O momento mágico de Coutinho

  • por Doentes por Futebol
  • 4 Anos atrás

De aposta a certeza: A temporada de afirmação de Coutinho nos Reds
(por Israel Oliveira)

Não é de hoje que Philippe Coutinho vem demonstrando que os tempos de desconfiança e timidez dentro de campo ficaram para trás. A cada partida pelo Liverpool, desde quando foi contratado da Inter – após boa passagem por empréstimo no Espanyol – Philippe mostrava amadurecimento e dá sinais de que aquele jogador insinuante e promissor da base do Vasco da Gama não era apenas um fogo de palha.

Leia mais: Coutinho merece Seleção Brasileira

;

Na temporada passada, Coutinho foi um dos pilares do Liverpool que brigou até o fim pelo título da Premier League 13/14. O camisa 10 dos Reds jogava um futebol vistoso e muito efetivo em criar chances para seus companheiros. Não há motivo lógico que justifique sua ausência entre os 23 jogadores convocados por Scolari para a Copa do Mundo de 2014.

Leia mais: Os esquecidos por Felipão

;

Nova temporada, novas perspectivas:

Com a venda de Luis Suárez, o Liverpool renovou por completo sua comissão de frente, em um mercado mais alternativo, apostando em jogadores como Adam Lallana, Rickie Lambert, Lazar Markovic e o folclórico Mario Balotelli. Assim como a mudança de ambiente no Liverpool, seus objetivos na seleção são revigorados: Dunga é o novo técnico da amarelinha, e chegou com o discurso de renovação, de valorizar as raízes do nosso futebol aliado a um consenso tático moderno.

Porém, a renovação no Liverpool se iniciou de maneira turbulenta e decepcionante. Com diversas falhas defensivas, Raheem Sterling deficiente tecnicamente, Steven Gerrard atuando de forma horrenda no sistema defensivo e Daniel Sturridge lesionado, os reds se encontraram num tremendo marasmo dentro das quatros linhas.

CHAMADA

Leia mais: Liverpool e seu início decepcionante

O esquema que variava do 4-2-3-1 para o 4-3-2-1 (Joe Allen era o ‘coringa’ de Brendan Rodgers) sentia falta de um jogador mais agudo e fatal nas finalizações, que seria Luisito, homem que ditava a ordem do ataque vermelho, com sua intensidade e qualidade para criar chances de gol, lutar e finalizar. Também faltavam mais intensidade e disposição, não vistas em seu líder e ídolo maior Steven Gerrard.

Leia mais: Quando um vale mais que dois

Neste grande turbilhão de problemas, Coutinho brilhava, mas sem o respaldo necessário.

O amistoso de pré-temporada contra o Borussia Dortmund apontava um jogador mais afiado e confiante. Coutinho se destacava, sempre sendo a mente mais brilhante da equipe no ataque, mas faltava consistência, regularidade durante as partidas.

Muita dessa oscilação de Coutinho pode se atribuir a Brandan Rodgers, que tirou o camisa 10 da equipe em 15 oportunidades nessa temporada, sendo em apenas 2 vezes alteração para ganhar tempo. O esforçado Adam Lallana tinha a confiança do treinador, e em diversos jogos importantes roubava minutos do brasileiro, que é nitidamente mais jogador.

A progressão não deu noutra coisa senão um desastre: o Liverpool estava na calamitosa décima segunda posição no Campeonato Inglês e eliminado na Liga dos Campeões, de forma vexatória, precisando de uma vitória simples, no Anfield, contra o Basel. O empate acabou motivando Brendan Rodgers a modificar o padrão de jogo da equipe em uma eventual ‘pardalice’: o esquema da equipe seria o 3-4-2-1.

;

Novo esquema, “novo Coutinho”:

Time compacto sem a bola e profundidade sem ela, exercida pela chegada forte do meio-campo e alas. Coutinho e Sterling, os pontos de desequilíbrio.

Time compacto sem a bola e profundidade sem ela, exercida pela chegada forte do meio-campo e alas. Coutinho e Sterling, os pontos de desequilíbrio.

Na estreia de sua nova formação, apesar de ter tido boa produção ofensiva, o Liverpool sucumbiu no clássico contra o Manchester United muito em decorrência da péssima fase individual de seus defensores e da inoperância de seu ataque, completamente nulificado pelo arqueiro David De Gea.

https://www.youtube.com/watch?v=AdX5cjngeTc

Com algumas mudanças pontuais, como subida de Lucas Leiva ao time titular fortificando a marcação no meio-campo, e Emre Can, colocando mais velocidade no combate defensivo e qualidade na saída de bola, Rodgers viu sua ideia dar os resultados esperados: foram 10 jogos de invencibilidade até ser barrado pelo poderoso Chelsea na Capital One Cup, atuando de forma extremamente digna. Do meio da tabela, o clube agora almeja uma vaga para a Liga dos Campeões, estando apenas 05 pontos atrás do Manchester United.

Apesar de todos os setores terem sido beneficiados pelo novo sistema, os maiores beneficiados pelo novo molde do conjunto foram Coutinho e Sterling. Formando uma dupla de armação com Steven Gerrard, devidamente apoiada e protegida por uma linha de 4 jogadores que ficam colocados mais atrás protegendo a defesa composta por três jogadores, Coutinho vem sendo o jogador mais produtivo da equipe no momento. Lallana também estava crescendo de produção, sendo um complemento importante para a dupla Gerrard-Coutinho.

Somando o ex-jogador do Southampton, quando juntos no comando do ataque, o Liverpool foi o time que mais criou chances na Premier League.

https://www.youtube.com/watch?v=WgkhM4nrGvQ

Desde que foi incrementado ao 3-4-3, Coutinho é o jogador com mais dribles na Premier League (quinto no geral), na frente até de Eden Hazard, principal driblador da Liga.

A distribuição de passes de Coutinho contra o Arsenal. Aciona os laterais, e sabe trabalhar em qualquer espaço, acertar passes em qualquer distância. Derradeiramente vertical e direto. Fonte de dados: Squawka.com

A distribuição de passes de Coutinho contra o Arsenal. Aciona os laterais, e sabe trabalhar em qualquer espaço, acertar passes em qualquer distância. Derradeiramente vertical e direto.
Fonte de dados: Squawka.com

Desde a chegada de Coutinho na EPL, só Cazorla (19), Hazard (18) e Rooney (17) deram mais assistências que ele (16).

Posicionado na esquerda, Coutinho inferniza as defesas adversárias em sintonia afiada e veloz com Sterling. Ambos causam conflitos e confusão nos inimigos, já que o atacante inglês tem liberdade total para se movimentar.

https://www.youtube.com/watch?v=rW_KLd_xlvk

Philippe vem dando show em campo, exibindo uma qualidade técnica digna de um legítimo camisa 10: domínio de classe, diversas bolas enfiadas, inversões, assistências, dribles, diversos truques mágicos. Trata-se de um jogador capaz de transcender os números no julgamento do efetivo e causar impacto em todos seus companheiros, por tamanha inspiração e ilusionismo.

Coutinho foi eleito o melhor em campo nas partidas contra Arsenal, Leicester e Bolton. Contra os Wanderers, Philippe decidiu o jogo nos minutos finais, garantindo o passaporte do Liverpool à fase seguinte da FA Cup.

O brasileiro é o quinto maior driblador da Premier League, com 60 dribles bem sucedidos (atrás de Hazard, ChamberlainSanchez e Sterling). De fato, seus números seriam melhores caso melhorasse sua finalização, atributo ainda débil. Se conseguir melhorar neste quesito, pode garantir dominância na sua posição, graças ao extenso número de chances que acaba criando.

https://www.youtube.com/watch?v=G6sEsyl9oEc

Contra o Chelsea, em Stamford Bridge, o brasileiro teve atuação de quem pode estar entre os principais jogadores do mundo. Trabalho defensivo extremamente competente com 5 bloqueios e 3 desarmes, mas, principalmente, infernal com a bola nos pés. Das 16 jogadas individuais do time no confronto, 10 partiram dos pés de Coutinho.

Além da qualidade técnica, Coutinho demonstra muita força para aguentar divididas e disputas, algo corriqueiro do jogo inglês. Numa liga em que o jogo longo prevalece, a qualidade de Coutinho em jogar no espaço curto prevalece e faz a diferença. Sua qualidade em agir sob pressão, girar e pensar rápido são determinantes para a equipe, sempre gerando espaços e causando caos na defesa adversária. Um Chelsea espaçado foi destruído por Coutinho no primeiro jogo da Capital One Cup, e José Mourinho teve que realizar ações mais protetoras para anular esse problema. O Liverpool foi eliminado, mas a atuação de Coutinho ainda é viva para os amantes do futebol.

Brendan Rodgers está encantado com a qualidade que Coutinho tem proporcionado para sua equipe, chegando a compará-lo com Suárez:

Ele vai se tornar um world class talvez no próximo ano. Luis Suárez estava em um nível, em seguida, jogou neste time e cresceu com nosso modelo, indo para a elite dos futebolistas. Eu posso ver Coutinho (crescendo), no mesmo tipo de caminho. Ele pode não ser tão prolífico quanto Suárez era, mas está trilhando uma trajetória para atingir esse nível em Liverpool. Ele é um jogador maravilhoso. A assinatura de um novo contrato mostra que ele está realmente empenhado ao Liverpool e ao seu desenvolvimento.”

;

As atuações do meia têm chamado tanta atenção que o jogador foi eleito pelos torcedores o melhor do Liverpool no mês de janeiro. Desempenho que acabou rendendo a Coutinho um novo contrato, sendo vinculado ao Liverpool até 2020.

; Coutinho disse ao site do Liverpool:

“Estou muito feliz. É um sonho jogar por este grande clube e fazer parte desta equipe. Hoje eu comprometi meu futuro junto ao clube e estou me sentindo muito satisfeito. Este clube é grande e os fãs sempre me apoiaram, então eu estava ansioso para assinar este novo contrato desde que conversas começaram. Hoje é um dia muito feliz. Significa muito. Este clube me deu a oportunidade de jogar e acreditou em mim mesmo que eu não estava jogando regularmente no meu clube anterior. Eu tive uma grande recepção desde o meu primeiro dia aqui. Como eu sempre digo, Liverpool é uma grande família e eu sou uma pessoa feliz aqui.”

  O atacante Neymar, maior craque brasileiro na atualidade, apoiou a ideia de Coutinho ‘emular’ Luis Suarez, dizendo ao Daily Mirror:  

  “Ele pode ser o melhor jogador da Inglaterra nesta temporada. Eu acho que todo mundo na Inglaterra está vendo quão talentoso ele é – e eu sei que ele tem muito mais a mostrar. Eu acho que uma vez que Luis se juntou a nós em Barcelona, o Liverpool não teve um jogador que eles pudessem contar pra decidir e esperar algo de diferente, e acho que Couto pode ser esse jogador pra eles, tenho certeza. Quando ele tem a bola nos pés, ele pode fazer as coisas acontecerem por si mesmo e também pode fazer as coisas acontecerem para os outros jogadores. Ele é um jogador muito especial.”

  Neymar Coutinho Confiante e adaptado ao futebol mais intenso e físico, Coutinho não somente é o futuro do Liverpool, também tem tudo para ser da seleção brasileira. Em meio a uma geração carente de jogadores criativos e de armadores, Coutinho pode ser peça importante da seleção nacional, podendo formar uma dupla desequilibrante com Neymar (reeditando a dupla formada por eles nas seleções de base). Definitivamente Philippe superou toda a desconfiança por seu fracasso na bota e vem sendo um dos grandes jogadores da temporada, mostrando personalidade e cabeça boa para aumentar seu patamar na carreira. Um nome quase certo e fundamental para 2018.

;

Gols importantes e “predileção” pelo City:
(matéria atualizada em 01/03/2015)

https://www.youtube.com/watch?v=kALCy2IXfYU

Ultimamente, a confiança de Coutinho tem sido tanta que até um de seus pontos mais fracos, a finalização, tem se mostrado bastante aguçada e confiante. Nos confrontos contra Southampton e Manchester City, o camisa 10 dos Reds arriscou bastante de fora da área e foi premiado. Destaque especial para o jogo contra os citizens de Manchester, em que Philippe criou várias chances e terminou premiado com o gol da vitória e a glória de ser escolhido o homem da partida.


Philippe Coutinho amazing goal Liverpool… por Sport-Buzz

Aliás, Philippe tem se mostrado muito decisivo para o Liverpool nos últimos confrontos contra o City. Coutinho jogou 05 partidas desde quando chegou na temporada 12/13. O meia marcou excelentes 03 gols, 02 deles selando vitórias importantes para os Reds:

https://www.youtube.com/watch?v=sMu5Zn7Q3l0

;

Reconhecimento dos pares:

Philippe-Coutinho

Coutinho – em eleição feita com votos dos jogadores da Premier League inglesa – ficou na seleção que reúne os 11 melhores jogadores da temporada de 14/15:

PFA-Premier-League-Team-of-the-Year.ashx

Comentários