Rúben Neves, o mais novo dragão

(atualização 22/10/2015)

Rúben quebra mais um recorde, desta vez na Champions

Foto: UEFA

Foto: UEFA

Na última partida do Porto, válida pela UEFA Champions League, Rúben Neves se tornou o jogador mais jovem a capitanear uma equipe desde o início da partida na competição continental. Aos 18 anos e 221 dias, em partida contra o Maccabi Tel Aviv, o português superou Rafael van der Vaart, que, em 2003, envergou a braçadeira do Ajax em uma partida contra o Milan, aos 20 anos e 217 dias.

(atualização 05/10/2015)

Mais um recorde quebrado pelo prodígio portista:

RUBEM CAPITÃO

Com saída de Maicon durante o jogo contra o Belenenses, por motivo de lesão, Rúben herdou a faixa de capitão do Porto e seguiu sua trajetória de estabelecimento de recordes históricos no clube. O talentoso volante se consagrou como o jogador mais jovem a ostentar a faixa de capitão do time durante um jogo profissional.

Nada mal para um jovem apenas no início de seu segundo ano como profissional e na tenra idade dos 18 anos, não concorda?


 

OLHO NELE

Pouco se conseguiu extrair de bom do fracasso português na última Copa do Mundo. Todavia, ficou mais que evidente o fato de que William Carvalho, volante do Sporting CP, ganhará um lugar entre os titulares da Seleção Lusa. Mas o que isso tem a ver com Rúben Neves? O simples fato de que, em breve, o meio-campista sportinguista deverá ganhar um novo parceiro de setor.

>> Leia mais: William Carvalho, a nova revelação leonina <<

De forma absolutamente surpreendente e inesperada, o Porto apostou, para a recomposição de seu meio (que ficou carente com a saída de Fernando para o Manchester City), em um jovem desconhecido. Blindado pela direção, Rúben, de 17 anos, apareceu praticamente do nada para o público. Não só não se sabia quem era o jogador, como também não ficou muito claro como o garoto ascendeu à titularidade portista.

Apesar dessa surpresa, para seu antigo comandante, na base, esses fatos não têm absolutamente nada de estranho. Segundo Luís Castro, apesar da idade, o camisa 36 dos Dragões sempre demonstrou incomum maturidade.

“No dia que o Rúben Neves pôde assinar um contrato profissional, assinou. E assinou porque o FC Porto entendeu que estava perante um jogador que merecia uma atenção especial. (…) Fala-se em talento técnico e tático, mas o Rúben Neves tem um talento mental extraordinário. É um jogador que encara o jogo com uma tranquilidade extraordinária, sabe o que jogo pede. Falar em maturidade nos sub-19 e equipas B deixa de fazer sentido. Quando um jogador cumpre a sua fase de desenvolvimento de forma sustentada é porque tem essa maturidade. Eu, pessoalmente, nunca me refiro a isso como desculpa ou explicação. Os jogadores todos os dias são trabalhados e tratados como homens, por isso têm de jogar como um homem. O Rúben Neves tem de jogar como um homem, porque foi tratado como um homem.”

No campo, chamá-lo de volante pode não refletir o que se quer dizer. Com excelente visão, qualidade de passes curtos e longos – sendo peça importantíssima para a primeira construção do jogo – é quase um playmaker recuado. Como dito por seu ex-treinador, seu talento mental, o entendimento do campo, é excelente. Algo muito difícil de se notar em um jogador tão jovem. Julen Lopetegui, seu técnico, foi enfático ao destacar que foi por seus próprios méritos que o jovem chegou à titularidade, algo que lhe tem encantado.

“Se está conosco é porque conquistou esse direito. Ninguém lhe ofereceu um só minuto de jogo. Mas, insisto, tem 17 anos, pelo que necessita continuar tranquilo para ir queimando etapas. É certo que já as está a queimar mais rapidamente pelo facto de ter jogado os cinco jogos oficiais. Não vou esconder, estamos encantados com ele.”

Se o público não conhecia o talento de Neves, parece claro que no clube o jogador sempre foi visto com bons olhos. Portista desde os oito anos, foi evoluindo categoria a categoria, passando, inclusive, pelos escalões sub-15, 16, 17, 18 e, recentemente 21, das Seleções de Base de Portugal, somando 46 internacionalizações. Pela equipe sub-17, capitaneou o time às semifinais da UEFA Euro Sub-17.

Sua meteórica trajetória também já acumula recordes. Rúben Neves é o jogador mais jovem a vestir a camisa do Porto em partidas do Campeonato Português, a marcar um gol na liga (já em sua estreia) e também a atuar em uma partida da UEFA Champions League, superando ninguém mais ninguém menos do que o craque Cristiano Ronaldo. Após seu primeiro encontro, frente ao Marítimo, o miúdo – como os portugueses se referem a jovens de grande potencial – deu uma grande mostra de maturidade, valorizando o coletivo.

“Foi uma estreia de sonho, não só pelo golo mas sobretudo pela vitória. Para mim, o colectivo é sempre o mais importante e sem a ajuda da equipa não teria conseguido nada.”

No momento, Rúben Neves tem a concorrência, principalmente, de Casemiro, Héctor Herrera e José Campaña, mas, pensando em suas qualidades, não é nenhum absurdo considerá-lo na disputa por posições com Evandro ou Juan Quintero, jogadores mais ofensivos. Até o momento, o Porto já disputou cinco jogos, todos com a presença de Rúben Neves, titular em quatro deles. Com cinco vitórias na temporada, o time desponta bem e, ao que tudo indica, será um clube para observar. Mas, mesmo que não estivesse tão bem, já valeria à pena acompanhar a equipe, pois, de forma inesperada e extremamente agradável, os dragões lançaram uma nova e preciosa joia, e é bom ficar de Olho Nele!

Comentários

Advogado graduado pela PUC Minas, mestrando em Ciências da Comunicação (Universidade do Minho), 25 anos. Admito minha preferência pelo futebol bretão, mas aprecio o esférico rolado qualquer terra. Desde a infância, tenho no atacante Marques e no argentino Pablo Aimar referências; o melhor jogador que vi jogar foi o lúdico Ronaldinho Gaúcho, na temporada 2004/05. Estou também no O Futebólogo e na Revista Relvado.