Galo apresenta novas promessas

Por O Futebólogo

Que o Atlético tem fama na revelação de jogadores não é mistério para ninguém. De Mário de Castro a do Monte; de Reinaldo, Toninho Cerezo e João Leite a Bernard, passando por nomes como o do goleiro Diego Alves, o Galo sempre contou com atletas de suas categorias de base em seu elenco. A prova mais cristalina da qualidade da base atleticana são os resultados. Só neste ano, o clube conquistou a Copa do Brasil Sub-17, o Torneio Future Champions e o vice-campeonato da Taça BH de Futebol Júnior. Hoje, vivendo um processo de reconstrução após a saída de Ronaldinho Gaúcho e a chegada de Levir Culpi, o alvinegro parece pronto para apresentar uma nova “fornada” de jovens para muitas posições.

Para a meta, hoje defendida pelo ídolo Victor, o clube mineiro já projeta o aproveitamento do jovem Uilson, de 20 anos. Natural de Mucuri, Bahia, o garoto vem evoluindo bem desde o início do ano. De quarta opção – atrás de Victor, Giovanni e Lee –, passou a terceira, com a saída do arqueiro ex-Vitória para o futebol português e, agora, com a recente lesão de Giovanni, se tornou a segunda opção e já fica no banco de reservas na próxima partida do Brasileirão. Muito promissor, contabiliza inúmeras passagens pelas Seleções de Base, pelas quais disputou, inclusive, o Mundial Sub-17 de 2011. É esperança para o futuro.

#458476410 / gettyimages.com I Jemerson demonstra impressionante tranquilidade na zaga alvinegra

A zaga, que tanto tem sofrido com as lesões do capitão Réver e de Emerson, além da total desconfiança do torcedor no futebol de Edcarlos, parece estar conhecendo uma nova e válida possibilidade. Jemerson, de 22 anos, estreou pelo Galo em 2013. Contudo, à época, o atleta mostrou-se muito “verde”, apesar de já não ser tão jovem. Um pouco atabalhoado, não passava nenhuma confiança ao torcedor. Hoje, já é possível visualizar um defensor mais decidido, mas também calmo, administrando cada vez melhor as situações de jogo e já anotando seus golzinhos, como na última partida do clube na Copa do Brasil. Jemerson ainda comete suas falhas, mas elas são cada vez menos frequentes.

Para o meio-campo, há mais duas novidades. Na contenção, mas com qualidade para sair para o jogo, o Galo tem apostado em Eduardo, volante que, apesar de ter apenas 19 anos, já passou por Guarani e São Paulo. Esguio e bom passador, o jogador tem demonstrado futebol capaz de torna-lo importante para o futuro alvinegro. Sua tranquilidade impressiona e seus dados são favoráveis. Segundo o site footstats.net, no Brasileirão, Eduardo acertou 50 passes, errando apenas 7. Os mais otimistas têm comparado o jovem a um ídolo do passado recente do Galo, Gilberto Silva.

A outra figura que começa a ganhar espaço é o meio-campista Dodô, camisa 10 do time vice-campeão da Taça BH de Futebol Júnior. Baixinho, o meia de 20 anos tem boa condução de bola e demonstrou personalidade nos poucos minutos em que esteve em campo contra o Botafogo, no último domingo, ocasião em que buscou jogo e inclusive arriscou finalizações perigosas.

#458643054 / gettyimages.com I Dodô tem mostrado enorme personalidade

Apesar dos quatro jogadores supracitados representarem promessas de um bom futuro para o clube, o atleta de quem os torcedores mais esperam resultados é o atacante Carlos, de 19 anos. Artilheiro em diversas competições na base, o jovem de Santa Luz, Bahia, é a grande esperança de que, após muitos anos, o Galo volte a revelar um grande centroavante. Sempre buscando balançar as redes, seu faro para o gol chama a atenção. Tanto que, recentemente, até ganhou chances com o treinador Alexandre Gallo na Seleção Sub-20.

O atacante tem sido aproveitado atuando aberto pelo lado esquerdo do ataque, que, obviamente, não é sua melhor posição. Ainda assim, seu apetite por gols – que por vezes tem feito com que opte pela jogada errada, finalizando quando deveria passar – tem dado esperanças ao torcedor, sobretudo nos últimos dois jogos, quando, apesar de não ter marcado, muito finalizou e com qualidade.

#458869122 / gettyimages.com I Com muita dedicação, Carlos assumiu a titularidade do Galo

Além dos cinco jogadores já citados, o Atlético conta também com o lateral direito Alex Silva, integrado neste ano aos profissionais. O atleta tem sofrido muitas críticas – justas, a meu ver – em função de optar, muitas vezes, por jogadas difíceis e errar passes bobos. Contudo, há que se ressaltar que Marcos Rocha, por exemplo, foi extremamente criticado em seu início e precisou de duas temporadas emprestado ao América para se firmar. Pode ser que seja o caso de fazer o mesmo com este garoto de 20 anos.

Outro jovem que integra o elenco alvinegro é o volante Lucas Cândido, que apareceu bem na base no ano passado, foi tentado sem sucesso na lateral esquerda e se recupera de uma lesão gravíssima. No meio-campo, aguarda-se muito de Lucas, hoje com 20 anos.

É evidente que nunca se pode prever como o futuro se apresentará para estes atletas, mas seu crescimento tem ocorrido em um bom ritmo. Qualidades todos têm. Dentro de alguns meses (ou anos) poderemos avaliar, com boa margem de certeza, se estes jovens se firmaram no cenário do futebol ou se tornaram-se só mais uns “foguetes molhados”, aumentando a já extensa lista do futebol nacional.

*Carlos, Eduardo e Uilson renovaram seus contratos com o Galo nesta semana até 2019.

Comentários

Advogado graduado pela PUC Minas, mestrando em Ciências da Comunicação (Universidade do Minho) e Jornalismo Esportivo (MARCA), 26 anos. Amante do futebol inglês, mas que aprecia o esférico rolado qualquer terra. Tem no atacante Marques e no argentino Pablo Aimar referências; e não põe em dúvida quem foi o melhor jogador que viu jogar: o lúdico Ronaldinho Gaúcho, na temporada 2004/05. Também n'O Futebólogo e na Revista Relvado.