De novo Nilmar?

  • por Lucas Diefenbach Moreira
  • 6 Anos atrás

Já virou rotina: a cada 6 meses, Nilmar é alvo do Inter para reforçar o seu ataque. Depois de deixar o clube ainda em 2009, Nilmar nunca saiu da cabeça da torcida e diretoria. Em 2012, o clube esteve muito próximo de anunciar o jogador que, por divergência de valores, optou por assinar com o Al-Rayyan e se esconder no futebol do Qatar.

Foto: Alexandre Lopes/internacional.com.br – Nilmar marcou gol antológico contra o Corinthians.

Foto: Alexandre Lops/internacional.com.br – Nilmar marcou gol antológico contra o Corinthians.

A notícia da rescisão de contrato do jogador com o atual clube árabe El Jaish voltou a encher os colorados de esperança. Nilmar poderia, enfim, retornar ao time que o projetou para o futebol dando velocidade ao lento ataque colorado.

A negociação mal sucedida em 2012 deixou alguns torcedores com certas dúvidas em relação ao atleta. As constantes intervenções do seu agente, a negociação levada a público, os altos valores pedidos e a forma com que a negociação foi conduzida não deixaram uma má impressão sobre Nilmar. Mas a carência por um atacante de qualidade e velocidade faz com que a torcida esqueça, momentaneamente, todos os entraves para sua contratação.

VALE A PENA O INVESTIMENTO?

Todo jogador que passa pelo futebol árabe requer um longo tempo de readaptação ao futebol brasileiro, que varia de 4 a 6 meses. Os recentes rumores dão conta de que o atacante pediu uma pequena fortuna ao Colorado e um contrato de 5 anos. Nilmar já não é mais tão jovem (o jogador completou 30 anos no dia 14 de julho), sofre constantemente com lesões e vem com números pouco expressivos para quem disputou a Liga do Qatar (17 jogos e apenas 4 gols na última edição da competição) e as copas continentais.

Foto: Alexandre Lopes/internacional.com.br – Nilmar e D'Alessandr comemorando gol na final do Gauchão.

Foto: Alexandre Lops/internacional.com.br – Nilmar e D’Alessandro comemorando gol na final do Gauchão.

O PROBLEMA DO ATAQUE COLORADO

Uma rápida análise nos números do campeonato brasileiro evidencia que a grande diferença entre o líder Cruzeiro e o até então vice-líder Inter hoje é a quantidade de gols marcados. Enquanto a defesa do time mineiro levou 2 gols a mais que o Colorado (15 contra 13 do Inter), o ataque marcou 38 gols (15 a mais que o time gaúcho).

Rafael Moura, centroavante titular da equipe, é responsável por apenas 4 gols dos 23 marcados pelo Inter no Campeonato Brasileiro e seu reserva Wellington Paulista balançou 3 vezes as redes. Tratam-se de números muito baixos, que deixam claro a necessidade de reforço no setor ofensivo da equipe.

Sendo Nilmar ou não, a única certeza que temos é de que o Internacional precisa de reforços no seu setor ofensivo.

Comentários

Colorado, gaúcho e apreciador nato do bom e inigualável esporte bretão.