A loucura está voltando! Em dois jogos, o Rangers pode retornar ao seu lugar

  • por Doentes por Futebol
  • 4 Anos atrás

Vitória no confronto diante do Hibernian manteve vivo o projeto de voltar à 1ª divisão

Por Bruno Cassali, de Edimburgo-ESC

Após um processo de falência iniciado em 2011/12, o Glasgow Rangers está a dois jogos de voltar à elite do futebol escocês e reviver a rivalidade contra o Celtic – que ultrapassa os limites das quatro linhas do gramado. Direto da capital da Escócia, Edimburgo, fui o único jornalista brasileiro a cobrir in loco as semifinais do playoff de acesso diante do Hibernian. E, com exclusividade para o DPF, reporto o processo de ressurreição desse gigante.

Tribuna de imprensa de Easter Road recebeu apenas um jornalista brasileiro para a decisão

Tribuna de imprensa de Easter Road recebeu apenas um jornalista brasileiro para a decisão

Dez e meia da manhã de sábado. Edimburgo, capital da Escócia, acorda com um raro sol à mostra para celebrar o jogo do ano até aqui. Enquanto o Hearts, outro time da cidade, fez campanha tranquila para vencer a Championship Escocesa (aqui, como na Inglaterra, equivalente à 2ª divisão), o Hibernian vive o pesadelo que nenhum fã queria: decidir contra o gigante Rangers uma vaga na final dos playoffs de acesso/descenso.

Em 2014/15, com a supremacia do Celtic durando quatro anos na Primeira Divisão, era de senso comum que o campeonato mais atrativo do país seria a Segundona e seus três grandes: Rangers, Hibs e Hearts. Era a primeira vez que a Scottish Premier League não teria nenhum time da capital – ambos rebaixados na temporada 13/14. E a subida do Rangers traria mais emoção para essa disputa.

No confronto semifinal, a passagem do Rangers começou a ser construída na última quarta-feira, em Ibrox, casa dos azuis em Glasgow. Diante de 41.236 torcedores, Nicky Clark e Kenny Miller, dupla de ataque azul, assegurou o 2×0 no placar aproveitando as únicas duas chances do time de Glasgow no jogo. Com um Rangers extremamente físico montado por Stuart McCall, era consenso na imprensa local que o Hibernian teria que “parir tijolos” para reverter a desvantagem.

Escalações de Hibernian e Rangers para a semifinal dos Playoffs na Escócia

Escalações de Hibernian e Rangers para a semifinal dos Playoffs na Escócia

No sábado, a promessa era de um ataque vs. defesa em Easter Road (o estádio do Hibs, que tem o mesmo nome da principal rua de Leith, o bairro do clube, mas não fica na bendita Easter Road. Vai entender…). Diferente do último jogo entre as equipes nesse estádio, o Rangers teve direito a apenas metade da arquibancada sul, em ação preventiva de segurança dos donos da casa.

Na Escócia, é grande a má fama da torcida do Rangers enquanto visitante. Nada que surpreenda fãs brasileiros, acostumado com ações depredatórias de quem visita arenas alheias. O povo escocês é bastante contido e respeitoso. Porém, após a terceira cerveja, o autocontrole dos nativos é escanteado e eles, digamos, ficam amáveis e insanos na mesma proporção. Gritos e abraços são seguidos a empurrões e discussões em segundos com as mesmas pessoas. Tudo em discursos num inglês carregado de sotaque: os “Glaswegian”, como são chamados os nascidos em Glasgow, tem de longe o acento inglês mais difícil de compreender.

Após uma primeira metade de temporada discreta, o Rangers mudou tudo entre dezembro e março. No final de 2014, Ally McCoist, responsável pelos dois primeiros acessos nessa reconstrução do clube, foi demitido. Em seu lugar, o interino Kenny McDowall ficou até março, mas não tinha a simpatia dos novos donos do clube. Stuart McCall assumiu a equipe 22 pontos atrás do líder Hearts – e com um recorde negativo de uma única vitória nos últimos sete jogos.

Alan Stubbs, jovem e conceituado treinador dos verdes da capital, montou o Hibernian de forma ofensiva, apostando nos “armandinhos” de meio-campo Fyvie (ex-Reading), Allan (cria da base) e McGeouch (emprestado pelo Celtic) – nenhum com mais de 1,70m de altura, mas todos dominantes com a bola nos pés. McCall retirou o atacante Clark para colocar o volante Murdoch, montando o time no 4-5-1 e dando a responsabilidade ao jovem da base anular Allan, camisa #20 e cérebro da equipe da capital.

Dez minutos antes da partida, estádio ainda vazio aguarda o término do aquecimento dos times

Dez minutos antes da partida, estádio ainda vazio aguarda o término do aquecimento dos times

O retrato do jogo foi exatamente como McCall havia planejado. Com o meio-campo congestionado, a pressão dos donos da casa foi eficiente apenas no abafa inicial, nos primeiros 15 minutos. A experiência de Nicky Law e Haris Vuckic no meio-campo garantiu a tranquilidade do Rangers. Só aos 94min a defesa azul foi vazada – mas o gol de Cummings, artilheiro da temporada na Championship com 19 tentos, de nada adiantou.

A festa em Easter Road foi dos visitantes, mas o show foi da torcida do Hibernian. Mesmo com a derrota no resultado agregado por 2×1, os 13.217 aficionados presentes na torcida verde e branca aplaudiram os jogadores e o técnico Alan Stubbs por mais de dois minutos ao som de “Glory Glory to the Hibbes”, coro católico adaptado para o time. Na entrevista coletiva, até o comandante adversário ressaltou a importância do apoio incondicional dos fãs do Hibs. “Foi um espetáculo digno de Primeira Divisão. Uma pena que um de nós tenha que ficar pelo caminho. Pra nossa sorte, foram eles”, disse Stuart McCall.

Stuart McCall chegou com a temporada em andamento e pode ser o herói do acesso do Rangers.

Stuart McCall chegou com a temporada em andamento e pode ser o herói do acesso do Rangers.

Há três anos, desde quando a falência foi decretada, os torcedores do Rangers sonham com o que pode acontecer nessa semana. E é aqui que o destino pode aprontar das suas. O adversário agora será o Motherwell, provavelmente o time que mais aproveitou a ausência do Rangers na elite para conquistar glórias: foi segundo colocado nas temporadas 12/13 e 13/14 sob o comando de… Stuart McCall. O atual técnico do Rangers definiu bem a situação: “Tenho amigos, quase irmãos no clube. Mas, hoje, precisamos recolocar o Rangers no seu devido lugar, a Scottish Premier League”. No domingo saberemos quem se dará melhor.

Comentários