Caiu em Itaquera…

  • por Caio Araújo
  • 6 Anos atrás
Foto: Caio Araújo

Foto: Caio Araújo

No Pacaembu, o Corinthians sempre teve números respeitáveis. Considerado por muitos a casa corintiana até 2014, o estádio foi palco de muitos títulos e vitórias do Timão, claro, sempre empurrado pela Fiel, que não ostenta esse apelido à toa.

O melhor momento do Corinthians no Pacaembu foi em 2008 e 2009, quando a equipe conseguiu uma série invicta de 26 partidas. É bom ressaltar que o fato de jogar a Série B também colaborou para essa significativa marca.

Em sua nova casa, a Arena Corinthians, o Timão demorou menos de um ano para superar a marca do Pacaembu, onde jogou por mais de 60 anos. Contra o Santos, a equipe de Tite completou seu jogo de número 29 sem perder. São 22 vitórias, 6 empates e apenas 1 derrota, esta última na estreia diante do Figueirense.

Quando vemos os números do time na Arena, esquecemos que nem sempre o estádio foi temido pelos adversários. A diferença, tanto do time, quanto da torcida, ao longo dos meses é nítida e reflete no retrospecto. Além de perder logo na estreia, o Corinthians também não conseguiu vencer em sua segunda tentativa. Empatou contra o Botafogo por 1×1. A primeira vitória veio apenas depois da pausa para a Copa do Mundo, contra o Internacional por 2×1. Mas não foi suficiente para a equipe deslanchar. Nos primeiros sete jogos, foram apenas três vitórias, três empates e uma derrota. Aproveitamento de 57%, considerado baixo, principalmente para um time do porte do Corinthians e que sempre fez valer seu mando no Pacaembu.

Aos poucos, o estádio foi deixando de ser novidade e atração turística, para virar o caldeirão que a torcida imaginava quando a Arena ainda estava na maquete. Durante o Brasileiro, os números começaram a ser revertidos. O Corinthians ganhou todos os clássicos em sua nova casa, além de jogos importantíssimos para a campanha que classificou o time à Libertadores, como contra o Grêmio e Atlético Mineiro.

Em 2015, a boa sequência se mantém, tendo como principais jogos os três que a equipe fez pela Libertadores: Once Caldas, São Paulo e Danúbio. Na competição, foram 10 gols marcados e nenhum sofrido.

Os números não são apenas um mero acaso. Alguns fatores justificam o excelente aproveitamento do time em Itaquera. O principal deles, obviamente, é a torcida que sempre comparece em bom número, tendo uma média próxima a 30 mil pagantes desde que foi inaugurado o estádio.

© Daniel Augusto Jr/Agência Corinthians

© Daniel Augusto Jr/Agência Corinthians

A proximidade dos torcedores é outra coisa que ajuda muito o time. A torcida, que já é conhecida por jogar junto com os atletas, praticamente entra em campo. As arquibancadas ficam a menos de dez metros do gramado.

A Fiel já fazia muito barulho no Pacaembu, um estádio aberto e com pouca acústica. Na Arena Corinthians, a acústica foi planejada para ter um efeito duplicado em relação à antiga casa. O volante Petros já relatou que é muito difícil ouvir o Tite durante o jogo.

E o último fator importante é o gramado, que acelera muito o jogo. Em toda partida ele é molhado e a altura da grama é muito baixa. Quem não está acostumado a jogar lá, certamente sente a diferença. É comum ver jogadores do time visitante escorregando.

Embora os números sejam impressionantes, principalmente pelo pouco tempo de Arena, a Fazendinha ainda detém o recorde absoluto de invencibilidade do clube, com 49 jogos nos anos 50. Mas o futuro em Itaquera é promissor e essa marca pode ser apenas uma questão de tempo para ser batida.

Comentários