São Paulo e Cruzeiro e o histórico em mata-mata

  • por Gustavo Ribeiro
  • 4 Anos atrás

Cruzeiro e São Paulo mais uma vez se enfrentam em mata-mata. Assim como ocorreu em 2009 e 2010, os dois clubes voltam a protagonizar um grande duelo pela Copa Libertadores. Acostumados a disputar títulos e sempre figurando na parte de cima dos campeonatos que disputam, ambos já tem um histórico de grandes jogos e prometem fazer mais um confronto histórico.

A seguir, a lista de confrontos de Cruzeiro e São Paulo em mata-mata: 

;
COPA DO BRASIL 1993 – QUARTAS DE FINAL
;
Após passarem sem grandes dificuldades pelas oitavas de final, Cruzeiro e São Paulo se encontraram nas quartas de final da Copa do Brasil. O jogo de ida aconteceu em Maio, no Morumbi. Com gols de Tota e Boiadeiro, a equipe celeste venceu por 2×1, levando um ótimo resultado para Belo Horizonte. Na volta, tento apenas que administrar o placa, a equipe celeste passou um tremendo susto, vendo a classificação ficar sob risco.
;
Dominando o jogo desde os minutos iniciais, o Cruzeiro parou na trave e na ótima atuação do goleiro Gilberto. Mas ainda na primeira etapa, Cleison sai na cara do gol e, com frieza, dribla o goleiro para abrir o placar. No início do segundo tempo, Elivélton logo empatou para a equipe paulista, que não teve muito tempo para comemorar, já que Cleison empatou logo em seguida. Aos 18 da segunda etapa, Douglas empatou o jogo e o São Paulo, mesmo pressionando, não conseguiu furar a defesa cruzeirense que, com o resultado, se classificou para as semifinal. Vale lembrar que nesse ano, o Cruzeiro conquistou a primeira de suas quatro taças da competição.
;
FINAL DA RECOPA SUL-AMERICANA DE 1993
O jogo colocava frente a frente o campeão da Libertadores de 1992 e o campeão da Supercopa Libertadores do mesmo ano. Comandado por Telê Santana, o time paulista tinha no elenco jogadores como Zetti, Cafu, Toninho Cerezo, Palhinha e Leonardo. Do lado mineiro, destaque para nomes como o de Nonato, Boiadeiro e, apenas começando a carreira, um tal de Ronaldo.
 ;
No jogo de ida, disputado no Morumbi, um fato chamou a atenção. Além de ser a final de um torneio continental, a partida também foi válida pelo Campeonato Brasileiro da época. Isso por causa do medonho calendário organizado pela CBF e pela Conmebol. Mas dentro de campo, as duas equipes não saíram do 0 a 0 e a decisão ficou para a semana seguinte, no Mineirão.
;
Em Belo Horizonte, o placar também não foi alterado e o título foi decido nos pênaltis. No lado tricolor, Dinho, Cafu, Válber e Ronaldão converteram, enquanto, pelo lado celeste, Paulo Roberto e Ronaldo, com seus 17 anos, desperdiçaram e o título ficou com o São Paulo.
 ;
COPA OURO 1995
;
A Copa Ouro foi apenas uma das muitas competições criadas pela Conmebol na década de noventa. Independiente (campeão da Supercopa Libertadores 1994) e Vélez (Campeão da Libertadores 94) desistiram de disputar o torneio, que teve apenas Cruzeiro (campeão da Copa Master 95) e o São Paulo (campeão da Copa Conmebol 94).
 ;
O primeiro jogo, disputado no Mineirão, foi repleto de polêmicas. Com sete minutos de jogo, Palhinha abriu o placar e colocou o time paulista na frente, mas logo depois, Wilson de Souza Mendonça entrou em ação. Apenas no primeiro tempo, o árbitro expulsou os zagueiros Rogério e Vanderci – o primeiro por uma falta dura e o segundo por reclamação. No início da segunda etapa, Marcelo Ramos e Fabinho, também por reclamação, receberão o vermelho e a equipe celeste teve  que atuar apenas com sete na linha.
 ;
A partida de volta aconteceu duas semanas depois, num Pacaembu vazio, com menos de cinco mil pagantes. Mesmo com vários desfalques por causa da partida de ida, a equipe celeste não hesitou e procurou o gol o tempo até que, aos 13 do segundo tempo, Dinei abre o placar e deixa tudo igual no agregado. Para definir o campeão, mais uma vez as duas equipes se enfrentaram numa decisão por pênaltis. Enquanto Bordon e Alemão fizeram para o São Paulo, Paulinho McLaren, Nonato, Alberto e e Baresi fizeram para a equipe celeste, que levou a taça para Minas.
 ;
COPA DO BRASIL 2000 – FINAL
 ;
Depois de passar por Paraná, Caxias, Atlético Paranaense, Botafogo e Santos, o Cruzeiro mais uma vez encontraria o São Paulo numa decisão de mata, em mais uma final. Comandado por Levir Culpi, o São Paulo não conseguiu fazer o valer o mando de campo e viu o Cruzeiro levar um 0x0 para o jogo da volta no Mineirão.
 ;
O empate com gols beneficiava o São Paulo, que abriu o placar no segundo tempo com Marcelinho Paraíba em falha do goleiro André. Mas o gol sofrido fez apenas o time celeste atacar mais e encurralar o time paulista em seu próprio campo. Aos 35 minutos, após belo passe de Miller, Fábio Júnior chutou cruzado e empatou tudo no Gigante da Pampulha. Mas o empate com gols dava o título para o São Paulo e a equipe mineira continuou persistindo até que, aos 47 minutos, em cobrança de falta, Giovanni bateu rasteiro, a bola passou no meio da barreira e Rogério Ceni falhou. O Cruzeiro conquistava seu terceira Copa do Brasil.
;
COPA LIBERTADORES 2009 – QUARTAS DE FINAL
 ;
Cruzeiro e São Paulo faziam o grande jogo das semifinais da Libertadores daquele ano. Ambos eram colocados como os melhores times brasileiros da época e protagonizaram um grande confronto. No jogo ida, Leonardo Silva subiu mais alto que a zaga tricolor a abriu o placar. Mas no começo da segunda etapa, Washington  empatou e calou o Mineirão por alguns minutos. Mas não demorou e a torcida voltou a alentar e, aos 20 minutos, Jonathan  cruza e Zé Carlos escorou  para fundo do gol, colocando o Cruzeiro na frente novamente.
 ;
No jogo de volta, disputado no Morumbi, o Cruzeiro mudou seu estilo, sendo mais cauteloso e jogando com o regulamento debaixo do braço. Aos 21′ do segundo tempo, Henrique soltou um PETARDO de fora da área, abrindo o placar e calando os mais 50 mil presentes no Morumbi. E aos 35 minutos, Kléber converte o pênalti para sacramentar de vez a vitória e classificação para a semifinal.
 ;
COPA LIBERTADORES 2010 – Quartas de final 
 
Quase um ano depois, lá estavam Cruzeiro e São Paulo se enfrentando em mais um mata-mata. Mas ao contrário de 2009, foi o São Paulo que saiu vitorioso. Com duas vitórias, ambas por 2×0, o tricolor paulista conseguiu se classificar para a semifinal até com certa facilidade. 
 
Na ida, uma vitória por 2×0 em um Mineirão lotado. O Cruzeiro, com um vários remanescentes do vice-campeonato da Libertadores de 2009, teve sua pior noite na competição e viu Dagoberto e Hernanes, com um gol cada, dificultarem a caminha rumo ao tricampeonato da competição.
 
Na volta no Morumbi, o São Paulo tinha apenas que jogar com o regulamento debaixo do braço, mas viu a expulsão de Kléber, no começo do jogo, facilitar anda mais a missão. Com um mais e com a vantagem no placar, o São Paulo não encontrou dificuldades. E com Hernanes e Dagoberto novamente, o tricolor paulista fez 2×0 e confirmou sua classificação para as semifinal da competição. 
No total, foram 12 jogos disputado entre ambos com cinco vitórias cruzeirenses, três vitórias tricolor e quatro empates. 
Comentários

Projeto de jornalista, mineiro, 20 anos. Viu que não tinha muito futuro dentro das quatro linhas e resolveu trabalhar dando seus pitacos acompanhando tudo relacionado ao futebol, principalmente quando a pelota rola nas canchas dos nossos vizinhos sul-americanos. Admirador do "Toco y me voy" argentino, também escreve no Sudaca FC e tem Riquelme e Alex como maiores ídolos.