Matic, o gigante dos Blues

Arte: Doentes por Futebol

Arte: Doentes por Futebol

Por O Futebólogo

Eden Hazard? Diego Costa? Thibaut Courtois? Cesc Fàbregas? Não, para José Mourinho, o melhor jogador do Chelsea chama-se Nemanja Matic. Um atleta de estilo discreto, que faz o trabalho sujo sem reclamar e está se confirmando, cada vez mais, um profissional de rara dedicação e resistência física, o esteio da equipe.

Aos 26 anos, o volante sérvio vive o melhor momento de sua carreira. Apesar disso, sua trajetória no Chelsea apresenta alguns sobressaltos. Criado no pequeno Jedinstvo Ub, de seu país natal e conhecido por revelar muitos jogadores, começou a caminhar no futebol no também modesto Kolubara Lazarevac, onde permaneceu até 2007, quando partiu para o esloveno MFK Kosice. Lá, venceu uma Copa da Eslováquia e atuou em 70 partidas, até o início da temporada 2009-2010, quando, ainda um completo desconhecido, chegou à Stamford Bridge, por £1,5MI.

#103054249 / gettyimages.com I Matic ainda estava verde em sua primeira passagem pelo Chelsea

Contratado como um “ninguém”, Matic disputou apenas duas partidas na temporada de sua chegada e, rapidamente, deixou o time, sob a mesma condição de anonimato com a qual chegara. Um empréstimo ao Vitesse Arnhem foi a opção feita pelo clube londrino para acompanhar o desenvolvimento de seu diamante, que à época não desempenhava um papel tão defensivo quanto o atual. Na equipe holandesa, viveu boa temporada, firmando-se como um titular habitual.

Finalizado o empréstimo ao clube neerlandês, chegava a hora da partida em definitivo. Envolvido na transação que levou David Luiz ao Chelsea, Matic rumou para Lisboa, onde defendeu o Benfica, se fixou como primeiro volante e se tornou um dos melhores de sua função no mundo.

Em seu início, o sérvio enfrentou a concorrência de Javi García, então titular e uma das grandes referências dos Encarnados. Todavia, com a partida do jogador espanhol para o Manchester City logo na temporada seguinte, Matic se firmou na equipe, tornando-se um jogador do mais alto nível.

#162294840 / gettyimages.com I No Benfica, Matic evoluiu muito

Entretanto, o destino do jogador estava ligado ao Chelsea.

Após 98 jogos, na janela europeia de inverno da última temporada, o volante preteriu os interesses de Manchester United, Manchester City, Liverpool e Borussia Dortmund e retornou ao Chelsea por €25MI absolutamente conhecido e pronto para assumir o protagonismo. Desde sua estreia, contra o Manchester United na 22ª rodada do Inglês, Matic atuou em todas as partidas do restante da temporada 2013-2014 do Chelsea (exceto os encontros válidos pela UEFA Champions League, pois já havia defendido o Benfica na competição).

Curiosamente, esse desempenho constante e regular se repete na presente temporada, tendo o volante atuado em todos os jogos do Chelsea e, inclusive, marcado dois importantes gols na UEFA Champions League, um contra o Sporting CP (o gol da vitória) e outro frente ao Maribor (o gol do empate).

#458619154 / gettyimages.com I Contra o Liverpool, Matic foi eleito o melhor em campo

Resistente como poucos, inteligente taticamente, consistente passador e feroz nos desarmes (com 88% de acerto de passes, de 18m em média, e 29 desarmes – o sétimo melhor – na Premier League), Nemanja Matic é, possivelmente, o grande diferencial do Chelsea desde sua chegada. Com ele, o setor defensivo como um todo evoluiu, e o ofensivo ganhou segurança para arriscar mais jogadas. Apesar do jeitão discreto, seu 1,94m e, principalmente, sua performance, tem o deixado absolutamente em evidência.

“Ele é nosso melhor jogador. Nesse momento, ele é um gigante. Não pelo seu tamanho, mas pela forma como joga. O homem é um gigante,” disse José Mourinho, seu treinador.

Quem corrobora da opinião do comandante dos Blues é o capitão John Terry:

“Ele tem estado em um diferente nível desde que retornou. Ele é um jogador real para a equipe. Todo o time mostrou grandes performances semana após semana, mas ele tem sido o coração disso. Ele tem sido soberbo.”

Gigante na altura e no futebol, Matic precisou de tempo e de uma redefinição tática para melhor se encontrar no futebol. Está novamente provado que vale à pena apostar em quem tem potencial. Com ele, o Chelsea é candidato a ganhar tudo o que disputa. Sem ele? Bem, não se vê mas o clube londrino atuando assim.

[youtube id=”8KAMxP6f7hw” width=”620″ height=”360″]

Comentários

Advogado graduado pela PUC Minas, mestrando em Ciências da Comunicação (Universidade do Minho) e Jornalismo Esportivo (MARCA), 26 anos. Amante do futebol inglês, mas que aprecia o esférico rolado qualquer terra. Tem no atacante Marques e no argentino Pablo Aimar referências; e não põe em dúvida quem foi o melhor jogador que viu jogar: o lúdico Ronaldinho Gaúcho, na temporada 2004/05. Também n'O Futebólogo e na Revista Relvado.