Especial La Liga 2014/2015: os melhores do ano

  • por Victor Mendes Xavier
  • 5 Anos atrás

A taça da Liga Espanhola está de volta a Barcelona. Depois de Diego Simeone e seu Atlético de Madrid impedirem, de maneira histórica, o que seria o bicampeonato blaugrana em 2013/2014, a equipe de Lionel Messi promoveu uma reviravolta no segundo turno do torneio e retornou ao topo da Espanha. Aproveitando o declínio do Real Madrid, que sobrou de maneira absoluta na primeira parte da temporada, os catalães, embalados pelo seu poderoso trio sul-americano de ataque, agarraram a liderança depois de derrotarem os merengues no superclássico no Camp Nou por 2×1 e não largaram mais.

Por mais um ano consecutivo, o Doentes por Futebol votou para escolher os melhores jogadores da temporada espanhola. Contamos mais uma vez com a agradável colaboração de especialistas em La Liga. Agradecemos a cada um dos participantes desta votação e também a você, leitor, que nos acompanha diariamente. Boa leitura.

MELHOR JOVEM: JOSÉ LUIS GAYÁ – LATERAL ESQUERDO – ESPANHOL – VALENCIA

Foto: Site Oficial do Valencia |Em sua primeira temporada como jogador do time A do Valencia, Gaya mostrou personalidade, decidiu jogos e deixou grandes sensações para o futuro

Foto: Site Oficial do Valencia |Em sua primeira temporada como jogador do time A do Valencia, Gaya mostrou personalidade, decidiu jogos e deixou grandes sensações para o futuro


A primeira temporada de Gayá como profissional do Valencia foi assustadora. A personalidade mostrada desde o primeiro jogo evidencia que se trata de um jogador diferente. Veloz, ágil, inteligente e com conceitos ofensivos dignos de um world class, o garoto fez o carnaval pelo setor esquerdo. Prova disso foi sua exibição no duelo contra o Real Madrid em janeiro. Naquele dia, com mais liberdade para subir ao ataque (graças ao 3-5-2 de Nuno), Gayá foi um pesadelo para Bale e superou Carvajal com facilidade. Meses antes, logo no início do campeonato, o garoto destronou o sistema defensivo do Atlético de Madrid como poucos conseguiram desde que Simeone assumiu. O que espantou ao longo do torneio foi a capacidade do jovem, de apenas 19 anos, decidir. Mesmo, teoricamente, partindo de uma parte defensiva do campo, o espanhol garantiu pontos importante ao seu time, que termina a campanha com a sonhada vaga à Liga dos Campeões.  Na nossa votação, Gayá ganhou com certa vantagem em relação aos seus rivais. Outros nomes também foram lembrados: o zagueiro uruguaio José Giménez e o meio-campista espanhol Saúl Ñiguez, do Atlético de Madrid, o meio-campista espanhol Denis Suárez, do Sevilla, o atacante argentino Luciano Vietto, do Villarreal, o zagueiro francês Laporte, do Athletic Bilbao, e o atacante espanhol Paco Alcácer, companheiro de Valencia de Gayá.

MELHOR TREINADOR – 1: LUIS ENRIQUE – ESPANHOL – BARCELONA

Foto: Site oficial do Barcelona | Luis Enrique fez ajustes pontuais no Barcelona e completou uma temporada inesquecível

Foto: Site oficial do Barcelona | Luis Enrique fez ajustes pontuais no Barcelona e completou uma temporada inesquecível

A primeira experiência de Luis Enrique no futebol espanhol havia sido satisfatória. Se seu trabalho no Celta não foi nota 10, também não foi nota 5. Foi aprovado com boa média. O passo seguinte exigiria maiores responsabilidades: o seu Barcelona. Os primeiros meses foram críticos. Lucho não conseguiu estabelecer um padrão de jogo coerente e viu sua equipe agonizar com problemas no setor ofensivo, à espera de lampejos de Neymar e Messi. Só a partir de janeiro que o espanhol começou a construir um Barça verdadeiramente forte. O 4-3-3 barcelonista não foi alterado, mas Luis Enrique fez mudanças pontuais: aboliu o rígido jogo de posição, criou mais mecanismos de ataque e trabalhou com força, ao lado de seu auxiliar Juan Carlos Unzué, as bolas paradas defensivas e ofensivas. Criou um Barcelona que se adapta a qualquer circunstância, surpreendentemente sólido na retaguarda e que extrai o melhor do seu trio de ataque.


MELHOR TREINADOR – 2: NUNO ESPÍRITO SANTO – PORTUGUÊS – VALENCIA

Foto: Site Oficial do Valencia | Nuno Espírito Santo formou um Valencia sólido na defesa e consistente no meio-campo. Vai pra Liga dos Campeões pra fazer bonito

Foto: Site Oficial do Valencia | Nuno Espírito Santo formou um Valencia sólido na defesa e consistente no meio-campo. Vai pra Liga dos Campeões pra fazer bonito


O projeto Nuno e Valencia termina a temporada com o objetivo cumprido: a classificação à próxima disputa da Liga dos Campeões. Desde o começo, Nuno acenou com mudanças na mentalidade dos jogadores. A criação de um sistema defensivo sólido e consistente, com Diego Alves, Otamendi, Mustafi e Javi Fuego sendo suas peças-chave, foi um dos grandes méritos do português em Chamartin. A recuperação do futebol do bom Dani Parejo, que termina a melhor temporada de sua carreira, foi outro aspecto importantíssimo. O espanhol foi contextual nos diferentes sistemas do treinador lusitano. Seja sendo um gestor de jogo no meio-campo, com mais de 90 passes por jogo, ou um homem de mais chegada ao ataque e gols. A sensibilidade tática para variar seu time foi importante nos momentos controversos. O Valencia sempre foi um poço de competitividade, mas nem isso foi garantia de vitória. Não à toa, o 4-3-3 que encantou no primeiro turno foi muitas vezes modificado para um 3-5-2 ou até mesmo um 4-4-2. Olho no Valencia em 2015/2016. Menção honrosa para o espanhol Unai Emery, do Sevilla, lembrado na votação.


MELHOR GOLEIRO: CLÁUDIO BRAVO – CHILENO – BARCELONA

Foto: Site Oficial do Barcelona | Bravo foi o titular do Barcelona na Liga e não fez feio: foi o goleiro menos vazado e garantiu defesas importantes ao seu time

Foto: Site Oficial do Barcelona | Bravo foi o titular do Barcelona na Liga e não fez feio: foi o goleiro menos vazado e garantiu defesas importantes ao seu time


Na linguagem dos boleiros, Cláudio Bravo pode ser definido como um “goleiro sem frescuras”. As qualidades do chileno já eram conhecidas por quem acompanha o futebol espanhol, graças aos seus ótimos anos na Real Sociedad, ou pelos seguidores da seleção chilena. Porém, foi somente em 2014/2015 que ele alcançou seu grande momento na carreira. A primeira temporada de Bravo no Barcelona foi acima da média e especial: além do título da Liga, o arqueiro conquistou o Troféu Zamora, que premia o goleiro menos vazado da competição. Foram apenas 19 gols em 37 partidas e 23 cleen sheats. Ao longo da temporada, Bravo bateu o recorde de maior período sem sofrer gols (754 minutos), superando Víctor Valdés em 2008/2009. No Barça, o chileno pôde usufruir mais do seu bom jogo com os pés, além de garantir segurança defensiva especialmente pelo alto. Na nossa eleição, o nome de Bravo foi votado 15 vezes, contra cinco do brasileiro Diego Alves, do Valencia.

MELHOR ZAGUEIRO: GERARD PIQUÉ – ESPANHOL – BARCELONA

Foto: Site Oficial do Barcelona | Gerard Piqué: a temporada completa do catalão foi um dos frutos do sucesso do Barcelona

Foto: Site Oficial do Barcelona | Gerard Piqué: a temporada completa do catalão foi um dos frutos do sucesso do Barcelona

Não há dúvidas: Piqué recuperou a melhor forma. A espetacular temporada do zagueiro espanhol foi um dos motivos do sucesso do Barcelona na Liga Espanhola. Especialmente pelas exibições em março de 2015 (na sequência Real Madrid e Celta Vigo), Piqué alcançou um nível que poucos zagueiros no mundo chegaram. Dessa vez, de uma forma diferente em relação aos bons momentos com Josep Guardiola e ao lado de Carles Puyol. Foi um Piqué de mais proteção à sua área, vencendo duelos individuais importantes. Quando está bem, é inegável a qualidade do espanhol, que dá aula de conceitos em sua posição. Outro nome bastante mencionado na votação foi o argentino Nícolas Otamendi, do Valencia. O também argentino Javier Mascherano, amigo de Piqué, também foi lembrado.


MELHOR MEIA: JAMES RODRÍGUEZ – COLOMBIANO – REAL MADRID

Foto: Site oficial da Uefa | Em uma posição diferente da habitual, James Rodriguez mostrou personalidade em sua primeira temporada como merengue

Foto: Site oficial da Uefa | Em uma posição diferente da habitual, James Rodriguez mostrou personalidade em sua primeira temporada como merengue


De início, a desconfiança: o valor da contratação (80 milhões), a posição em campo diferente da habitual (de camisa 10 para meia esquerda mais recuado de um 4-3-3), o peso de substituir uma figura importante de um título de Champions (Di María). Mas James Rodríguez aos poucos foi conquistando os torcedores. Desde o modelo de jogo, Ancelotti ofereceu ao camisa 10 garantia de protagonismo. Mesmo partindo do vértice esquerdo do triângulo de meio-campo, teve liberdade para se deslocar à ponta esquerda e para pisar numa região mais próxima da área, onde ele estava acostumado a jogar. A importância de James à estrutura tática madrilenha foi tanta que a equipe definhou durante o tempo em que ficou fora por lesão no pé. O colombiano termina a temporada com 17 gols, 15 assistências 87% de acerto nos passes e a aprovação da torcida. Com 11 votos, ganhou de sobra do volante alemão e seu companheiro Toni Kroos, que recebeu cinco votos, e o volante polonês Grzegorz Krychowiak, do Sevilla.

MELHOR ATACANTE E JOGADOR: LIONEL MESSI – ARGENTINO – BARCELONA

Foto: Site Oficial do Barcelona | O dono da bola: Messi subiu de nível em 2015 e deixou os rivais para trás

Foto: Site Oficial do Barcelona | O dono da bola: Messi subiu de nível em 2015 e deixou os rivais para trás

A Liga Espanhola 2014/2015 pode ser rebatizada como a Liga de Messi. Pela sétima vez em onze temporadas na carreira, o argentino foi campeão espanhol. Mais: pela quinta vez como protagonista absoluto. Seja jogando como autêntico camisa 10, como falso nove, aberto pela direita como um ponta ou como meia-armador pelo lado, Messi decidiu de todas as formas. A percepção para dar assistências, passes, dribles e chutes define Lionel: ele é completo. Após um ano complicado, quando sua qualidade física e até técnica foram colocadas em xeque, o gênio de Rosário deu a melhor resposta possível: recolocando o Barça no topo no cenário nacional.

Messi marcou 43 gols e deu 18 assistências na Liga, sendo 56 tentos e 27 últimos passes em todas as competições. O passe em diagonal à esquerda dado à exaustão para Neymar ou Alba foi a definição do Barcelona 2014/2015. Depois de ver seu grande rival Cristiano Ronaldo recuperar o protagonismo nas premiações individuais, Messi volta ao topo do mundo com estilo. No próximo dia 6, vai buscar sua quarta Champions League. Assombroso. Na votação de melhor atacante, Messi teve 15 votos, contra dois de Cristiano Ronaldo. Para melhor jogador, foi unanimidade: os 17 convidados votaram no argentino.

SELEÇÃO DA TEMPORADA
Cláudio Bravo (Barcelona); Daniel Alves (Barcelona), Gerard Piqué (Barcelona), Nícolas Otamendi (Valencia), José Luis Gayá (Valencia); Toni Kroos (Real Madrid), Dani Parejo (Valencia), James Rodríguez (Real Madrid); Lionel Messi (Barcelona), Cristiano Ronaldo (Real Madrid), Neymar (Barcelona).
Treinadores: Luis Enrique (Barcelona) e Nuno Espírito Santo (Valencia).

Menções honrosas 
Goleiro: Diego Alves (Valencia).
Defensores: Daniel Carvajal (Real Madrid), Javier Mascherano (Barcelona), Diego Godin (Atlético de Madrid), José Giménez (Atlético de Madrid), Sergio Ramos (Real Madrid), Shkodrah Mustafi (Valencia), Marcelo (Real Madrid), Jordi Alba (Barcelona).
Meio-campistas: Sergio Busquets (Barcelona), Ivan Rakitic (Barcelona), Vicente Iborra (Sevilla), Aleix Vidal (Sevilla), Ever Banega (Sevilla), Grzegorz Krychowiak (Sevilla), Arda Turan (Atlético de Madrid), Luka Modric (Real Madrid).
Atacantes: Luis Suárez (Barcelona), Antoine Griezmann (Atlético de Madrid), Nolito (Celta Vigo), Aritz Aduriz (Athletic Bilbao).

Nome dos votantes
Bruno Secco (Doentes por Futebol, Espn FC)
Charlie Viki (Especialista em futebol espanhol)
David De La Peña (Letras y Futbol)
David León (Ecos del Balon)
Israel Oliveira (Doentes por Futebol)
Leonardo Bertozzi (Espn)
Marcelo Bechler (Super Esportes)
Mauricio Bonato (Sports +)
Pedro Galindo (Doentes por Futebol)
Pedro Pedroso (Futebol Espanhol)
Pierre Andrade (Futebol Espanhol)
Raí Monteiro (Doentes por Futebol, Taticamente Falando)
Raniery Medeiros (Doentes por Futebol)
Rafael Oliveira (Espn)
Victor Mendes (Doentes por Futebol)
Vitor Sergio (Esporte Interativo)
Wladimir Castro (Doentes por Futebol, O Futebólogo)

Comentários

Jornalista, carioca e apaixonado pela Liga Espanhola desde a época em que Rivaldo, Zidane, Figo e Raúl foram seus professores. Colaborou para o programa [email protected] da Rádio Globo São Paulo falando sobre o futebol do país das touradas. Repórter da Super Rádio Tupi.