Xabi Alonso: O controlador

  • por Lucas Machado
  • 5 Anos atrás
Foto: Reuters

Foto: Reuters

Trinta e dois anos e oito milhões de euros investidosnúmero alto para um jogador que não dará retorno financeiro no futuro? Embora esse seja um questionamento válido, perde força se comparado ao ganho técnico que um jogador como Xabi Alonso pode dar imediatamente à equipe.

Sem Thiago Alcántara (lesionado) e com a saída de Kroos para o Real Madrid, Pep Guardiola sentiu necessidade de buscar um controlador da bola, do jogo e do meio de campo no mercado. E, mais uma vez, deu a tacada certa. Um dos principais nomes do Real Madrid na conquista da Champions League da temporada passada, Alonso encaixou como uma luva no esquema tático e na função de organização que Guardiola exige de seus primeiros volantes.

Jogador com o maior número de passes por jogo nas grandes ligas europeias – tem uma média de assustadores 124.8 passes por jogo contra 106.1 de Verrati, do PSG -, o espanhol não só mantém o famoso estilo tiki-taka do Bayern de Munique, como também dá verticalidade e velocidade à saída de bola quando necessário. Conhecido pela precisão nos seus lindos e esticados lançamentos, Alonso também é o jogador que mais acertou passes longos nas ligas mais importantes do continente em 2014/15, com média de 15.7 por jogo.

Meio-campista central pensador e organizador da faixa principal do campo, Xabi Alonso é o grande centro das atenções no jogo do Bayern. Nenhuma bola chega ao ataque sem passar pelos pés do camisa 3. Em apenas 36 dias defendendo as cores do novo time, foi eleito cinco vezes o melhor em campo e bateu o recorde de toques na bola (206) e de mais passes certos em uma partida (196). Mais do que recordes, os números de Alonso com a camisa bávara mostram toda a sua importância ao esquema e ao time de Pep Guardiola, e colocam um gosto amargo na boca dos dirigentes do Real Madrid.

>> Leia também: Bayern: Oportunismo, inteligência e pés no chão <<

Crítico do estilo tiki-taka espanhol durante a Copa do Mundo disputada no Brasil – Alonso pediu mais verticalidade à equipe depois da goleada sofrida na estreia para Holanda -, o jogador não só mantém a tradição espanhola na troca de passes curtos, como também dá a verticalidade pedida então à Espanha ao Bayern de Munique. Completamente adaptado ao Bayern, à Alemanha e ao estilo de jogo de seu compatriota Pep Guardiola, Xabi Alonso tem tudo pra ser, mais uma vez, um dos grandes nomes da Europa nesta temporada.

Comentários