Ruben Loftus-Cheek: a aposta de Mourinho

  • por Lucas Sousa
  • 6 Anos atrás

Na entrevista coletiva que antecedeu a partida contra o Sporting Lisboa, pela Liga dos Campeões, em dezembro de 2014, José Mourinho surpreendeu ao revelar que o volante Ruben Loftus-Cheek jogaria contra os portugueses.

OLHO NELE V2015 - RUBEN LOFTUS-CHEEK

Sua carreira nas categorias de base já era bastante sólida, com conquistas de títulos e convocações para a seleção inglesa, mas ele nunca havia jogado entre os profissionais. Por conta da expectativa criada e pelo contexto do jogo (o Chelsea já estava classificado e jogava para cumprir tabela), sua estreia foi decepcionante: Ruben entrou na reta final e só jogou sete minutos. Tal pouco tempo, porém, ficou marcado como o primeiro passo deste promissor meio-campista.

https://www.youtube.com/watch?v=q6nrH4Moe6I

Sucesso nas categorias de base

RUBEN JOVEM

Nascido em 23 de janeiro de 1996, em Lewisham, sudeste de Londres, Ruben Loftus-Cheek está no Chelsea desde os oito anos. Essa precocidade não aparece apenas em seu início de carreira, pelo contrário, é algo constante. Aos 14 anos, jogou a final da FA Youth Cup, torneio sub-18; no ano seguinte, era capitão da equipe sub-16; com 18, conquistava a Premier League sub-21.

Pelas seleções de base da Inglaterra, é presença constate desde o sub-16 e sempre esteve em equipes à frente de sua idade, com destaque para o elenco sub-21, que disputou a Euro em junho de 2015 (nota para o belíssimo toque de classe do volante no lance do gol de Redmond)

Ruben foi peça fundamental no título da FA Youth Cup na temporada 2011/2012 e no vice-campeonato na edição seguinte. Seu ótimo momento lhe rendeu uma vaga no elenco principal que fez pré-temporada nos Estados Unidos em maio de 2013, quando participou de dois jogos contra o Manchester City. No retorno à Inglaterra, foi integrado ao elenco sub-21, que seria campeão da Premier League da categoria e também capitaneou o sub-18 a mais um título da FA Cup.

https://www.youtube.com/watch?v=pKSdX7PGifY

Seu desempenho na base chamou a atenção de Mourinho, que o efetivou como profissional em fevereiro de 2015. A partir daí, Loftus-Cheek passou a treinar com o elenco principal regularmente, mas ainda jogava pelas equipes de desenvolvimento e conquistou seu último título: a UEFA Youth League (Liga dos Campeões sub-19).

Estilo de jogo

Loftus-Cheek é um volante muito atlético. Alto (1,91m) e forte (pesa 83 kg), apresenta ainda uma boa arrancada e está longe de ser um jogador lento. É um meio-campista capaz de destruir as jogadas adversárias, iniciar a construção ofensiva e aparecer no ataque para finalizar, características que fizeram parte da mídia britânica o chamar de “novo Patrick Vieira”. Em resumo, é um box-to-box, tipo de jogador que aparece nas duas áreas e é muito apreciado pelos ingleses.

Nas três partidas em que esteve em campo na temporada passada (desconsiderando o jogo contra o Manchester City, quando jogou por menos de um minuto), foi seguro. Optou pelo jogo simples e não cometeu erros. Normal para um garoto de 18 anos, estreante, em um grande clube inglês.

Contra o Liverpool, teve sua melhor exibição. Atuou por 60 minutos e acertou os 27 passes que tentou, a maioria curtos e no campo de defesa.

 1908185_685452001560947_4704179697200924329_n;

Também conseguiu três desarmes e três roubadas de bola.

https://www.youtube.com/watch?v=y86nP1Rw6RA

No seu último jogo, frente ao West Bromwich, já parecia mais acostumado e mais solto. Foi mais participativo (85 toques na bola, terceiro do time no quesito), tentou lançamentos e apareceu no campo de ataque com mais frequência. Um bom indicativo para a temporada que se aproxima.

No site do Chelsea estão as estatísticas do jovem em sua temporada de estreia pelos profissionais: 04 jogos; 95% de acerto nos passes; 03 faltas cometidas; 50% de desarmes bem sucedidos.

No site do Chelsea estão as estatísticas do jovem em sua temporada de estreia pelos profissionais:
04 jogos;
95% de acerto nos passes;
03 faltas cometidas;
50% de desarmes bem sucedidos.

A temporada 2015/2016

“Ruben é um jogador que, na próxima temporada, eu espero que não jogue apenas alguns minutos, mas que possa competir por um lugar na equipe por causa da sua evolução.”

A fala de José Mourinho, ainda na temporada passada, mostrou a confiança que o português deposita no seu jovem volante (o rapaz foi o primeiro jovem de Cobham a fazer sua estreia profissional sob a batuta do português) Ao que tudo indica, Loftus-Cheek terá boas oportunidades de demonstrar seu futebol na Premier League 2015/2016 e o Special One acredita que o “garoto vai ser uma grande surpresa”.

Promover o meio-campista ao elenco principal e utilizá-lo com mais frequência não é apenas uma forma de contribuir no desenvolvimento do jogador. Há também uma questão de necessidade. A dupla de volantes titular do Chelsea (Matic e Fàbregas) é uma das melhores do mundo, no entanto, os reservas não estiveram bem e o time sentiu quando esteve sem o sérvio ou o espanhol. A incorporação de Loftus-Cheek pode ser uma solução caseira para esse problema.

Mikel, Ramires e Zouma eram as opções de Mourinho na temporada passada. O primeiro foi consistente no combate e na distribuição de passes, mas não aparecia na frente e contribuía pouco no ataque. Grosso modo, oferece quase o mesmo que Matic, mas com menos qualidade. O segundo chegava ao ataque, mas pecava nos passes. O terceiro era um zagueiro improvisado na volância. Firme e seguro defensivamente, apesar da pouquíssima participação ofensiva.

Arte: Doentes por Futebol - Os números de Loftus-Cheek comparado ao dos outro volantes do elenco

Arte: Doentes por Futebol – Os números de Loftus-Cheek comparado ao dos outro volantes do elenco

Se comparado aos três jogadores citados, o jovem é o segundo que mais tentou passes e o que mais acertou. Também é o líder nas interceptações, mas quem menos desarmou. Embora a amostragem seja pequena, os números de Ruben Loftus-Cheek mostram que ele pode oferecer algo diferente para José Mourinho, um meio termo entre Mikel e Ramires: volante firme na contenção, com bom passe e chegada ao ataque.

A importância de uma boa temporada

Desde que Roman Abramovich adquiriu o Chelsea, em 2003, o clube sempre priorizou jogadores prontos em detrimento de jovens promissores. Nesse período, jogadores como Ryan Bertrand, Kevin De Bruyne e Daniel Sturridge foram queimados em Stamford Bridge e acabaram brilhando com outras camisas. E, nos últimos anos, apenas John Terry saiu das categorias de base e se firmou no time principal.

GERAÇÃO BLUE 15-16

Na sua segunda passagem pelo clube, Mourinho afirmou que dará mais chance para as pratas da casa, e Loftus-Cheek é a primeira a ser testada. Se ele tiver um bom ano e se firmar na equipe, pode abrir caminho para outros tantos jovens, sejam eles formados no clube ou contratados. Por outro lado, um ano ruim pode criar dúvidas na cabeça do treinador português e o receio de lançar outras promessas na equipe principal.

Mais do que uma promessa, Ruben Loftus-Cheek pode ser o símbolo de uma mudança no Chelsea. Olho Nele!

Comentários

Mineiro e estudante de jornalismo. Admira (quase) tudo que cerca o futebol inglês, não esconde seu apreço por times que jogam no contra-ataque (sim, sou fã do Mourinho) e acha que futebol se discute sim. Também considera que a melhor invenção do homem já ultrapassou os limites do esporte.