Não tem graça comparar Messi e Cristiano

  • por Sérgio Lopes
  • 5 Anos atrás

http://youtu.be/FiSzxmYuIxs?t=2m10s

Quando Cristiano Ronaldo ganhou sua terceira Bola de Ouro, no começo do ano, estabeleceu para si mesmo uma meta, no mínimo, ousada: alcançar Messi já no ano seguinte, igualando o argentino que conta com quatro premiações. Mas, ao que parece, o português cutucou onça com vara curta. Desde então, Messi tem mostrado sua versão mais completa já vista como jogador de futebol.

https://www.youtube.com/watch?v=CQo5XUUKvnw

Na partida desta terça, contra o Manchester City, o argentino proporcionou um verdadeiro recital, jogando como adulto entre crianças. Certamente, uma das atuações mais impressionantes de sua carreira, mesmo sem fazer gols e ainda perder um pênalti. Um show de dribles, controle de bola, passes e lançamentos. Messi foi genial, na acepção mais literal da palavra.



Pode-se concluir também que a parceria com Neymar e Suárez tem feito muito bem ao argentino. A chegada do uruguaio, aliás, fez com que Messi voltasse pra ponta direita e se movimentasse por todo o campo de jogo, mudança que tem nos proporcionado ver o melhor craque. A função de “falso 9” não estava mais fazendo bem para ele.

Leia mais: Dicionário DPF – O Falso Nove

Não vai ser fácil para Cristiano Ronaldo vencer o desafio a que se propôs. Quando o lusitano foi premiado pela FIFA em janeiro, muito se falou sobre como tínhamos sorte em acompanhar uma rivalidade como a de Messi contra Ronaldo. Sinceramente, nunca me empolguei com isso. Sempre achei uma disputa desproporcional, tamanha a superioridade do argentino. Não acho justo ladear tal rivalidade com a de Prost contra Senna ou a de Federer contra Nadal, estas sim, acirradas. A verdade é que o barcelonista não tem rivais à altura.



Quando Messi parecia estar em declínio, o argentino, revigorado com as companhias de Neymar e Suárez, passou a demonstrar, se não a sua melhor versão, a mais completa e a mais impressionante desde a Era Guardiola. Sua atual fase serve pra nos (re)lembrar que não tem graça comparar Messi com Cristiano Ronaldo. É indiscutível a superioridade do argentino e não tem graça discutir o indiscutível.

Comentários

Baiano, advogado, amante e estudioso do futebol.