Palmeiras x Atlético/PR e o circo da imprensa

  • por Saimon
  • 6 Anos atrás

Durante esta semana, o grande assunto da imprensa nacional é a última rodada do Campeonato Brasileiro. O foco, mais precisamente, está em São Paulo, onde jogam Palmeiras x Atlético Paranaense. O clube paulista precisa vencer para escapar definitivamente da degola pela terceira vez. O Furacão, de sua parte, joga apenas para cumprir tabela, já que a equipe não almeja mais nada na Série A.

O confronto nem aconteceu e já esta marcado por confusões. A primeira, envolve o dia e local. O Ministério Público vetou que Palmeiras e Corinthians joguem na capital no mesmo dia. Após Corinthians x Criciúma ser antecipado, o MP ainda assim queria tirar o jogo do Palmeiras do Allianz Parque, alegando falta de segurança em caso de uma possível queda. Após algumas reuniões, ficou definido que o jogo será mesmo no Allianz.

Palmeiras treinou nesta sexta em sua casa. Créditos: Cesar Greco/Ag Palmeiras/Divulgação

Palmeiras treinou nesta sexta em sua casa. Créditos: Cesar Greco/Ag Palmeiras/Divulgação

A partida também é cercada por uma desconfiança (por enquanto, nada mais do que isso). Em 2013, o Atlético teve em seu elenco o lateral direito Léo, pertencente ao Vitória. Após uma temporada de destaque, o Furacão exerceu o poder de compra pagando R$ 1,5 milhão no início do ano. O Flamengo entrou na jogada e ofereceu R$ 2 milhões. Alegando alto preço, o Atlético saiu da negociação e pediu o dinheiro de volta. Levou um “não”, recorreu e, no fim das contas, além de não ter o jogador e não ser reembolsado, foi multado pela justiça desportiva.

Os dois clubes ainda estão envolvidos em um calote mais antigo. O Atlético vendeu Dinei para o Vitória pelo valor de R$ 1 milhão, parcelado em dez vezes. Apenas nove parcelas foram quitadas. A última está em aberto há dois anos e, com correção monetária, os R$ 100 mil da décima parte hoje custam R$ 400 mil. O Vitória não se pronunciou sobre nenhum dos dois casos.

A confusão gera grandes dúvidas e fortes acusações. Muitos acreditam que o Atlético entregará o jogo para o Palmeiras a mando do presidente Mario Celso Petraglia, até hoje engasgado com o calote do time baiano. É verdade que Petraglia não é flor que se cheire, mas alegações de tal natureza precisam ser comprovadas. Outra mais grave vem do jornalista Juca Kfouri em seu blog. Apesar de não confirmar nada, Juca levantou a hipótese de Petraglia ter se acertado com Mustafa Contursi, figura forte dentro do Palmeiras e aliado do presidente Paulo Nobre. A amizade antiga de ambos seria a justificativa para Paulo Nobre afirmar com certeza que seu clube não cairá.

Claudinei Oliveira vai com três titulares no jogo. Foto: Gustavo Oliveira / Site Oficial do CAP

Claudinei Oliveira vai com três titulares no jogo. Foto: Gustavo Oliveira / Site Oficial do CAP

Para os crentes em teorias da conspiração, o Palmeiras não tem chance alguma de vencer o Atlético Paranaense dentro de sua nova casa por mérito próprio. Reclamam do fato do Atlético ir a campo sem os titulares no domingo, mas o técnico Claudinei Oliveira há cinco rodadas já anunciava que usaria o time reserva no último jogo. Reclamam que o clube paranaense abriu mão de contar com sua torcida em sua derradeira participação no Brasileiro 2014, sendo que esta decisão foi tomada por questões de segurança, afinal o jogo pode acabar em tragédia para a torcida palmeirense. Reclamam até da escolha do árbitro Leandro Vuaden, extremamente caseiro, e que não apitou em derrotas do Palmeiras em 2014.

Um circo foi armado. O jogo nem aconteceu, mas o roteiro está pronto. Em caso de vitória palmeirense, esta será única e exclusivamente por entregada do rival. Em caso de resultado positivo do Atlético, será porque o Palmeiras é fraco demais e nem assim conseguiu vencer.

Diante de acusações e especulações, o mais provável é que o campeonato acabe em investigação do STJD. De novo.

Comentários

Palmeirense, 23 anos. Acompanha futebol em qualquer canto. Fã da ótima geração belga.