10 jogadores revelados pelos pequenos do RJ que atuam na elite (Parte II)

  • por Fernando Carreteiro
  • 6 Anos atrás
DESTACADA
Imagem: Reprodução Youtube

Imagem: Reprodução Youtube

Combalidos por uma administração pra lá de medonha da Federação de Futebol do Estado do Rio de Janeiro, os clubes cariocas de menor porte têm sérias dificuldades financeiras (com exceção do Macaé “sustentado” pelos royalties do petróleo) e mal conseguem manter as portas abertas, quiçá investir no futebol de base.

Revelações dos pequenos do Rio de Janeiro são cada vez mais raras, mas sempre temos a resistência! Listamos 20 jogadores ainda na ativa que foram revelados por clubes cariocas de menor porte e atuam na divisão de elite de ligas relevantes de futebol, inclusive as emergentes ligas asiáticas.

A lista foi dividida:

Lembrando que o critério para definir um jogador como revelado por um ou por outro clube está no final do post.

FERNANDÃO :: AMERICA

peq-fernandao

O carioca José Fernando Viana de Santana, aos 19, trabalhava como vendedor de tapetes, quando foi convidado a fazer testes no America-RJ. Aprovado, atuou um pouco no sub-20 e logo assinou um contrato profissional. Após algumas atuações no time principal, foi “contratado” pelo empresário Eduardo Uram. Assim começou sua peregrinação por clubes brasileiros, até se destacar efetivamente no Brasileirão de 2013, atuando pelo Bahia. Atualmente, joga pelo Bursaspor e disputa a artilharia do Campeonato Turco.

MADSON :: VOLTA REDONDA

peq-madson

O pequeno Madson jogou desde cedo nas categorias de base do Volta Redonda, time de sua cidade natal. Fez sua estreia no profissional em 2004 e, em 2005, chegou a ser campeão da Taça Guanabara pelo time do Vale do Aço. Tudo isso ainda sob a alcunha de Micão. Abandonou judicialmente o clube, transferindo-se para o Vasco, onde ganhou projeção nacional e se tornou “Madson, o foda”. Atualmente, joga no Al Khor, do Catar.

MURIQUI :: MADUREIRA

peq-muriqui

Luiz Guilherme da Conceição Silva, mais conhecido como Muriqui, nome do distrito do município de Mangaratiba-RJ onde nasceu, atuou nas categorias de base do Madureira desde o infantil. Fez sua estreia no profissional do Tricolor Suburbano em 2004 e desde então passou a ser emprestado para diversos times, entre eles Vasco e Avaí. O atacante foi contratado pelo Atlético-MG em 2010, mas seu auge na carreira foi na China, onde se tornou artilheiro e ídolo do Guangzhou Evergrande. Hoje atua no Al Saad do Qatar.

JUSSIÊ :: GOYTACAZ

peq-jussie

Atuou nos juniores do Goytacaz, equipe da cidade de Campos dos Goytacazes, grande rival do Americano. Aos 19 anos, porém, o atacante informou ao time que teria desistido da carreira. Meses depois, apareceu no Cruzeiro. O clube do norte fluminense se sentiu enganado e uma extensa briga na justiça se iniciou. Há 8 anos, Jussiê é jogador do Bordeaux, tradicional clube francês.

P.S.: Jussiê não atuou profissionalmente no Goytacaz, mas inclui-se como revelação do clube dentro dos nossos critérios, pois pode ser considerado uma contratação do Cruzeiro para atuar diretamente nos profissionais.

CAIO :: VOLTA REDONDA

peq-caio

Um pouco mais novo, a trajetória do atacante Caio é quase a mesma do amigo Dedé. Do início de 2007 ao fim de 2008, se destacou na base do Volta Redonda. Em 2009, puxado para o time principal e após boas exibições no Campeonato Carioca, chamou a atenção de um grande do estado. No caso de Caio, o Botafogo. Atualmente, o atacante joga no Al Wasl, dos Emirados Árabes.

WEDERSON :: AMERICANO

peq-wederson

Natural de Campos dos Goytacazes, o lateral esquerdo Wederson fez toda sua formação no Americano. Estreou no time de Campos em 1999 e por lá jogou até 2001, quando se transferiu para o Inter de Porto Alegre. Passou por Vasco, Juventude e Ituano até se mandar para o futebol da Turquia em 2004. Hoje é cidadão turco, chamado de Gökçek Vederson, e atua no Mersin Ídman Yurdu, time que faz boa campanha na 1ª divisão do país.

HYURI :: AUDAX RIO

peq-hyuri

Nascido no Rio de Janeiro em 1991, Hyuri foi revelado pelas categorias de base do Audax-RJ. Passou sem sucesso pelo time B do Internacional em 2011 e retornou ao clube de São João do Meriti. Em 2013, enfim fez sua estreia no profissional do Audax. Destacou-se no Campeonato Carioca sendo, inclusive, algoz do Flamengo. Emprestado ao Botafogo para substituir Vitinho, o jogador teve um início empolgante no Brasileiro, mas não conseguiu manter o bom rendimento. Na reta final da temporada, no entanto, voltou a ganhar oportunidades. Em janeiro de 2014, o Audax-RJ aceitou proposta do Guizhou Renhe, da China, e vendeu o atleta para seu atual clube.

ALEXANDRO :: CABOFRIENSE

peq-alexcreu

O atacante nascido em Cabo Frio começou a carreira amadora jogando em um time de empresários do Mato Grosso. Lá, chamou a atenção de olheiros da Roma. Treinou dois anos nas categorias de base da equipe italiana e aos 19 anos retornou à sua cidade natal. Passou a atuar no time Sub-20 da Cabofriense, se profissionalizou e só dois anos depois foi jogar no Resende. No novo clube, ganhou da mídia a alcunha de “Alexcréu” por comemorar um gol contra o Flamengo no estadual “fazendo o créu”. Depois de rodar muito, teve boa passagem pela Ponte Preta em 2014 e acabou ganhando uma oportunidade no Emirates Club, time da 1ª divisão nos Emirados Árabes.

DIEGO FARIAS :: CAMPO GRANDE

peq-diego-farias

O Campo Grande Atlético Clube já teve seus momentos de destaque no futebol. Em 1982, venceu a Taça de Prata, equivalente à Série B do Brasileirão nos dias de hoje. Em 1991, com Roberto Dinamite e Cláudio Adão, foi o 5° colocado do Cariocão, ficando atrás apenas dos quatro grandes. De lá para cá, o time da Zona Oeste carioca sumiu dos holofotes. Porém, em 2008, revelou o atacante Diego Farias, hoje jogador do Cagliari, da Série A Italiana. Na temporada 2014/2015, Diego já soma 6 gols em 26 jogos oficiais. O Campo Grande foi o único time brasileiro em que Diego atuou. Na Itália, o jogador já defendeu as cores de Chievo, Verona, Foggia, Nocerina, Padova e Sassuolo.

MARCINHO :: VOLTA REDONDA

peq-marcinho

Pouco conhecido, o meia Marcinho nasceu em Volta Redonda e fez todo início de carreira no clube da cidade. Deixou o Voltaço em 2008, aos 22 anos, e chegou a jogar no Corinthians em 2009. Em 2012, foi para o futebol búlgaro e na última temporada se transferiu para o FC UFA, da 1ª divisão russa. É o camisa 10 e destaque do time.

::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::

Critérios para ser considerado revelado pelo clube:

Premissa: ter atuado na base e jogado pelo menos uma partida como profissional no mesmo.

Exceções:

1) Ter sido vendido da base diretamente para o profissional de outro clube brasileiro ou para um clube do exterior.

(Ex: Lucas Piazón é revelação do São Paulo)

2) Quando o jogador estreou profissionalmente em outro clube, dentro de um projeto de desenvolvimento, retornando ao clube formador.

(Ex: Wellington Nem é revelação do Fluminense, mesmo tendo estreado no Figueirense)

3) Iniciou a carreira já nos profissionais. (Ex: Gabriel, do Flamengo, é revelaçao do Bahia)

Dentro dos nossos critérios, apenas um clube se enquadra como revelador. Porém, mais de um clube pode se dizer formador do atleta, como a própria FIFA estipula.

Colaboração: 

Comentários