Christian Eriksen: A Consolidação

  • por Sikorski
  • 5 Anos atrás

https://youtu.be/35nkZp5Spi8

As arquibancadas do White Hart Lane, no norte da capital inglesa, sofreram com a ausência de seu ídolo-mor, Gareth Bale. Foram meses de inconsistências, apostas que não deram certo, contratações que não vingaram e um bom dinheiro gasto para que não houvesse nenhuma evolução. O camisa 9 do time tornou-se um fantasma, que coloriu ainda mais o estádio com seu branco nos jogos, e o camisa 10 – ou, nesse caso, 11 – não existia mais.

Christian Eriksen é um dos maiores nomes da atual boa temporada dos Spurs. A adaptação ao bom futebol precisou do restante da temporada 2013/2014 para acontecer. O meia, camisa 23 do time, mostrou sua importância e sua estrela e hoje divide o trono com a revelação Harry Kane.

Contratado junto ao Ajax por 11 milhões de euros, o dinamarquês viu a chance de brilhar por um time que abria os cofres recém-carregados na terra do chá. Da Holanda, de onde saiu festejado e reverenciado, Eriksen aportou em Londres para começar sua corrida em busca do ouro e, até agora, não vem fazendo feio.

Em sua temporada de afirmação, o jovem contabilizou 25 partidas pelo Tottenham, com 7 gols feitos e 9 assistências. O mau momento do time, que contava com um bom plantel, impediu que os números fossem maiores. Mas, nesta temporada, com o olhar do técnico argentino Mauricio Pochettino na prancheta tática dos Spurs, o dinamarquês é um elemento-chave – e muito decisivo.

Com 26 partidas jogadas na Premier League em 2014/2015, ele conseguiu balançar as redes por 9 vezes (sendo 5 delas decisivas para a vitória). O meia é livre no esquema dos Spurs, pois sua qualidade em conduzir a bola do meio do campo até a área é louvável. Colocando uma boa dose de habilidades em dribles, um pé direito calibrado e muita visão de jogo, temos o camisa 10 perfeito. Eriksen é muito mais que um armador, pois finaliza com precisão e chama a marcação quando em posse da pelota. Possui um estilo de jogo rápido e inteligente, com assistências imprevisíveis e arriscadas, e conduz a bola à lá Messi, facilitando suas jogadas. É fatal à meia distância, seja finalizando na meia lua da grande ou cobrando faltas.

Sua frieza em campo é produto da seriedade com que joga e da responsabilidade de ser o artilheiro do time. Se suas habilidades de garçom eram mais usadas que as de finalizador no Ajax, pelo qual, em 126 partidas, fez 36 gols e deu 66 passes para gols, em Londres nota-se sua evolução como referência, pois já soma 21 gols e 16 assistências em 70 partidas pelo Tottenham.

Com a pressão de ter que suceder uma geração sensacional de jogadores, como Peter Schmeichel e os irmãos Laudrup, Eriksen renova a safra e, mesmo com 23 anos, mostra que tem potencial para entrar para a história do futebol e, com certeza, do Spurs.

Comentários

Estudante, catarinense e apaixonado por futebol. Torcedor por hobby do Tottenham e grande apreciador da garra e classe do futebol europeu.