Dennis Praet, mais um talento belga

OLHO NELE - DENNIS PRAET

Afamada, a base do Anderlecht já trouxe ao mundo do futebol grandes talentos. Só nos últimos 10 anos, foram criados na base dos Mauves et Blancs jogadores do calibre de Vincent Kompany, Romelu Lukaku e Adnan Januzaj. E a equipe da capital belga não para de produzir novos e prometedores atletas. No momento, o principal expoente da equipe é Dennis Praet.

Comparado ao espanhol Andrés Iniesta, o garoto belga, de 20 anos, tem todas as boas características que formam um grande camisa 10. Sempre atuando com a cabeça erguida, o jovem tem ótimo passe, grande visão de jogo, velocidade e formidável habilidade – além de ter grande afeição pelas penetrações na área adversária.

PRAET INIESTA

Ainda que tenha feito uma campanha apenas razoável na UEFA Champions League, o clube viu seu camisa 10 se destacar com um percentual de acerto de passe de 88,9%, marcar um gol contra Galatasaray e prover duas assistências, uma contra o Arsenal e a outra no segundo jogo contra os rivais turcos. Na temporada, em 28 jogos, o garoto leva sete tentos e nove assistências, sendo o principal criador de chances do Anderlecht.

Com apenas duas décadas de vida completadas, o jogador já soma 120 jogos pelo clube belga, número impressionante. Sua estreia como profissional aconteceu na temporada 2011-2012, com apenas 17 anos. A partida de seu debute, contra o modesto Lommel United e válida pela Copa da Bélgica, marcou não só sua estreia, como também seu primeiro dia de brilho na carreira, concedendo dois passes para seus companheiros marcarem e vendo sua equipe golear por 4×0 fora de casa.

O curioso é que, embora Praet tenha passado quase dois anos nas categorias de base do Anderlecht, seu início de carreira foi no Genk, também da Bélgica e responsável por revelar figuras como Thibaut Courtois e Kevin de Bruyne. À época, já um grande destaque das seleções de base de seu país, o garoto teve a oportunidade de ir para o exterior, ocasião em que Arsenal, Barcelona, Ajax e Lille buscaram seu futebol. Não obstante, por um futuro mais certo, optou pelo clube bruxelense.

“Se eu tivesse optado pelo dinheiro, eu teria ido a outro lugar,” disse ao site da FIFA.

PRAET GENK DPF

Praet em seus tempos de Genk.

Tom de Sutter – seu ex-companheiro no Anderlecht e responsável pela comparação com Iniesta – revelou em certa altura que “ele mantém as coisas simples e não entra em pânico. Sua visão do jogo é incrível.” A maturidade de Dennis assombra. Entretanto, demonstrando mais uma vez sua grande personalidade, o garoto se mantém consciente quanto à necessidade de crescer e desenvolver características importantes para sua evolução, todavia sem arriscar-se a perder seus pontos fortes.

“Eu sei que tenho que pegar mais músculos, mas, acima de tudo, é importante que eu mantenha minhas qualidades, que são velocidade e aceleração. Lionel Messi e Andrés Iniesta não são exatamente grandes…”, disse ao site Goal.

Com contrato até o final da temporada 2016-2017, é improvável que Praet siga no modesto futebol belga até lá. Já uma realidade, seu ótimo futebol tem chamado a atenção de grandes clubes do futebol europeu e são reportados interesses de Juventus, Manchester United, Manchester City, Arsenal e Liverpool. Além de talentoso, o belga é também versátil, podendo fazer todas as funções do meio-campo ofensivo, tanto pelos flancos quanto pelo centro, algo muito valorizado no mercado europeu.

Criado do Genk e maturado no Anderlecht, o jovem vislumbra no futuro um panorama com enorme riqueza de possibilidades. Eleito o melhor jogador do futebol belga em 2014, ganhou no ano pregresso sua primeira oportunidade com a camisa da Seleção principal do país e vê sua carreira dar passos largos.

Praet ostentando seu troféu de melhor jogador do futebol belga.

Praet ostentando seu troféu de melhor jogador do futebol belga.

Sim, é clichê fazer referência à famigerada “talentosa geração belga”, a despeito disso, não é possível negar o talento de seus componentes. Dennis Praet é mais uma grande revelação do país de pouco mais de 11 milhões de habitantes e já não é difícil imaginá-lo seguindo os passos dos expoentes do futebol de sua nação.

Comentários

Advogado graduado pela PUC Minas, mestrando em Ciências da Comunicação (Universidade do Minho) e Jornalismo Esportivo (MARCA), 26 anos. Amante do futebol inglês, mas que aprecia o esférico rolado qualquer terra. Tem no atacante Marques e no argentino Pablo Aimar referências; e não põe em dúvida quem foi o melhor jogador que viu jogar: o lúdico Ronaldinho Gaúcho, na temporada 2004/05. Também n'O Futebólogo e na Revista Relvado.