Futebol pelo Mundo: Coimbra

Foto: Reprodução - Vista externa do Estádio Cidade de Coimbra

Foto: Reprodução – Vista externa do Estádio Cidade de Coimbra

Depois das visitas aos estádios do Celta de Vigo e do Anderlecht, os parceiros do O Futebólogo e do Doentes por Futebol assistiram a uma partida na universitária cidade de Coimbra, casa da Académica, a Briosa.

Transportando-se

A chegada ao Estádio Cidade de Coimbra é mais fácil com uma caminhada de 15 a 30 minutos da região central da cidade, variando conforme o ritmo da pessoa. Com ruas pacatas, o percurso é extremamente tranquilo e a única ressalva que merece atenção são os morros – Coimbra é marcada por eles. A distância do centro ao estádio é de cerca de 1,5-2 km e a rota pode variar um pouco – ao gosto do torcedor, que pode escolher passar pelo Jardim Botânico, pela rua dos Combatentes ou pela Avenida Emídio Navarro, com bela vista do Rio Mondego e do Parque Verde do Mondego.

Foto: Arquivo Pessoal/Wladimir Dias - Parque Verde do Mondego, em Coimbra

Foto: Arquivo Pessoal/Wladimir Dias – Parque Verde do Mondego, em Coimbra

No entanto, o adepto – como os lusos se referem ao torcedor – pode preferir se locomover de outra forma e, nesse sentido, há a opção dos táxis, que não ficam muito caros, e do ônibus, cuja linha 5 passa na zona central da cidade e chega ao perímetro do Estádio.

A experiência fora do Estádio

O entorno do Estádio em si não é convidativo ao torcedor “padrão”. Há comércio, mas não com a tradicional característica dos palcos do mundo. Não há bares, nem trailers vendendo comida ou produtos do clube. Não há sequer aglomerações – sim, o estádio fica, habitualmente, com pouca lotação. Há, todavia, restaurantes acoplados ao Estádio.

Foto: Arquivo Pessoal/Wladimir Dias - À esquerda fica o Estádio, à direita o Shopping

Foto: Arquivo Pessoal/Wladimir Dias – À esquerda fica o Estádio, à direita o Shopping

Não obstante, a experiência é bem confortável, uma vez que o Estádio é divisado por um Shopping Center, que possui, além de todas as características habituais de um centro de compras, um estacionamento de boa capacidade e integralmente gratuito, ou seja, o torcedor que possui carro tem a comodidade de deslocar-se por meio dele e deixá-lo em absoluta e total segurança.

Dentro do Shopping, que pertence à rede Dolce Vita – uma das maiores do país –, há ainda uma loja da Académica, onde é possível comprar uma considerável variedade de artigos do clube.

A experiência dentro do Estádio

O interior do Estádio segue um padrão comum à maioria dos estádios do mundo. Há lanchonetes vendendo salgados, cachorros-quentes, batatas fritas, dentre outros, e banheiros. As arquibancadas são confortáveis e o estádio, construído para a Euro ’04, está extremamente bem cuidado e tem capacidade para 30.000 pessoas – normalmente só alcançada nas partidas contra os três gigantes portugueses, Benfica, Porto e Sporting.

Foto: Arquivo Pessoal/Wladimir Dias - Cena da partida

Foto: Arquivo Pessoal/Wladimir Dias – Cena da partida

Os lugares marcados são respeitados e as torcidas da casa e rival ficam misturadas sem quaisquer problemas. O único contra a ressaltar é o fato de que alguns lugares, em função da posição dos bancos de reservas, têm visibilidade reduzida.

O jogo

O jogo em si, com a bola rolando, não foi um espetáculo nada animador. A partida, contra o Penafiel, colocou frente-à-frente, na 14ª rodada, o penúltimo e o antepenúltimo colocados da Liga Portuguesa. A bola sofreu.

View image | gettyimages.com I Ivanildo é o grande destaque da Académica

Com duas equipes carentes em talento, a tarefa de dar um mínimo de brilho ao encontro coube ao ponta direita canhoto Ivanildo, ex-Porto, atualmente na Académica, e com passagens por todas as categorias de base da Seleção Portuguesa. O jogador deu um toque de talento ao jogo, marcando um bonito gol e quase conseguindo dar a vitória ao escrete estudantil. A partida terminou em 1×1 e deixou evidenciado que o destino dos dois clubes é a briga, até o final, contra o descenso à Segunda Liga.

A torcida

Apesar de pequenina, a torcida da Briosa mostrou-se extremamente valente, protestando com veemência contra a direção do clube e seu treinador. Afinal, após anos de tranquilidade, conseguindo sempre um lugar no meio da tabela e chegando até mesmo à conquista da Taça de Portugal na temporada 2011-2012, o clube luta contra o rebaixamento e tem apresentado um futebol de qualidade muito baixa.

Além dos protestos, há outras músicas e grande parcela dos torcedores incentiva o time durante a maior parte dos 90 minutos. A torcida da Académica é pequena, mas destemida e bem disposta a alentar o time.

[youtube id=”agYCQu7o_cU” width=”620″ height=”360″]

A saída

A saída é absolutamente calma, sem aglomerações ou quaisquer manifestações menos amistosas. Exemplo claro é o fato de o ônibus do Penafiel, rival da tarde, ficar absolutamente exposto fora do estádio e permanecer íntegro, mesmo com o mal resultado do clube da casa e a possibilidade concreta de rebaixamento.

O veredito

As instalações do Estádio Cidade de Coimbra são confortáveis e o acesso é fácil. Contudo, o amante do esporte definitivamente não pode se deslocar aos domínios da Académica esperando ver uma partida de grande qualidade técnica. É possível notar uma disciplina tática e o trabalho do treinador para organizar a equipe, mas, atualmente, um jogo da Briosa é certeza qualidade técnica baixa.

Comentários

Advogado graduado pela PUC Minas, mestrando em Ciências da Comunicação (Universidade do Minho) e Jornalismo Esportivo (MARCA), 26 anos. Amante do futebol inglês, mas que aprecia o esférico rolado qualquer terra. Tem no atacante Marques e no argentino Pablo Aimar referências; e não põe em dúvida quem foi o melhor jogador que viu jogar: o lúdico Ronaldinho Gaúcho, na temporada 2004/05. Também n'O Futebólogo e na Revista Relvado.