Casillas tem desafio que já foi de Júlio César e Schmeichel

  • por Levy Guimarães
  • 4 Anos atrás
Foto: rfef.es

Foto: rfef.es

A primeira especulação caiu como uma bomba para os portistas. Porém, ao longo dos últimos dias, tornou-se real o que poucos poderiam imaginar: Iker Casillas, lenda do Real Madrid e ainda titular da seleção espanhola, será o goleiro do Porto na próxima temporada.

A primeira impressão é a melhor possível: o Porto está contratando um dos maiores goleiros do século, multicampeão. Contudo, ultimamente não tem sido mais aquele arqueiro que conquistou os espanhóis com sua regularidade e suas grandes defesas. Desde a Copa do Mundo, tem se mostrado um Casillas irregular, falhando mais do que o habitual e tendo sua titularidade bastante contestada no Real Madrid, o que acabou pesando para que ele tomasse outros rumos nos últimos anos de carreira. Entretanto, não é a primeira vez que um goleiro veterano vai tentar a sorte em Portugal. E se a passagem de Casillas pelo Porto for como nas outras duas vezes em que isso aconteceu, terá sido um bom investimento dos Dragões.

Há um ano, Júlio César chegava ao Benfica em uma situação não muito diferente da de Casillas hoje. Aos 34 anos e completamente desprestigiado em seu país, o brasileiro carregava (e ainda carrega, é claro) o fardo de ter sido “o goleiro do 7×1” e de ter terminado o mundial como o arqueiro brasileiro mais vazado na competição – ao todo, foram 18 gols sofridos nas edições de 2010 e 2014. Além disso, pelo Toronto FC, já jogava em uma liga pouco competitiva e dava sinais de pleno declínio na carreira.

A aposta do Benfica, criticada por muitos, se mostrou acertada ao final de 2014/2015. Apesar de algumas falhas e de problemas físicos no início da temporada, Júlio se firmou como titular, mostrou segurança e foi conquistando ao longo dos meses a confiança dos benfiquistas. A recompensa veio com o título português e com o prêmio de Melhor Goleiro da Liga Portuguesa. Uma bela volta por cima para quem era visto como decadente.

Foto: Sport Lisboa e Benfica / Facebook

Foto: Sport Lisboa e Benfica / Facebook – Júlio César foi um dos pilares da conquista do bicampeonato português pelo Benfica

Voltando mais um pouco no tempo, o Sporting surpreendeu os portugueses ao anunciar, em 1999, nada menos que Peter Schmeichel como seu novo goleiro. Mesmo ainda estando em boa forma pelo Manchester United (não à toa, conquistou a Champions League daquele ano pelos Red Devils), o dinamarquês, na época com 35 anos, disse que queria jogar de preferência no Sul da Europa, em um ambiente com menos pressão e em uma liga com menos jogos, o que permitiria mais dias de recuperação física.

E Schmeichel cumpriu com todas as expectativas. Logo nos primeiros meses, tornou-se ídolo da torcida, mantendo o bom nível de exibição de quando atuava na Inglaterra. Acabou sendo uma das figuras centrais do título português do Sporting em 1999/2000, o primeiro dos Leões em dezoito anos.

Foto: Reprodução

Foto: Reprodução – Mesmo tendo ficado só por duas temporadas no clube, Schmeichel é tido como um dos maiores goleiros da história do Sporting

Casillas e Porto vivem uma situação em que um precisa do outro. Jogar em uma liga bem menos puxada do que a espanhola e longe dos cornetas (na torcida e na imprensa) que o infernizavam em Madrid pode fazer muito bem ao goleiro de 34 anos. Já o clube do Norte de Portugal vem de uma temporada complicada com os goleiros, em que Fabiano não convenceu, e ter novamente um jogador confiável para essa posição pode ser o primeiro passo para retomar a hegemonia do futebol português. Uma combinação que, pelo histórico e pela necessidade de reafirmação de ambos, pode dar muito certo.

Comentários

Estudante de Jornalismo e redator no Placar UOL Esporte, belo-horizontino, apaixonado por esportes e Doente por Futebol. Chega ao ponto de assistir a jogos dos campeonatos mais diversos e até de partidas bem antigas, de décadas atrás.