Palpite infeliz

  • por Nilton Plum
  • 7 Anos atrás

De um lado Noel Rosa, um gênio. Do outro, Wilson Batista, talentoso compositor flamenguista. Entre os dois uma rivalidade em música e mulheres…

Quando Batista dá o que parecia ser o golpe fatal em Noel com seu micro-samba “Conversa fiada” onde debocha e ironiza a “qualidade moral” de quem nasce no Bairro de Vila Isabel, Noel contra-ataca, pois tem poder pra isto e lança “Palpite infeliz”; um tapa invisível na cara do desdém. Responde poderosamente e encerra a discussão.

Mais de 20 mil crentes compareceram ao Maracanã, na quarta, pra ver o Flamengo operar o improvável. Digo isto porque não há impossível no futebol. O clube carioca lutava contra um preguiçoso jogo de ida, contra um placar adverso em 3 gols. Possui equipe, mas não possui elenco e ainda é assombrado por lesões. E foram justamente as lesões, flagelo rubro-negro desde a joelhada que o Hernane tomara nas costas num longínquo jogo do Estadual, que alteraram os rumos da partida contra o encolhido e tímido Coritiba. Luxemburgo entra em campo com seu misto. Luís Antônio desloca o ombro, entra o titular Léo Moura. Paulinho torce o joelho, entra o titular Éverton. Com a entrada de Eduardo da Silva no segundo tempo, a equipe já não é mais aquela preguiçosa e desfocada que tomou os 3 gols em Coritiba. É a equipe invicta a 5 jogos do brasileirão, a que saiu da lanterna pra nona posição em 1 mês.
Sem Wallace (que possui reserva) e Cáceres (o maior desfalque) o Flamengo que devolve os 3 gols se inflama com o canto incessante e frenético de sua torcida de modo que no terceiro gol um lançamento da zaga rubro-negra aciona Éverton. Ele tem sido jogador mais veloz que vi atuar no Brasil. É o Hermes grego, o Thoth egípcio. É Mercúrio em um sopro milagroso de otimismo, classificação e histeria, disparando pela esquerda e cruzando pra Eduardo. já visto como iluminado, marcar o gol que levaria aos penais. Lá, Paulo Victor e Canteros resolveram. Curiosamente tentei lembrar a última vez que vi o Flamengo perder uma disputa de penais. Depois de uma pesquisa vi que foi numa derrota para o Santos, em 2004. Lá se vão 10 anos …

Após ter seu “vexame” cafetinado por uma imprensa esportiva burlesca, o Flamengo não só se classifica como também responde à altura os infelizes palpites que teimam em circundar o esporte do imponderável. Luxemburgo disse em coletiva após o jogo que sua equipe “é preparada pra sofrer os 90 minutos”. Sua torcida também é. Sabem que no Maracanã eles podem tudo.

Comentários

Só há Justiça no aleatório. E nada é mais aleatório do que o futebol. Curte futebol, bebidas, boxe, artes em geral e farofa.