A evolução de Neymar no Barcelona

  • por Israel Oliveira
  • 4 Anos atrás

A chegada de Neymar ao Barcelona foi repleta de badalação e expectativa.

https://www.youtube.com/watch?v=3drIXUsi4cA

Em seu segundo jogo pelo time catalão, o garoto fez o gol que acabou garantindo o título da Supercopa da Espanha, ao marcar no empate (1 x 1) contra o Atlético de Madrid.

Se o gol contra o Atlético de Madrid prometia uma excelente temporada do brasileiro, fazendo jus a enorme expectativa de sua contratação, o desenrolar da temporada 13-14 tratou de arrefecer tais ânimos exaltados quanto a uma possível “explosão” do futebol de Neymar.  Sim, ele foi bem nos 02 derbys contra o Real Madrid, pelo campeonato espanhol, marcando um gol e provendo 3 assistências, mas a temporada – no geral – foi de adaptação e sacrifício de Neymar em prol do esquema escolhido pelo treinador.

O camisa 11 foi prejudicado pelo modelo de jogo proposto por Tata Martino, além de ter sentido na pele as diferenças de estilo do futebol no velho continente. Sua estreia no futebol europeu se resumiu a pouco protagonismo, complicações para se encaixar a um jogo (extremamente coletivo) onde ele não era referência. Jogou em diversos momentos fora de posição, sendo diversas vezes opção no banco de reservas para Pedro e Alexis Sánchez.

Capturar

Exemplo de usual utilização de Neymar por Tata Martino. O jogador era sacrificado jogando pela direita, para poder ser encaixado no time principal. A imagem se refere ao jogo contra o Real Madrid (23/03/14). Fonte: Transfermarkt

O escândalo dos valores sonegados na transferência que tirou o jogador do Santos, caso que acabou derrubando o então presidente Sandro Rosell, também entra na conta negativa.

Fonte: Jornal Marca

Fonte: Marca

Ao final da temporada, indícios animadores para o brasileiro. Foi o destaque do Barcelona na eliminatória diante do Atlético de Madrid na Liga dos Campeões, quando abandonou a timidez e foi incentivado a partir para cima do lateral direito Juanfran.

Fez o gol no jogo da ida e foi o jogador mais perigoso na eliminação no Vicente Calderón.

Terminou a temporada marcando 15 gols e provendo 15 assistências em 41 jogos disputados. Não foi uma temporada espetacular, condizente com os números vultosos (e polêmicos) investidos e Neymar seguia tendo que viver com o peso de fazer jus a dinastia histórica de craques brasileiros do Barcelona.

dinastia barcelona

;

2014/2015: Consolidação e maior intimidade com Messi

Após a demissão de Tata Martino, Luis Enrique chegou com a missão de reformular o Barcelona. O clube investiu forte no mercado e indicou um novo caminho de jogar. Um estilo de futebol menos maçante, mais vertical, mas que não abdique do protagonismo e do controle. Cenário perfeito para Neymar estourar.

O amistoso contra o Léon no torneio Joan Gamper mostrava uma das ideias do treinador: aproximar Messi e Neymar. Em seu nova função, o argentino jogaria como legítimo camisa 10, podendo se movimentar e dialogar com o craque brasileiro. Com certeza um modelo de muitos benefícios para Neymar, que gosta de pensar rápido e tirar vantagem de sua habilidade.

Uma dupla que encantaria Europa. Se antes era uma dupla apenas de interações via redes sociais (Neymar postando fotos de vestiário etc.), virou uma associação física, uma entidade pura do bom futebol. Ambos se procuram bastante em campo, tendo no começo da temporada inclusive um Neymar mais artilheiro do que a eterna referência de gols do clube catalão.

Apesar da derrota perante ao PSG, foi um jogo que comprovou a eficácia da dupla. Ambos assinalaram e infernizaram a badalada defesa parisiense.

;

Chegou quem faltava, finalmente o MSN entra em campo:

Após a estreia de Luisito Suárez, o Barcelona teve que que se reformular dentro da própria temporada. O time ganhava um pouco mais de refino técnico mas perdia em ritmo e flexibilidade, pois Suárez não voltou em sua melhor forma (nada anormal para quem ficou alguns meses sem disputar partidas profissionais). Se no primeiro jogo do MSN Neymar foi brindado com uma assistência de Suárez logo aos 2 minutos de partida, o jovem passou o resto do jogo sob as garras de Carvajal e pouco foi acionado por Lionel Messi.

Contra o Atlético de Madrid, em jogo válido pelo campeonato espanhol, uma atuação triunfante. Sua capacidade de conduzir a bola e quebrar a defesa através da individualidade foi de suma importância. Teve uma vantagem esmagadora sobre o excelente Juanfran, e o especialista em defesa Diego Simeone não encontrou soluções para brecá-lo. Se no papel, Lionel Messi ficava distante do brasileiro com seu posicionamento na ponta direita, no campo tudo se invertia.

Todo o rodízio e infiltração do argentino concederam diversas aproximações entre o trio de ataque mais letal do mundo. Enfim uma versão que beneficiasse todas as partes, propiciando que Neymar mostrasse seu melhor futebol.

Na Copa do Rei, contra o sempre aguerrido Atlético de Madrid, talvez tenha sido a atuação mais relevante de Neymar com a camisa do Barcelona. Sob a forte pressão e clima hostil do Vicente Calderón, e o estilo agressivo peculiar dos colchoneros de Simeone, não é qualquer que se agiganta e marcou dois gols. Além de tudo, induziu o ‘cascudo’ time de Cholo a fúria, graças as suas peripécias e forma irreverente de atuar. O jogador mostrava personalidade, coragem e disposição a decidir.

;

Ruídos com Luis Enrique:

Seu comportamento recente tem levantado dúvidas sobre sua relação com seu treinador. Neymar vem demonstrando descontentamento por algumas substituições durante as partidas. Algo que aparenta não influenciar sua relação profissional com Luis Enrique, pois nos últimos 04 jogos, mesmo após a reclamação acintosa acima, esteve em campo durante os 90 minutos.

Um Neymar mais letal:

Neymar lidera o ranking do time em aproveitamento em finalizações (62%) e é o quarto maior finalizador da Europa, atrás de Messi, Cristiano Ronaldo e Tévez. Dados que indicam uma versão muito mais faminta por gols, que participa menos de etapas menores longe da área, mas é cada vez mais brutal nos metros finais do gramado.

O brasileiro é dono de um poder de finalização invejável. Seu entrosamento com Suárez, principalmente Messi, lhe permite diversas oportunidades de gol, que são fruto de seu movimento sem bola, aspecto extremamente sensacional no “novo Neymar”. Ele é capaz de tabelar, de acionar o lateral, exercer tabelas curtas no ataque e tem um dribles desconcertantes.

O curioso é que o brasileiro não está entre os 10 maiores dribladores da Europa, indicando uma versão mais direta, mas que quando exigido, Neymar demonstra ter recursos suficientes em seu arsenal de jogadas.

Neymar x Lendas:

Com seus 31 gols marcados até a postagem desta matéria, Neymar já ultrapassou a temporada mais artilheira de Ronaldinho Gaúcho (26 gols em 05/06). O craque ex-Santos já superou – no ranking de artilheiros – nomes de peso da história barcelonista como Luís Figo (30 gols), Romário (39 gols), Michael Laudrup (42 gols) e Evaristo de Macedo (43 gols).

NÚMEROS EM COMPARATIVO

Os números totais de Neymar (46 gols em 83 partidas oficiais pelo Barcelona) o credenciam a poder ultrapassar os seguintes nomes ainda nesta temporada (14/15): Alexis Sánchez (47 gols), Gary Lineker (48 gols) e ninguém menos que Thierry Henry (49 gols).

Os números indicam e os resultados obtidos pelo Barcelona na atual temporada corroboram (Líder do Espanhol, Finalista da Copa do Rei e Semifinalista da Champions League) que Neymar evoluiu bastante desde sua chegada no abrir da temporada 2013 / 2014.

https://www.youtube.com/watch?v=aItdArimyjA

Aos 23 anos, o camisa 11 do Barça vai dando cada vez menos motivos para seus detratores que não acreditavam em seu sucesso no cenário europeu e dá fortes indícios de que ruma para ser um notável jogador. Talento e disposição para aprender, ele já mostrou que tem, e o Barcelona vem se provando um ótimo habitat para fomentar seu crescimento profissional.

(Atualização: 28/04/15)

Fruto direto do entrosamento cada vez maior do trio MSN, Neymar vai colhendo os frutos e batendo recordes em sua segunda temporada com o Barça:

Igualou as marcas mais goleadoras numa temporada de Raúl e Rivaldo em suas respectivas carreiras:

Igualou-se a Ronaldo com 47 gols marcados pelo Barcelona:  

;

Reta final da temporada

Finalista da UEFA Champions League e a uma vitória de garantir o título espanhol com o Barcelona, Neymar segue quebrando recordes pessoais ao lado de Suárez e Messi. Há 07 jogos marcando gols consecutivamente (09 no total), o atacante meteu 02 na derrota de 3 x 2 frente ao Bayern (12/05/15) e vai se destacando como maior goleador da temporada 14 – 15, atrás apenas dos monstros Lionel Messi e Cristiano Ronaldo.

NEY ESTATÍSTICAS

Comentários