Lucas Silva, o futuro da seleção

OLHO NELE

Soberano no Campeonato Brasileiro, o Cruzeiro deu, nos últimos tempos, inúmeros motivos para seu torcedor celebrar. Seja pelos lances de efeito de Everton Ribeiro, pelos gols de Ricardo Goulart e Marcelo Moreno ou pelas defesas do goleiro e capitão Fábio, o time mineiro tem mostrado impressionante desempenho. Mas, seguramente, o Cruzeiro só alcançou a sintonia fina quando, em meados de 2013, Marcelo Oliveira redescobriu um garoto de enorme talento: Lucas Silva.

Cria do próprio time, o volante, natural de Bom Jesus de Goiás, foi lançado por Celso Roth em 2012, na vitória celeste por 2×0 frente à Portuguesa, na capital paulista. Mas, a despeito de ter mostrado um grande leque de qualidades, foi rapidamente escanteado pelo treinador, após falhar em um clássico contra o Atlético e permitir um fatal avanço de Ronaldinho Gaúcho.

Em 2013, depois de ver-se marginalizado e de lutar contra a concorrência de Leandro Guerreiro, Tinga, Uelliton e Souza, após a goleada do Cruzeiro frente ao Vitória por 5×1 (em agosto), o garoto começou a reconstruir seu espaço no time, compartindo a contenção com Nilton, fixando-se como titular absoluto e ganhando enorme destaque. Sua tranquilidade, qualidade de passe curto e longo, combatividade e potente e certeiro chute de longa distância o transformaram em referência e um dos grandes pilares da Raposa.

Quem sofreu com a potência de seus chutes foi o Vasco, na 17ª rodada do Brasileiro de 2013, ocasião em que o atleta marcou duas vezes, em dois belos remates de longa distância.

[youtube id=”JTbF-_kK1Vg” width=”620″ height=”360″]

Elogiado por torcedores, companheiros, pela imprensa e por seu treinador, o garoto de 21 anos, que também tem sido uma das grandes referências do treinador Alexandre Gallo no projeto olímpico da Seleção Brasileira, há muito desperta interesses europeus. Durante a última janela de transferências do Velho Continente, foi especulado por Manchester United e Internazionale de Milão. No momento, seu nome, conforme rumores, circula nas cúpulas de Real Madrid e Chelsea. Sobre o interesse Merengue, o ex-jogador do clube e atual companheiro de Lucas, Julio Baptista, falou:


“Eu acho que ele se daria muito bem. No primeiro dia que o vi treinar, já sabia que era um jogador que precisa de só dois toques para dar qualidade. Aqui, os jogadores abusam da condução da bola. Ele é muito rápido, faz os dois toques em grande velocidade. Lucas se encaixaria muito bem no Madrid. Acho que ele já está formado para jogar fora, mas é preciso ter um pouco de paciência. Ele precisa de um tempo para se adaptar, já que não é qualquer clube. Mas ele tem qualidade.”



Entrevistado pelo jornal espanhol Marca, Lucas também falou sobre uma eventual negociação com o Real:

“Claro que eu gostaria de jogar no Real Madrid, seria uma honra. Mas, para isso, teria que haver primeiro um acordo entre os clubes, eu pertenço ao Cruzeiro e tenho muito respeito pelo meu clube. Mas, se um clube como o Real Madrid me chama, creio que eu aceitaria, claro. Tenho que manter os pés no chão, estar tranquilo. Durante os últimos meses tem se falado do interesse de muitos clubes por mim e creio que isso significa que estou fazendo um bom trabalho em minha equipe. Sou um volante moderno, com bom trato da bola, que chega às duas áreas e que trabalha para a equipe. Creio que tenho boa visão de jogo para assistir meus companheiros… Faço essa definição para as pessoas que não me veem jogar, mas creio que o melhor é que os outros falem de mim.”



Volante moderno, como se autodefine, e como a imprensa mundial tem colocado, Lucas Silva certamente integra os planos do futuro da Seleção Brasileira e um chamado de Dunga não deverá tardar, assim como uma transferência para o futebol europeu. Até o momento, Lucas disputou 82 jogos pelo Cruzeiro, anotando quatro gols. No que toca à sua função, no corrente Brasileirão, segundo o site Footstats, Lucas apresenta um índice de acerto de 83,7% de seus desarmes e tem média de 94,9% de acerto de passes. Estes dado demonstram sua qualidade tanto na destruição do jogo adversário como na construção de sua equipe e atestam a modernidade de seu futebol.

LUCAS SILVA SELEÇÃO

Em sua curta carreira, o volante apresenta uma trajetória muito vitoriosa, computando um título do Campeonato Brasileiro Sub-20 (2010), um Campeonato Brasileiro (2013), um Campeonato Mineiro (2014) e o título do Torneio de Toulon com a Seleção Brasileira Sub-20. Muito calmo e maduro, Lucas já acumula um bom leque de experiências, apesar dos 21 anos, e aparenta estar preparado para dar o salto de qualidade. A titularidade do clube mais regular do Brasil nos últimos dois anos está ficando cada vez menor para seu futebol, que anseia pela Europa e pela camisa Canarinha.

Correndo tudo bem, estes serão seus destinos. Até lá, em um futebol recheado de volantes sem grandes qualidades, resta-nos, brasileiros, acompanhar o bom futebol de um garoto que, conquanto sempre tenha demonstrado talento, rompeu barreiras e representa o futuro do país.

Confiram alguns lances do prodígio cruzeirense! Olho Nele!

[youtube id=”sFTcPK3K-Oc” width=”620″ height=”360″]

Comentários

Advogado graduado pela PUC Minas, mestrando em Ciências da Comunicação (Universidade do Minho), 25 anos. Admito minha preferência pelo futebol bretão, mas aprecio o esférico rolado qualquer terra. Desde a infância, tenho no atacante Marques e no argentino Pablo Aimar referências; o melhor jogador que vi jogar foi o lúdico Ronaldinho Gaúcho, na temporada 2004/05. Estou também no O Futebólogo e na Revista Relvado.