Marquinhos, o esforçado

  • por Gustavo Ribeiro
  • 5 Anos atrás

marquinhos-cru-dpf

O gol marcado aos 37′ do segundo tempo no Monumental de Núñez comprovou, mais uma vez, que Marquinhos é essencial a esse atual Cruzeiro. Queira a torcida ou não. Ao contrário do time dos dois últimos anos, que se destacava pela troca de passes, movimentação e tabelas, o atual tem como ponto forte a marcação-pressão e a velocidade. E isso faz com que Marquinhos ganhe cada vez mais importância no esquema de Marcelo Oliveira.

Marquinhos chegou ao Cruzeiro em 2014, podendo ter sua última chance em um grande clube. Com 24 ano na época, o atacante chegava sob desconfiança após boa passagem pelo Vitória, clube que o revelou e onde teve sua melhor fase, mas já tendo fracassado no Flamengo e no Palmeiras. E em sua primeira temporada, se revezando entre a reserva e a titularidade, foi peça importante na conquista do bicampeonato brasileiro. Mas, em 2015, após as saídas de várias atletas, Marquinhos ganhou a confiança de Marcelo Oliveira e a titularidade absoluta.

O atacante baiano já tinha em mente que a tarefa não seria nada fácil, já que ganhou a responsabilidade de guiar um ataque que foi desmontado durante a pré-temporada. Em 2014, o Cruzeiro disputou 69 jogos e marcou 124 gols, sendo 58 deles marcados por Marcelo Moreno, Ricardo Goulart, Everton Ribeiro e Dagoberto. Todos deixaram o clube após a conquista do Brasileirão.

Com um começo de temporada com atuações irregulares como todo o time, Marquinhos era um dos mais contestados. Jogando na função e posição que eram de Everton Ribeiro, o craque da conquista dos dois Campeonatos Brasileiros, já era mais do que esperada a cobrança pesada. Ao contrário de Everton, Marquinhos não tem a visão de jogo mais apurada, não é especialista em assistência e nem em fazer golaços, mas, com força de vontade, o atacante, aos poucos, parece ganhar a confiança da torcida com boas atuações e gols decisivos.

O jogo de volta, válido pelas oitavas de final contra o São Paulo, deixou bem clara a importância de Marquinhos a esse atual Cruzeiro. Escalado no lado direito do trio de meias do 4-2-3-1 implantado por Marcelo Oliveira, o atacante foi uma ótima válvula de escape para um time que tem dificuldade em manter a posse de bola e abusou dos lançamentos e enviadas de bola para o camisa 30 ganhar na corrida durante toda o jogo.

Marquinhos pode não ter a habilidade e visão de jogo de Everton Ribeiro ou a força física e faro de gol de Ricardo Goulart, mas a aplicação durante os noventa minutos compensa em muitas ocasiões. Colocado por muitos como o queridinho do técnico Marcelo Oliveira, Marquinhos vem fazendo por merecer a titularidade e os números ajudam a explicar: No ano de 2015, o atacante já disputou 18 jogos, marcou cinco gols e distribuiu cinco assistências.

Na Libertadores, Marquinhos é o jogador do time que mais dá passes para seus companheiros finalizarem a gol (16), superando Mayke (15) e De Arrascaeta (14). É também o jogador que mais acerta cruzamentos no time (9), mas também é o que mais erra (33). Além de ser um dos jogadores que mais recebe falta no time (11), Marquinhos é também quem mais dribla certo (9).

Em um time que ainda está se ajustando, procurando sua melhor formação, e que cresce durante a temporada, Marquinhos vem se destacando. Longe de ser o mais técnico, o atacante baiano, com muita força de vontade, vem comprovando a cada jogo sua importância para o time.

Comentários

Projeto de jornalista, mineiro, 20 anos. Viu que não tinha muito futuro dentro das quatro linhas e resolveu trabalhar dando seus pitacos acompanhando tudo relacionado ao futebol, principalmente quando a pelota rola nas canchas dos nossos vizinhos sul-americanos. Admirador do "Toco y me voy" argentino, também escreve no Sudaca FC e tem Riquelme e Alex como maiores ídolos.