Vai começar! Entenda as eleições do Vasco

  • por Doentes por Futebol
  • 5 Anos atrás

Por Rafael Rodrigues

Foto: Marcelo Sadio/vasco.com.br

Foto: Marcelo Sadio/vasco.com.br

Tudo pronto nos bastidores de São Januário. Se no campo o Vasco não traz grandes emoções (positivas, pelo menos) para seus torcedores, a política do clube vem causando muitas discussões entre adeptos cruzmaltinos. As eleições do Gigante da Colina acontecem na próxima terça-feira, dia 11 de novembro, e os candidatos dividem a torcida de maneira preocupante.

Inicialmente, havia seis candidatos à presidência do clube luso-brasileiro: Eduardo Nery, Nelson Rocha, Tadeu Correia, Roberto Monteiro, Julio Brant e o ex-presidente vascaíno, Eurico Miranda. Agora, os três primeiros retiraram oficialmente suas candidaturas, às vésperas do momento decisivo, para declarar apoio ao candidato da chapa Sempre Vasco, o senhor Julio Brant.

As principais propostas do Julio são aquelas que qualquer um espera de um candidato a presidência do seu clube (e por isso talvez sejam as mais difíceis de realmente acreditar, já que todos devem dizer isso): construir um centro de treinamento à altura do Vasco, reformar São Januário, aumentando sua capacidade, e tornando o time de futebol competitivo novamente.

Então, se suas propostas são tão simples, de onde o candidato tira suas forças, chegando a aparecer em segundo lugar em algumas pesquisas de intenções de voto? A resposta é simples: dos ídolos.

Brant apostou no apoio de jogadores pelos quais os vascaínos são apaixonados, tendo como principais ícones Felipe e Edmundo. Ambos devem acabar tendo alguma função dentro do clube, caso o candidato venha a vencer o pleito.

Já Roberto Monteiro, outro candidato na disputa, está na mesma situação de Brant: ora aparece em segundo, ora em terceiro. É um dos candidatos da maior torcida do Vasco, a Força Jovem, inclusive por ter presidido a organizada há alguns anos. Esse apoio de parte do grupo vem causando sérios problemas, especialmente em dias de jogos: brigas sérias com simpatizantes de Eurico Miranda.

Antes de falar de confusão, as propostas. Monteiro tem como seu foco declarado a construção de um centro de excelência (um centro de treinamento, em outras palavras). O candidato talvez tenha sido o que mais buscou uma aproximação real da torcida: prometeu diminuir o preço dos ingressos, declarando que o torcedor que frequenta os jogos gasta dinheiro com o clube de outras formas, como comprando produtos oficiais (faz certo sentido, já que, acoplada à São Januário, existe uma Megaloja do clube). O candidato cita que esses dois pontos fazem com que o time possa se tornar mais competitivo e voltar a disputar títulos com frequência.

Por último, o nome mais falado das últimas décadas por São Januário, tanto mal quanto bem falado: Eurico Miranda.

Ilustração de Mário Alberto|marioalbertoblog.blogspot.com.br

Ilustração de Mário Alberto|marioalbertoblog.blogspot.com.br

Eurico e Monteiro dividem a Força Jovem, como falado acima, e não é difícil perceber isso para quem frequenta São Januário em dias de jogos do Vasco. Confusões, trocas de socos entre simpatizantes de ambos, isso já acontecia há algum tempo. O ápice foi na última partida na Colina, contra a Ponte Preta.
Cerca de duas horas antes do jogo, carros de som de Eurico e Monteiro se encontravam lado a lado: cenário perfeito para confusão. Tiros de bala de borracha, garrafas de cerveja, empurrões de todos os lados, não foi pouca coisa o que aconteceu antes da partida. Alguns torcedores saíram feridos.

Em termos de propostas, Eurico Miranda promete ser o homem-forte do Vasco, que ele alega ter sempre sido. Líder em todas as pesquisas sobre os presidenciáveis, o candidato também é líder num quesito que com certeza o incomoda: taxa de rejeição.

Mas nada disso abala o ex-presidente. Eurico faz questão, em todas suas entrevistas, de lembrar que foi ele quem montou os times mágicos que o Vasco teve nos anos 90 e começo dos anos 2000. Não deixa de ser verdade. Talvez se o dirigente não estivesse, àquela época, à frente do comando do futebol, o Vasco não tivesse sido bicampeão brasileiro em 4 temporadas e campeão da Libertadores.

Ele promete tornar o Vasco o gigante que uma vez foi, profissionalizando o futebol e outros setores esportivos do clube, como o basquete, que já foi vice campeão mundial, também enquanto Eurico era dirigente de peso no clube.

O clima é quente em São Januário e, caso não haja nenhum adiamento, promete ferver na próxima terça-feira. Não vão existir mais candidatos, apenas o presidente de um dos maiores clubes do país. Independentemente de quem vença, uma coisa é certa: o novo mandatário cruzmaltino vai ter trabalho, e muito trabalho. Salários atrasados, problemas quanto ao programa de sócios e um time de futebol pouco competitivo são apenas a ponta do iceberg.
Toda a sorte a quem vencer! Vai precisar…

Comentários