A Copa das Copas?

  • por Rodrigo Dornelles
  • 4 Anos atrás

O ano de 2014 ficou marcado pela disputa da Copa do Mundo no Brasil. A competição, marcada pela emoção, imprevisibilidade e jogos fantásticos, ganhou a alcunha “Copa das Copas” ainda na primeira fase. Pois 2015 pode ser a vez da “Copa das Copas” na América: a Libertadores que começa nesta terça (3) tem tudo pra ser a melhor dos últimos anos.

Credenciais não faltam para esta Copa ser, no mínimo, memorável. Nada menos que 14 das equipes participantes já tiveram a honra de levantar a taça mais desejada das Américas, um número recorde em toda história da competição.

Foto: Divulgação Conmebol - Libertadores 2015 tem recorde de campeões na disputa.

Foto: Divulgação Conmebol – Libertadores 2015 tem recorde de campeões na disputa.

Mas não é apenas pelo peso das camisas e experiência com os tortuosos caminhos da Libertadores que esta edição promete nos presentear com momentos de aflição e roer de unhas. Além da já tradicional catimba e malandragem, os estrangeiros, em especial os argentinos, nunca tiveram tantas armas para desbancar os favoritos brasileiros. Nem mesmo na temporada passada, quando o San Lorenzo quebrou a hegemonia tupiniquim e levou a taça com uma boa dose divina de sorte.

O arsenal argentino começa com uma participação conjunta de Boca Junior e River Plate. Os millonários chegam com moral de campeões da Sul-Americana e possivelmente como melhor time argentino da atualidade. O Boca, além de se agarrar à tradição, entra embalado por um 5×0 sobre o maior rival na pré-temporada. Atual campeão, o San Lorenzo tenta um bicampeonato que não acontece desde o Boca em 2000/01. Campeão argentino, o Racing volta à América com fome. Outro que já conhece bem as mazelas de La Copa é o Estudiantes. O Huracán fecha as vagas argentinas e entra como “patinho feio” entre os tradicionais.

Foto: Divulgação San Lorenzo - Cuervos tentam o bi-campeonato.

Foto: Divulgação San Lorenzo – Cuervos tentam o bi-campeonato.

Fora do eixo Brasil-Argentina, outros já velhos conhecidos do continente correm para tentar desbancar os favoritos. Do Chile, vem um Colo Colo campeão absoluto e que superou os números do Universidad de Chile de Sampaoli no Apertura nacional. E se teve o recorde quebrado no Apertura, La U tratou de retomar a marca no Clausura e será, mais uma vez, forte desafiante. Quem também merece sempre uma atenção especial é o paraguaio Libertad, que incomodou nos últimos anos e garantiu vaga com sobra vencendo Apertura e Clausura no Paraguai.

Cheia de credenciais, esta Libertadores promete agregar times fortes e bom futebol aos atrativos já costumeiros. As arquibancadas inflamadas e a boa e velha garra e disposição devem ganhar confrontos táticos e técnicos de alto nível. Agora é esperar a bola começar a rolar pelo continente para saber se a Libertadores 2015 merecerá a alcunha de Copa das Copas.

Comentários

Gaúcho de Pelotas, no "estrangeiro" (Curitiba) há 19 anos. Repórter esportivo da Rádio Banda B. Amante do futebol platino, bem pegado e bem jogado. Sim, Libertadores é muito melhor que Champions League.