Porto e sua arte na hora de negociar

  • por Doentes por Futebol
  • 4 Anos atrás
porto vendas

Clique na imagem e saiba mais.

Por Gabriel Belo

Já virou rotina no futebol europeu: o Porto contrata, molda, evolui, valoriza e vende os seus principais jogadores para mercados mais ricos. Na atual temporada, já obteve lucro de 74 milhões de euros com vendas, incluindo Casemiro, que gerou 7,5 milhões de euros ao Porto por conta da cláusula de recompra por parte do Real Madrid. Além do volante brasileiro, Jackson Martínez e Danilo também engordaram os cofres do clube português, sendo vendidos a peso de ouro para Atlético de Madrid e Real Madrid, respectivamente.

Capture

Escalação inicial do Porto que venceu a Europa League 10/11. James Rodríguez entraria no lugar de Varela aos 79 min.

Com as vendas recentes, o Porto praticamente “esgotou” uma geração. Nos últimos anos, Falcao García, James Rodriguez, Hulk, Otamendi, Fernando e Guarín deixaram o clube, todos por valores bem acima dos pagos pelo clube português. Alex Sandro é um dos poucos remanescentes entre aqueles que já atraíram interesse de clubes poderosos da Europa.

https://www.youtube.com/watch?v=cKdo_gB6AxI

No entanto, uma nova base já se cria, visando que o processo exposto no primeiro parágrafo seja repetido. Nas últimas temporadas, os Dragões investiram em Yancine Brahimi (€3,8M por 50% do passe), Bruno Martins Indi (€ 7,7M) e Hector Herrera (€ 8M). Todos eles chegaram a preços baixos e já se firmaram como titulares absolutos da equipe comandada por Julen Lopetegui. Para estes bons e promissores jogadores, o Porto é, basicamente, a garantia de um futuro bem planejado. A única função deles é corresponder bem em campo, visto que todos os olhos da Europa já estão sobre o clube e suas possíveis revelações.

Valorização Jackson Martínez

Fonte: http://www.transfermarkt.com/jackson-martinez/marktwertverlauf/spieler/74418

E o Campeonato Português, é lógico, também ajuda muito nesse cenário. Jackson Martínez foi artilheiro em âmbito nacional por três temporadas consecutivas, de forma destacada que provavelmente não conseguiria em outro país. Seu valor de mercado foi nas alturas, até que a cláusula de rescisão foi paga pelo Atlético de Madrid. Agora, já moldado, o atacante tem plenas condições de brilhar nas mãos de Diego Simeone. O exemplo dele é provavelmente o mais emblemático, mas também se aplica a quase todos os jogadores que já passaram e foram negociados pelo Porto nos últimos anos.

Leia mais: Jackson Martínez, uma ótima opção

;

Imbula, uma quebra na tradição do baixo custo

https://www.youtube.com/watch?v=6EuZGUUsFSk

Rompendo com arte portista de comprar barato, temos o recente “caso Imbula”. O promissor volante francês, de 22 anos, é uma exceção em termos financeiros, visto que os Dragões realizaram a maior contratação da história do futebol português, pagando 20 milhões de euros ao Olympique de Marseille.

O jogador esteve entre Inter de Milão e Milan, se aproximando muito de fechar com o primeiro. No entanto, quando o Porto entrou na jogada, levou. A visão de mercado do jogador e de seus empresários certamente pesaram na decisão da transferência. Talentoso, Imbula, que pode atuar tanto como primeiro quanto como segundo volante, viu em seu novo clube uma excelente chance de crescer profissionalmente, tecnicamente e de lucrar com uma transferência futura de altas cifras.

Leia mais: A nova e promissora geração francesa

Visto como uma das grandes promessas do futebol francês, ao lado de Pogba, Umtiti, Laporte, Zouma, Varane, Kondogbia, Rabiot e o já mais maduro Schneiderlin, Imbula tomou a melhor decisão possível para o seu lado profissional, já que os Dragões são notórios em sua habilidade em lapidar jovens talentos.

Bem-vindo, Giannelli Imbula. Bienvenue, Giannelli Imbula. Welcome, Giannelli Imbula. #fcporto #semigual

Uma foto publicada por FC Porto (@fcporto) em

O Porto vendeu toda uma base vitoriosa e agora terá o trabalho de remontá-la, principalmente visando encerrar a hegemonia de dois anos do Benfica no campeonato português. Será extremamente interessante observar a remontagem da equipe portuguesa, pois o Porto dá indícios de mudança na sua tradição de montagem de elenco baseado em valores de baixo custo com alta projeção de venda.

Será que Imbula permanecerá como ponto fora da curva e o Porto seguirá mantendo sua arte das negociações – comprando barato e vendendo caro – ou a necessidade de títulos pode empurrar os Dragões para o caminho das contratações vultosas? Seguiremos acompanhado de perto e no futuro traremos mais informações.

Comentários