suécia (50,000).

Com previsão de entrega para o ano que vem, esta será a parte interna do Olímpico de Baku (Foto: Reprodução/Voetbalstadions)

Com previsão de entrega para o ano que vem, esta será a parte interna do Olímpico de Baku (Foto: Reprodução/Voetbalstadions)

Com o aval e confiança da UEFA, este ousado projeto, que é assinado pela companhia turca Tekfen Construction, atrairá olhares do mundo inteiro a partir de agora. Por consequência, poderá também poderá servir como um incentivo ao Azerbaijão, para que esta nação possa se fortalecer e ganhar mais visibilidade no cenário futebolístico mundial.

O único problema nesta escolha de Baku é que o Azerbaijão fica, literalmente, longe de tudo. O país fica no extremo Leste Europeu, fazendo fronteira com a Rússia, Geórgia, Armênia e Irã, e sua capital ainda fica no leste do país, em região banhada pelo Mar Cáspio.

Deverão, claro, existir problemas de logística, além de muitos adeptos torcerem desde já para que suas respectivas seleções não joguem nesta sede. Mas, uma coisa é fato: faltando seis anos para a competição, ninguém pode reclamar de falta de tempo para se programar e ser “pego desprevenido” lá na frente.

Comentários

Estudante de Jornalismo. Foi editor de futebol alemão e holandês na VAVEL Brasil e cofundador da VAVEL Portugal. É blogueiro do Bayern no ESPN FC (projeto da ESPN Brasil) e completamente Doente por Futebol.