Muito obrigado, futebol moderno!

  • por João Rabay
  • 5 Anos atrás
Nem parece final... (Imagem: Reprodução/SporTV)

Nem parece final… (Imagem: Reprodução/SporTV)

Obrigado, futebol, por uma final de Copa do Brasil entre dois rivais históricos decidindo um título nacional pela primeira vez.

Muito obrigado, futebol moderno, por mal vermos torcedores do time visitante nessas duas partidas.

Obrigado, futebol, pela possibilidade de o time que ganhou o Brasileiro com sobras ser superado em uma final.

Muito obrigado, futebol moderno, pelos constrangedores lugares vazios no meio do estádio, contrastando a grandeza de uma final com uma visão de jogo de várzea.

O contrato entre o Cruzeiro e a Minas Arena, empresa responsável pela gestão do Mineirão, obriga que os preços dos ingressos daquele setor, cuja renda vai direto para a empresa, e não para o clube, sejam 20% mais caros que os demais. Isso, segundo a justificativa econômica de “clube e empresa não concorrerem”.

O mais bacana é que a empresa, mesmo não vendendo os ingressos por causa dos preços absurdos, tem seu lucro garantido por contrato!

Interesse da empresa protegido, clube lavando as mãos, e o torcedor, como fica?

Fica em casa, ora bolas!

A não ser, claro, que ele dispusesse da bagatela de 700 a 1000 reais para comprar um ingresso. Sim, esses eram os preços dos ingressos daquele lugar vazio do Mineirão. É verdade!

A partida teve a terceira maior arrecadação da história do futebol brasileiro: R$ 7.855.510. Até porque os ingressos dos setores tomados pelos cruzeirenses também estavam longe de ser baratos: o preço médio da entrada foi de R$ 197,44, em mais uma demonstração da elitização do futebol nacional, em que torcedores que não podem gastar uma fração tão importante do salário para ver seu time de perto são obrigados a assistir pela televisão.

Final à parte, esse setor do Mineirão sempre fica com espaços vazios por causa dos preços absurdos. Na Arena do Grêmio acontece a mesma coisa.

Os estádios modernos podem ser muito bonitos, podem ter conforto. Podem garantir rendas altíssimas, como parece ser prioridade dos clubes neste momento. Mas existe um valor abstrato, que não se enxerga nos números e que faz diferença dentro de campo.

O calor da torcida é fundamental, e arrancar o couro do torcedor para que ele tenha a oportunidade de presenciar grandes momentos da história do seu time pode afastar a torcida do time. Quem conhece a emoção de pisar na arquibancada e gritar forte não troca isso por uma tela HD. É uma pena que, em alguns casos, não se trate de uma questão de escolha, mas de impossibilidade.

Comentários

Jornalista. Doente por futebol bem jogado e inimigo de jogadores que desistem da bola para cavar falta e de atacantes "úteis porque marcam os laterais".