Análise de Botafogo 3 x 1 ABC – Brasileirão Série B 2015

20314994808_fdc1d562b1_z

Daniel Carvalho (à direita) disputa a bola com jogador do ABC, no estádio Nilton Santos (Foto: Divulgação/Site oficial Botafogo)

O Botafogo não fez uma partida brilhante diante do ABC de Natal, no estádio Nilton Santos, na última terça-feira – duelo válido pela 18ª rodada do Campeonato Brasileiro da Série B. Certamente, a vitória dos cariocas por 3 a 1 pareceria mais convincente se a instrução dada pelo técnico Ricardo Gomes no início da semana tivesse sido colocada em prática de forma eficiente pelos jogadores: a movimentação rápida na frente. Até houve giro entre os jogadores no ataque – principalmente com Neilton – mas esta movimentação não foi sempre veloz e aconteceu basicamente no primeiro tempo.


O Botafogo, entretanto, não foi zero à esquerda. O time entendeu que a fragilidade da equipe do ABC – o time do Rio Grande do Norte está na 18º posição e lutando contra o rebaixamento à Série C – permitia investir na bola aérea para vencer o jogo, principalmente naqueles momentos do duelo em que as dificuldades aumentam em função do desgaste físico. O risco, porém, é fazer do cruzamento um vício, uma marca principal – porque, fora Álvaro Navarro, o Botafogo não tem mais opções de área que façam esse tipo de jogo valer a pena. É incrível, mas, diante do ABC, vimos lances em que a bola era lançada na área e só havia o baixíssimo Neilton (1,66m) lá dentro – o que não faz sentido.

A busca por formas alternativas de jogo é importante para que o Botafogo volte à série A, pois chegará a ocasião em que Álvaro Navarro, por algum motivo, não jogará. É evidente que, para confiar em alternativas, o Fogão precisa ser mais eficiente no passe final e todo o meio-campo tem de ser mais criador. Daniel Carvalho foi muito bem diante do ABC. Mas depois que ele cansou – e o jogador já tem 32 anos – o time perdeu em posse de bola e ofensividade. A equipe carioca, aliás, poderia ter administrado o resultado no segundo tempo sem muitos sustos e com mais vontade de jogar. Há peças velozes que podem fazer o jogo fluir com a bola no chão. O apoio dos laterais para uma tabela mais próxima com Neilton ou Daniel Carvalho na frente, por exemplo, seria uma boa alternativa.

– VEJA A ANÁLISE EM VÍDEO DA PARTIDA


Neilton mostrou que pode se dar muito bem com a camisa do Botafogo, principalmente quando Daniel Carvalho estiver bem. O time ganha rapidez e fica menos previsível quando o ex-jogador do Santos está com a bola. Neilton iniciou a partida contra o ABC aberto pela esquerda, mas a movimentação que Ricardo Gomes pediu levou o jovem de 21 anos a jogar na direita em alguns momentos. Foi assim que ele tabelou com Daniel Carvalho e fez seu gol, após, vale lembrar, uma excelente roubada de bola dos homens de frente do Botafogo, pressionando a saída de jogo do time de Natal.

O gol sofrido pelo time carioca aconteceu após um erro de passe do volante Willian Arão, no meio de campo. O lance parecia tão ganho e seguro para o Botafogo que o lateral-esquerdo Carleto nem esperava tal erro do companheiro. O lateral já buscava o apoio ao ataque. O erro de Arão fez com que Carleto sofresse uma bola fatal nas costas, lance no qual ele não teve nenhuma culpa. A sonolência nessa jogada foi dos zagueiros do Botafogo, que não saíram de trás, acompanhando o avanço dos volantes e laterais, e perderam o tempo da cobertura nas costas de Carleto (Foto). Está aí o porquê dos goleiros normalmente gritarem: “sai, sai, sai!” – exemplo claro.

botafogo

Zaga botafoguense não avança e falha ao cobrir apoio de Carleto na esquerda (Foto: Divulgação/Youtube)

Uma das preocupações com relação ao time do Botafogo é se ele continuará administrando resultados no segundo tempo de uma forma tão perigosa e sonolenta como na etapa final do jogo contra o ABC. Se o adversário da última terça-feira fosse melhor e soubesse aproveitar as oportunidades, a vitória dos cariocas poderia não ter ocorrido. Já com relação ao ABC, é preciso que, no segundo turno, o time repita o que fez nos minutos finais contra o Botafogo. Fora de casa, o time mostrou que tem condições de conseguir bons resultados ao se fechar bem atrás e jogar nos contra-ataques. Mas é preciso também que a defesa trabalhe com mais atenção e não falhe tanto. Em resumo, podemos dizer que o resultado do jogo no estádio Nilton Santos foi construído com base nos erros defensivos – não apenas do ABC, como também do próprio Botafogo.

Comentários

Jornalista esportivo. Blogueiro na Gazeta Esportiva.com e colunista no Doentes por Futebol e Sportskeeda.com. E-mail: [email protected]