Respeitem o HOMEM

  • por Lulu
  • 5 Anos atrás

O Messias do Barcelona é o Maomé da vez, parece. Massacrado por polêmicas e cogitações, algumas estapafúrdias. Colidido com um treinador mediano. Questionado por veículos oportunistas de imprensa. Tratado por alguns boleiros como mau-caráter. Desmotivado pelas gafes de uma diretoria que não sabe reforçar o elenco adequadamente.

Que ironia, Lionel Messi está vendo o feitiço se virar contra o feiticeiro, deparando-se até com gente que vem cuspindo no prato que já comeu. O seu 2014 foi repleto de frustrações dentro e fora de campo, mas também recheado com bons momentos e protagonismo. Ele é capa de jornal sempre, então por que questionar seu status? Num “ano ruim” registrou 58 gols e 22 assistências em 66 jogos, números extraordinários para um meia-atacante. Num “ano ruim” se  tornou o maior goleador da história da Liga dos Campeões e do Espanhol pelo seu clube.

Decerto, o argentino involuntariamente “criou um monstro”, que o cobra num valor acima do exigido na época de Ronaldinho, Ronaldo, Figo, Zidane e Romário. Como a memória da maioria é seletiva, o que não falta é “esquecido” supervalorizando o passado e desvalorizando o presente. Não, não é bem assim. Messi não conquistou a Copa do Mundo e ficou de mãos abanando na hora de levantar taças pelo Barcelona, certo.

Porém, quem realmente o acompanha com minúcia, sabe o quão determinante ele foi e é na maioria das partidas. Quem o acompanha de perto não vê como injustiça sua aparição no prêmio da FIFA. Afinal, contando o “vice” conquistado na premiação em Zurique ontem, ele tem 4 Bolas de Ouro e quatro segundos lugares nos últimos 8 anos. Deu pra captar o volume do currículo deste gênio da bola? Então respeitem o HOMEM e o apreciem sem moderação, porque nada faz melhor ao coração.

Comentários

Homem garoto de convicções grisalhas formado em Ciência da Menstruação, Agronomia Espacial, Lirismo Marginal e Terapia Libidinosa. Com repertório vocacional fincado em irreverência, improviso, cinismo lúdico e boleiragem plena.