Nem Llorente, nem Morata: Tévez precisa de um parceiro à altura

  • por Tiago Lima Domingos
  • 5 Anos atrás

Durante muito tempo, a discussão na Juventus se pautava na questão dos três zagueiros. Antônio Conte, nas suas três temporadas à frente da Velha Senhora, usou o 3-5-2 em 99% das vezes, e foi criticado por não variar taticamente. Essa discussão acabou quando Conte deixou a Juve e Maximiliano Allegri assumiu a equipe. No início, Allegri manteve a formação que foi tricampeã italiana de seu antecessor, mas, aos poucos, deu a sua cara à Juventus, implantando seu preferido 4-3-1-2 e, quando necessário, recorrendo ao esquema vitorioso de Conte.

Se a discussão acerca dos três defensores ficou para trás, outra se mantém desde a chegada de Carlitos Tévez a Turim. Melhor jogador da equipe na última temporada e vice-artilheiro do último Campeonato Italiano, Tévez carece de um parceiro de ataque à sua altura. Acreditava-se que Fernando Llorente, contratado simultaneamente ao argentino após ótimo período no Athletic Bilbao na Espanha, pudesse ser esse cara, porém, um ano e meio após sua chegada, o centroavante ainda não correspondeu. Llorente é um típico centroavante de área: alto, forte, excelente no jogo aéreo. É bem verdade que o espanhol não é um grossão com a bola nos pés, mas fica muito aquém do que a Juventus precisa. Não há diálogo com Tévez com a bola no chão e, em um time que usa pouco a linha de fundo com Evra e Lichtsteiner, a presença de Llorente em campo muitas vezes torna-se nula.

Em 15 partidas como titular na Serie A desta temporada, Llorente soma apenas 4 gols, 2 deles na goleada de 7×0 sobre o Parma. Em 2014/2015, são risíveis 5 gols em 23 jogos. Pouco, muito pouco para quem anotava 20 gols em média na Espanha.

Sabendo disso, a Juventus tentou Pablo Osvaldo em janeiro de 2014, também sem sucesso. Iniciada a nova temporada, o clube foi novamente à Espanha buscar uma companhia para Tévez. Do Real Madrid, chegou o promissor Álvaro Morata.

Morata tem um estilo um pouco parecido com o de Llorente (é alto, forte), mas é um pouco mais jeitoso com a bola nos pés e sabe jogar saindo da área. Entretanto, em seis meses na Itália, deu para notar que falta alguma coisa. Aliás, a contratação já começou errada, com a Juventus pagando absurdos 20 milhões de euros por um jogador que pouco tinha mostrado na Espanha – Morata entrava em jogos fáceis de La Liga e anotava seus golszinhos de vez em quando. Como aposta, muito bem vindo (apesar do alto preço), mas como solução do problema da companhia de Tévez, não.

Álvaro Morata foi titular apenas duas vezes na Serie A e é reserva de Llorente (a impressão que fica é que o melhor é sempre aquele que começa a partida no banco). Assim como o compatriota, Morata soma 4 gols na Série A, dois deles também anotados nos 7×0 diante do Parma, os últimos da goleada. Na temporada, são 5 gols em 20 jogos.

Morata ainda é novo e tem tempo para evoluir. Ainda não teve uma sequência de jogos como titular, o que nos falta para saber se ele pode ser esse parceiro de Tévez. A Juventus, porém, não pode mais esperar. Se na Itália Tevez dá conta e leva o ataque nas costas, na Europa a situação é diferente. Há duas temporadas a Juve sofre na Liga dos Campeões. O time avassalador nacionalmente se torna apenas mais um quando enfrenta os gigantes europeus.

Carlitos Tévez é um atacante capaz de jogar enfiado ou pelos lados, o que facilita na busca de um novo parceiro, podendo ser um centroavante de área (Dzeko, Jackson Martinez) ou um que caia pelos flancos (Jovetic, Shaqiri (contratado pela Inter agora em janeiro, onde poderia muito bem ter reforçado a Juve)). Nessa temporada, o argentino é artilheiro da Serie A com 13 gols e 5 assistências em 18 partidas. Possui mais gols que Llorente e Morata juntos.

Repito: a Juventus não pode esperar! Tem o restante da janela de inverno no mês de janeiro para encontrar um parceiro para Tévez. Caso contrário, será mais uma temporada como soberana na Itália e coadjuvante na Europa.

Comentários

Carioca e rubro-negro. Do Rio de Janeiro a Milão. Doente por futebol, é claro. E apaixonado pelo Calcio.