A ‘decolagem’ de Sigurdsson

Começar por baixo, crescer, cair e depois se levantar. Com passagens por clubes modestos da Inglaterra e até pelo futebol alemão, Gylfi Sigurdsson sabe bem como é esse roteiro. Hoje, faz parte do Swansea City e é peça fundamental na brilhante campanha da equipe galesa na Premier League. Não à toa, é considerado como o principal jogador dos Swans.

Nascido em Hafnarfjörour, na Islândia, o meia atuou pouco tempo em seu país. Passou por alguns clubes locais, foi ganhando notoriedade e logo vieram as convocações para as seleções de base: sub-17, sub-19 e sub-21. Depois, ainda marcou presença na principal, pela qual balançou as redes 9 vezes em 27 partidas.

Sua trajetória na Terra da Rainha teve início ainda em 2008, quando foi emprestado ao Shrewsbury Town, da quarta divisão inglesa. Por lá, foi pouco aproveitado e não conseguiu fazer mais do que apenas um gol. No ano seguinte, se mudou para o Crewe Alexandra, também da quarta divisão na época, novamente por empréstimo.

Mas, em termos de visibilidade, foi no Hoffenheim que Sigurdsson teve oportunidade de se destacar mais e tentar subir de patamar em um futuro próximo. Estreou na equipe alemã em 10 de setembro de 2010 na vitória por 2×0 diante do Schalke 04. Uma semana depois, o primeiro gol aconteceu contra o Kaiserslautern no empate em 2×2, no qual entrou aos 32 minutos da etapa final.

O grande problema, porém, foi a queda de produção que teve entre a reta final de 2010/11 e a primeira metade de 2011/12. Com isso, foi alvo de especulações sobre uma possível saída, algo que se concretizou. Começava ali a primeira parte da história do islandês no Swansea, por quem foi contratado (por empréstimo) em 1 de janeiro de 2012.

Os sete gols em 18 jogos, além de 4 assistências, quase o proporcionaram um novo vínculo com o Swansea. Desta vez, em definitivo, numa transferência que seria de cerca de 6,8 milhões de libras. Mas a saída do então técnico Brendan Rodgers “melou” o negócio e o atleta acabou sendo adquirido pelo Tottenham, que aceitou pagar 8,8 milhões de libras.

Chegou com status de boa peça para compor elenco, além de primeiro reforço do novo treinador da equipe de Londres na ocasião: André Villas-Boas. No entanto, a regularidade em alto nível que nunca alcançou limitou seu tempo nos Spurs a apenas duas temporadas. Sorte do torcedor do Swansea, que viu o jogador retornar e se tornar protagonista.

http://www.dailymotion.com/video/x2df9rf_g-sigurdsson-goal-swansea-vs-aston-villa-1-0-premier-league-26-12-2014_sport

Em 2014/15, Sigurdsson participou de 17 partidas do time na Premier League até aqui. Já marcou 3 gols (o mais recente deles foi a pintura acima), deu 8 assistências (é o vice-líder no quesito, perdendo apenas para o fantástico Fàbregas) e vem jogando acima da média. Como meia centralizado no 4-2-3-1 armado por Garry Monk, ele é o responsável por fazer a ligação ofensiva (acertou 85% dos passes que tentou até aqui).

E na seleção islandesa, a fase de Sigurdsson é ainda melhor. O meia-atacante tem feito gols importantíssimos na campanha de sua seleção rumo a classificação para a Eurocopa de 2016. Sigurdsson marcou 4 gols e distribuiu uma assistência em 4 partidas (é o vice-artilheiro das Eliminatórias, com 1 gol a menos que Danny Welbeck), deixando os islandeses sonharem com a classificação direta para jogar o torneio europeu na França. Confira os dois gols da vitória da Islândia, a primeira da história no confronto contra a Holanda:

[youtube id=”EZc6_thszKQ” width=”620″ height=”360″]

Com 25 anos e vivendo boa fase, parece o típico caso do bom jogador com a confiança lá no alto, que consegue corresponder ou até superar as expectativas. A tendência, claro, é não acompanhar o ritmo até o final, mas pode até fazer história junto com o Swansea (por que não?). De qualquer forma, terá feito um começo digno de seu potencial.

Comentários

Aspirante a jornalista esportivo e fã de futebol internacional, principalmente Premier League. Adepto da seguinte tese: todo jornalista precisa ser um bom contador de histórias. Sonhador, mas pouco otimista. Olhar crítico e com critério. Abomino paradigmas e modinhas.