Sorrateiro, Áustria Viena influencia diretamente nas primeiras colocações da Bundesliga

Curta o Futebol nos Alpes no Facebook e siga no Twitter.

Quem pensa que o Áustria Viena, campeão austríaco da temporada 2012/2013, encontra-se morto na atual edição da Bundesliga, está redondamente enganado. Mesmo na modesta sétima colocação, o time agora comandado por Andreas Ogris (Gerald Baumgartner caiu após perder para o Ried em casa, no final de março) influencia diretamente nas primeiras colocações nesta reta final do campeonato.

Isso porque, com o Austriacão entrando em sua reta final, a briga pelo título vai ficando consolidada entre Red Bull Salzburg e Rapid Viena – com Rheindorf Altach correndo por fora. E ambos os candidatos ao título enfrentaram o time 25 vezes campeão da Bundesliga recentemente, um se saindo bem, enquanto o outro não.

O Áustria sabe que não pode mais ser campeão - mas isso não quer dizer que deixará de incomodar os líderes (Foto: Reprodução/Áustria Viena)

O Áustria sabe que não pode mais ser campeão – mas isso não quer dizer que deixará de incomodar os líderes (Foto: Reprodução/Áustria Viena)

Como se sabe, a primeira divisão da Áustria conta somente com dez equipes – todas se enfrentam em sistemas de turno, returno, mais um turno e um último turno. Sim, durante a temporada, existem quatro encontros entre as equipes. Estamos no começo do “quarto encontro”, quando passam a ser definidos tanto os candidatos ao título quanto ao rebaixamento – lá, há somente uma queda por temporada.

E, no começo deste estágio (iniciou-se agora, nesta 27ª rodada), quem está se destacando não é o líder Salzburg e nem o ascendente Rheindorf, mas sim o próprio Áustria. Não pelo fato de estar reagindo na competição – é uma das equipes mais irregulares desta temporada -, mas sim por conseguir influenciar diretamente, mesmo de longe, nas primeiras colocações do campeonato.

Como dito acima, Salzburg e Rapid enfrentaram recentemente o Áustria. Primeiro o clube alviverde, que acabou sendo derrotado pelo placar de 2×1, na única derrota do Rapid e apenas a segunda vitória do Áustria em 2015 (a primeira, só para não passar em branco, foi contra o Rheindorf, 3º colocado). Depois, neste último sábado (4), foi a vez de Salzburg e Áustria se enfrentarem, e o confronto terminou com vitória do time da Red Bull por 3×1.

Áustria venceu o Clássico de Viena - o suficiente apenas para prejudicar seu arquirrival, Rapid (Foto: Reprodução/Áustria Viena)

Áustria venceu o Clássico de Viena – o suficiente apenas para prejudicar seu arquirrival, Rapid (Foto: Reprodução/Áustria Viena)

Desde a derrota para o Áustria, o Rapid emplacou uma sequência de três vitórias, mas ainda assim não consegue colar no líder Salzburg. Isso porque tem no meio uma diferença de seis pontos entre ambos – que só existe graças ao arquirrival de Viena. Foram três pontos tirados no Clássico de Viena e outros três pontos dados ao atual líder da competição. Seis pontos que podem ser cruciais lá na frente.

Irregular, o Áustria vai se afundando nesta edição da Bundesliga e, mesmo com técnico novo, dificilmente conseguirá emplacar uma reação que resulte em uma vaga para competições europeias – Rheindorf e Sturm Graz fizeram um ótimo “terceiro turno” e vão embalados para o quarto e último. Nesta melancólica situação, o que sobrou para os Violetas foi mesmo tirar pontos dos primeiros colocados – e atrapalhar o arquirrival na busca pelo seu 26º título da Bundesliga.

Rapid Viena só deixou o concorrente Red Bull Salzburg escapar graças ao tropeço em cima do Áustria (Reprodução/Rapid Viena)

Rapid Viena só deixou o concorrente Red Bull Salzburg escapar graças ao tropeço em cima do Áustria (Reprodução/Rapid Viena)

O campeonato para durante esta próxima semana para as disputas das quartas de final da Copa da Áustria. No próximo final de semana, inicia-se a última etapa do nacional, com um duelo entre Rapid Viena x Red Bull Salzburg. Com a ajuda do Áustria ao RB, resta ao Rapid, que jogará em casa, tratar esta partida como uma “primeira” final. Precisa vencer e diminuir a diferença para três pontos.

Mesmo que isso aconteça, isso não significa muita coisa. Mais para frente, no dia 15 de maio, teremos outro Clássico de Viena – agora com mando de campo do Rapid. Esta, sim, deverá ser tratada como a “verdadeira finalíssima” do Austriacão. Será o jogo que o Rapid precisará vencer, quebrar as barreiras que o “chato” Áustria coloca em seu caminho e provar para todos que só depende de si próprio para continuar na luta pelo título.

Comentários

Estudante de Jornalismo. Foi editor de futebol alemão e holandês na VAVEL Brasil e cofundador da VAVEL Portugal. É blogueiro do Bayern no ESPN FC (projeto da ESPN Brasil) e completamente Doente por Futebol.