Um novo Santos nas mãos de Enderson Moreira

  • por João Rabay
  • 5 Anos atrás

Post escrito em parceria com Vitor Saad

A demissão do técnico Oswaldo de Oliveira causou estranheza para boa parte dos torcedores santistas. Apesar de o Peixe ter tido uma sequência de derrotas no Brasileirão, os números de Oswaldo no Peixe eram bons:

Em 44 jogos no ano, o time comandado por Oswaldo teve 25 vitórias, 9 empates e 10 derrotas. Aproveitamento de 63,6% dos pontos.

Após sua saída, a diretoria foi buscar um treinador com perfil de usar jogadores da base. Assim, o Santos chegou a um acordo com Enderson Moreira.

O novo comandante, por ser um técnico sem muita experiência, chegou sob olhares de desconfiança na Vila Belmiro. Ao contrário do que muitos treinadores adotam quando chegam aos clubes, Enderson escolheu dar continuidade no trabalho de Oswaldo e pouco mexeu no time.

No entanto, implantou algo um tanto sutil, mas que vem sendo o ponto chave de seu trabalho: o rodízio de jogadores.

Agora, jogadores que antes estavam encostados, como Geuvânio, vêm recebendo oportunidades. Com vontade de mostrar seu futebol, ele e outros atletas, como o volante Souza, têm rendido mais que com o treinador anterior.

Diferente de Oswaldo, que escalava, quando possível, a mesma equipe em todos os jogos, Enderson parece preferir montar o Santos de acordo com o adversário. Pode usar Alison e Arouca como volantes, para ganhar poder de marcação, ou Arouca e Souza, para ter mais qualidade de passe.

O ataque joga mais solto, e Leandro Damião, que ainda não convenceu a torcida, vem conseguindo fazer mais jogadas de pivô. Além disso, as chances para finalizar têm sido mais frequentes.

Depois da vitória sobre o Bahia, na Vila Belmiro, pelo Campeonato Brasileiro, o Santos passou a ter a melhor campanha do segundo turno, com 16 pontos até aqui.

Desde que chegou ao Santos, Enderson possui os seguintes números:

10 jogos, 7 vitórias, 1 empate e 2 derrotas. Aproveitamento de 73,3% dos pontos.

Esses dados comprovam que o rendimento da equipe santista melhorou com a chegada do novo treinador, fazendo com que a equipe finalmente deixasse de sonhar com o G4 e se aproximasse do topo da tabela, podendo, de fato, brigar por uma vaga na Libertadores do ano que vem.

Comentários

Jornalista. Doente por futebol bem jogado e inimigo de jogadores que desistem da bola para cavar falta e de atacantes "úteis porque marcam os laterais".