Apesar dos erros, Lopetegui merece ficar

  • por Levy Guimarães
  • 5 Anos atrás
Foto: FC Porto / Facebook Oficial

Foto: FC Porto / Facebook Oficial

O fim de temporada não tem sido nada fácil para Julen Lopetegui. Após o seu primeiro ano no futebol português, o técnico do Porto não para de receber críticas vindas de torcedores e imprensa, com parte desses críticos pedindo, inclusive, a saída do espanhol. Chegou-se a especular que o clube tentaria a contratação de Marco Silva, treinador do Sporting.

E o principal argumento dos críticos de Lopetegui, apesar de bem simples, não deixa de ser bastante válido: com um elenco caro, que é indiscutivelmente o melhor do futebol português nos últimos anos, o Porto sai da temporada 2014/2015 com nenhum título. Oportunidades para isso não faltaram, já que no Campeonato Português, por exemplo, o campeão Benfica cometeu alguns sérios deslizes no segundo turno e os Dragões não conseguiram aproveitar. Sempre que o Benfica empatava ou perdia, na mesma rodada, o Porto repetia o resultado e a distância se mantinha. A desclassificação para o fraco Marítimo na Taça de Portugal, o traumático 6×1 sofrido contra o Bayern na Champions League e a performance ruim nos confrontos diretos contra o Benfica também marcaram negativamente a época portista.

Além disso, o Porto mostrou dificuldades para variar o seu estilo de jogo quando encontrava equipes bem postadas na defesa. Em muitos casos, o time azul e branco era previsível, concentrando as jogadas pelos lados do campo e dando pouca verticalidade ao setor ofensivo. Outra crítica dirigida a Lopetegui é a incapacidade de reconhecer os próprios erros nos resultados ruins obtidos pelos Dragões e a facilidade para cair nas habituais provocações de Jorge Jesus (como no vídeo abaixo com o “cumprimento” entre ambos após o 0x0 contra o Benfic,a em Lisboa, que deixou os Encarnados a um passo do título).


Porém, há alguns pontos positivos a serem destacados em seu trabalho. Logo que chegou, conseguiu implantar rapidamente um padrão de jogo bem definido (algo que o Porto tinha dificuldade nas três temporadas anteriores), baseado na marcação-pressão constante e no amplo domínio sobre a posse de bola – nota-se, aí, uma clara inspiração no tiki-taka de Guardiola. Estabelecer um sistema como esse em um time completamente renovado não é uma tarefa tão simples, ainda que a qualidade do plantel tenha contribuído.

O desempenho da equipe na Liga dos Campeões também é digno de destaque. Apesar da impressão final ter sido das piores possíveis, o Porto fez uma campanha como há anos não fazia, sendo dominante sobre os três adversários na fase de grupos (além do Lille na fase preliminar) e se impondo, também, contra o bom time do Basel nas oitavas de final. E é impossível não lembrar da excelente atuação contra o Bayern no Estádio do Dragão, certamente a mais memorável dos últimos quatro anos em competições internacionais, que mostrou um Porto imponente dentro de seu próprio campo contra um dos melhores times do mundo.

Foto: FC Porto / Oficial - Os 3x1 contra o  Bayern, pela Liga dos Campeões, foram o ponto alto da temporada dos Dragões

Foto: FC Porto / Oficial – Os 3×1 contra o Bayern, pela Liga dos Campeões, foram o ponto alto da temporada dos Dragões

Já no Campeonato Português, não se pode ignorar que, apesar de ter um elenco superior, os portistas tiveram como principal adversário um Benfica que já vinha de um trabalho de cinco temporadas com Jorge Jesus. Ainda que o time encarnado precisasse de ajustes ao início da temporada, já tinha um estilo de jogo pronto e consolidado, ao passo que o treinador espanhol teve que começar uma jornada praticamente do zero.

Os dirigentes portistas já deram indícios de que pretendem manter Julen Lopetegui para 2015/2016. É claro que se ele cometer os mesmos erros nos clássicos e em alguns jogos contra os pequenos e não tornar o Porto mais vertical quando necessário, corre-se o risco de ter outra temporada de muito investimento e pouco retorno. Mas começando a jornada já com um estilo de jogo pronto e um treinador habituado ao futebol português, o Porto chega mais preparado para retomar o caminho dos títulos.

Comentários

Estudante de Jornalismo e redator no Placar UOL Esporte, belo-horizontino, apaixonado por esportes e Doente por Futebol. Chega ao ponto de assistir a jogos dos campeonatos mais diversos e até de partidas bem antigas, de décadas atrás.