Na fantástica temporada do Sevilla, o céu é o limite

UNAI EMERY

Vindo do título da Europa League na última temporada, o Sevilla quer mais no ciclo de 2014/15. Na Supercopa Europeia não foi possível fazer frente ao Madrid de James, Kroos, Modrić, Bale, Cristiano Ronaldo e Benzema. A derrota, mesmo que esperada, não baqueou os sevilhanos.

O começo do Campeonato Espanhol não foi fácil, com o time tendo que encarar Valencia, Espanyol, Real Sociedad, Villarreal, Athletic e Atlético. Apesar disso, nos dez primeiros jogos, foram sete vitórias e um flerte muito forte com as primeiras posições. Em duas rodadas, o time esteve à frente até do Barcelona.

Paralelo a isso, o Sevilla participava da Europa League e da Copa do Rey. Na competição continental, passou pela primeira fase com 11 pontos no grupo com Ferynoord, Rijeka e Standard Liège. Na Copa do Rey, o time enfrentou o Sabadell e o Granada antes de parar no Espanyol pelas quartas de final.

Na Espanha, a equipe de Emery terminou o 1º turno em 4º, nove pontos atrás do líder Real Madrid, vivendo grandes momentos. Na Europa League, o adversário do primeiro mata-mata foi o Borussia Monchengladbach. Duas vitórias (1×0 e 3×2) colocaram o Sevilla à frente do Villarreal na fase seguinte.

Apoiado na grande fase de Vitollo e Carlos Bacca, o time atropelou o Villarreal com mais duas vitórias (3×1 e 2×1) e iniciou uma fase fantástica na Espanha. A derrota para a Real Sociedad dia 22 de fevereiro foi a última na temporada. De lá pra cá, foram 13 jogos, sendo 10 vitórias e 3 empates. O Sevilla oscilou, perdendo posições, mas se manteve na briga por uma vaga na Champions – hoje, está a dois pontos de passar o Valencia e consegui-la.

Por falar em invencibilidade, a do Sevilla em casa é impressionante. São 25 jogos na temporada, com 20 vitórias e 5 empates, 53 gols marcados e 13 sofridos. Mas a invencibilidade vai além da atual temporada, é de mais de um ano – a última derrota em casa foi no dia 13 de março de 2014. Desde então, foram 32 vitórias e 6 empates.

Individualmente, o time de Unai Emery tem alguns destaques. Carlo Bacca, que completou 100 jogos com a camisa do Sevilla contra o Zenit, marcou 21 vezes na temporada. Logo atrás dele, está Kevin Gameiro, o homem que entra nos minutos decisivos e define. São 15 gols no ano, média de um a cada cem minutos. Aspas e Vitollo vêm com 10 e 9, respectivamente. O primeiro é opção na reserva, o segundo, peça fundamental a partir da ponta esquerda.

O 4-2-3-1 do Sevilla contra o Monchengladbach, pela Europa League.

O 4-2-3-1 do Sevilla contra o Monchengladbach, pela Europa League.

Ainda na montagem do time, Alexis Vidal, o ponta-direita, é outro que se destaca muito, pela velocidade e poder de penetração que imprime. Krychowiak, Banega e Iborra também são fundamentais no time de Emery, que segue na busca pelo bi da Europa League (hoje está nas semifinais).

Contra o Zenit, o Sevilla chegou aos 51 jogos na temporada. São 33 vitórias, 8 empates e 10 derrotas, com 98 gols feitos e 56 sofridos.

Restam ao menos oito rodadas (duas pela Europa e seis pelo Espanhol). E o objetivo é bem claro: uma vaga na Champions League 2015/16. O time pode conseguir via Europa League ou via Espanhol, mas, na temporada dos sonhos do Sevilla, o céu parece ser o limite.

Comentários

Estudante de jornalismo. Redator e editor no Taticamente Falando. Colunista no Doentes por Futebol. Contato: [email protected]