Silêncio para O Violino!

  • por Nilton Plum
  • 4 Anos atrás
Na foto, Carlinhos se despede da carreira, entregando suas chuteiras a um jovem promissor: Zico.

Na foto, Carlinhos se despede da carreira, entregando suas chuteiras a um jovem promissor: Zico.

Desde que a CBF adotou a patética iniciativa de se tocar o hino nacional antes de toda e qualquer partida do campeonato brasileiro, a torcida rubro-negra comete rotineiramente um ato a plenos pulmões de subversão no Maracanã. Grita e exalta seu próprio hino abafando o hino que deveria ser executado e exaltado em partidas da seleção. A Nação que se insurge contra a Nação carnavalescamente. Assim como o hino nacional, o minuto de silêncio nunca foi realmente um minuto, da mesma forma que nunca foi realmente respeitado salvo em raríssimas ocasiões.

Luís Carlos Nunes da Silva, o Carlinhos, é ídolo do Flamengo. Patente que poucos conseguem conquistar e sustentar ao longo da vida pessoal e profissional. Serviu ao rubro-negro em longas 517 partidas se tornando um dos maiores nomes do futebol brasileiro. Como jogador foi campeão do Torneio Rio-São Paulo (1961) e bicampeão Estadual (63 e 65). Como treinador foi tricampeão estadual (91,99 e 2000) e campeão brasileiro em 87; o único título no mundo mantido em cárcere…Tendo seu apogeu em 1992 com o pentacampeonato brasileiro com o time comandado por Júnior.

Recebeu o apelido de “violino” devido a sua classe no trato com a bola. Comandou o time no empate sem gols contra o Fluminense que deu a Flamengo o título estadual de 1963 e registrou o insuperável e inalcançável público de 193.967 seres humanos presentes ao espetáculo no Maracanã.

No domingo próximo de clássico entre Vasco e Flamengo, vendido pra Cuiabá e sua herança paquidérmica da Copa, a torcida rubro-negra, acostumada a gritar obsessivamente e compulsivamente deveria silenciar em completo. Um silêncio reverencial; pesado. Sentido, pois Carlinhos faleceu aos 77 anos se tornando inalcançável e insuperável tal qual aquele Maracanã hiperlotado. No silêncio, a música do Violino ecoará: simples, bela, verdadeira e poderosa.

maraca TimeFlamengo1963c

 

Comentários

Só há Justiça no aleatório. E nada é mais aleatório do que o futebol. Curte futebol, bebidas, boxe, artes em geral e farofa.