Latrocínio no Azerbaijão impede Qarabag de fazer história

Richard, autor do gol que daria a classificação ao Qarabag, lamenta falha da arbitragem no último minuto de jogo (Foto: Reprodução/DailyMotion)

Richard, autor do gol que daria a classificação ao Qarabag, lamenta falha da arbitragem no último minuto de jogo (Foto: Reprodução/DailyMotion)

Nunca um time do Azerbaijão conseguiu se destacar no cenário europeu. Nem os times e muito menos a seleção nacional. Nesta temporada 2014/2015, o Qarabag, clube localizado na capital Bakuque será uma das sedes da Eurocopa de 2020 -, teve a grande oportunidade de sua história de se classificar para os 16. avos de final da Europa League. Só dependia de um resultado positivo. Só dependia de si próprio.

Uma vitória simples frente à Internazionale, em casa, seria suficiente para que o clube do Azerbaijão garantisse passaporte para a próxima fase. Após um jogo pegado e com requintes de crueldade, quase aos 49 minutos do segundo tempo, depois de bate-rebate na área do clube italiano, o volante brasileiro Richard recebeu na entrada da área e, quase caindo, mandou o foguete para o gol.

A bola ainda contou com o desvio de Isaac Donkor no meio do caminho, o que matou completamente as chances de Carrizo tentar a defesa. Perto do final, 1 a 0 Qarabag, gol histórico, o gol da classificação. O clima perfeito para um time cujo possui um orçamento limitadíssimo, mas que foi valente e que lutou até o final, selar sua classificação para a próxima fase da competição continental e assim fazer história em seu país, certo? Certo. Mas não para a arbitragem.

Inexplicavelmente, o assistente tcheco Ondrej Pelikán sinalizou uma irregularidade na jogada. A dúvida que fica é se Pelikán enxergou a bola desviando em Leroy George, o que também seria uma falha grotesca, visto que o atacante holandês estava em posição legal e facilmente há dois metros de distância da jogada.


FK Karabakh 0 – 0 Inter Milan Full Highlights… por ViralDailyTV

Perceba (a partir de 1:30) que nem os jogadores da Internazionale reclamaram do lance, alguns apenas lamentaram o gol sofrido no último minuto de jogo. Miroslav Zelinka, o árbitro do jogo, foi na do assistente e invalidou o heroico tento.

Em entrevista à Radio ESPN, Richard, o autor do gol que seria da classificação, comentou a revolta do time e um possível favorecimento à Internazionale. “Fomos roubados. Só porque ganharíamos da Inter, que é um time grande, o árbitro faz isso. Parece que um time pequeno não pode ganhar do grande. Se tivéssemos classificado, seria uma festa histórica, pararia o país. Infelizmente, futebol é assim. Acabaram com nosso sonho“.

Richard também comentou que, após a partida, o bandeirinha responsável pelo erro entrou no vestiário, e que na hora pensou em bater no assistente. “Entramos no vestiário, em seguida o bandeirinha entrou, e eu fiquei doido pra bater no cara. Mas para não estragar meu trabalho e pegar uma suspensão grande, preferi dar um soco na parede. Rapaz, quebrou tudo no vestiário… fiquei com muita raiva, pois um erro ridículo prejudicou nosso time todo. Todo nosso trabalho foi jogado fora pelo bandeirinha“, disse.

Em tempos onde os ricos aos poucos vão dominando o futebol, é saudável que um time como o Qarabag consiga se destacar em um cenário tão importante como o europeu. É saudável para o clube e mais ainda para o futebol. Não foi apenas o time azeri, mas sim o esporte bretão como um todo que foi prejudicado com essa falha grosseira, absurda e extremamente lamentável da arbitragem.

A vontade de fazer história e a valentia apresentada pelo Qarabag durante toda a fase de grupos desta edição da Europa League acabou sendo coroada com um latrocínio da arbitragem. Um roubo que resultou na morte de um time que tinha apenas como propósito coroar seu esforço e a festa que a torcida fez durante toda a competição.

Comentários

Estudante de Jornalismo. Foi editor de futebol alemão e holandês na VAVEL Brasil e cofundador da VAVEL Portugal. É blogueiro do Bayern no ESPN FC (projeto da ESPN Brasil) e completamente Doente por Futebol.