Cadê o respeito no Brasileirão 2015?

Após nova derrota no Brasileirão 2015, desta vez para o Figueirense, por 1 a 0, neste sábado, 29, Vasco da Gama está cada vez mais próximo de cair pela terceira vez em sete anos

DESTACADA VASCO MARQUISE

A campanha do Vasco da Gama no Campeonato Brasileiro 2015 é desastrosa. Em 21 partidas disputadas até aqui na competição, o clube carioca venceu somente 3 vezes (nenhuma vez fora do Rio), perdeu em 14 oportunidades e conquistou apenas 13 pontos.

Apenas 03 vitórias em 20 rodadas

Crédito: footstats.net

Como consequência disso, o time é o último colocado na tabela de classificação e se vê a nove pontos do Goiás, primeiro time fora do Z4.

Em campo, apesar da classificação para a fase seguinte da Copa do Brasil, após despachar o Flamengo, o time vem desempenhando um trabalho de dar inveja ao América-RN versão 2007. Assim, é bem difícil acreditar que o time da Cruz de Malta consiga escapar da degola este ano. Fora de campo, os números horríveis do Vasco na competição nacional não parecem ter fim. Além de ter disparadamente o pior ataque entre os clubes da Série A, o cruzmaltino também se notabiliza por ter feito menos gols do que todos os 20 times que disputam a Série B do Campeonato Brasileiro 2015. Até aqui, o Vasco só balançou as redes 8 vezes no campeonato.

Atacante Gilberto (à direita) ainda é o artilheiro do Vasco na temporada 2015, com nove gols (Foto: Paulo Fernandes/Vasco.com.br)

Atacante Gilberto ainda é o artilheiro do Vasco na temporada 2015, com nove gols (Foto: Paulo Fernandes/Vasco.com.br)

Eurico Miranda, presidente vascaíno, faz questão de deixar claro que, na visão “realista” dele, o Vasco não vai ser rebaixado para a Série B. É óbvio que, mesmo que pense diferente e reconheça que o time não tem condições de permanecer na primeira divisão em 2016, o presidente do clube não irá simplesmente admitir que a vaca já foi para o brejo. Mas, se de fato o Vasco confirmar seu terceiro rebaixamento em sete anos, Eurico terá que engolir que a queda em 2015 ocorreu muito por culpa dele próprio.

Como principal mandatário do clube, o cartola aprovou 9 contratações só de atacantes em 2015 – 10 reforços para o setor se for computado o retorno de Éder Luís, que estava emprestado. O número de contratações apenas para o ataque é superior ao número de gols que o time fez no Brasileirão. Como pode um time do tamanho do Vasco contratar tanto e tão mal?

Outra estatística que evidencia o péssimo momento do clube carioca em 2015 é o número de gols levados no campeonato: 35 tentos sofridos em 21 partidas. O Vasco tem a pior defesa da Série A e está empatado com o Mogi Mirim neste quesito, time que possui a segunda pior defesa da Série B.

Entre tantos recordes negativos que o time cruzmaltino vem quebrando neste Brasileirão, um remete novamente ao setor de ataque. Matéria publicada no início deste mês de agosto pelo site PLACAR! informou que o Vasco chegou à rodada número 16 do Campeonato Brasileiro tendo o pior ataque da história dos pontos corridos, com uma média de 0,50 gol por jogo no nacional.

Vale lembrar que, da décima sexta rodada para cá, os cariocas não marcaram gols (0x0 contra o Joinville, derrotas por 1×0 para o Santos, Coritiba e Figueirense, e goleada de 3×0 sofrida para o Goiás). Esse dado ganha contorno ainda mais vexatório se levarmos em consideração também a Série B, já que nunca, desde 2006, a segunda divisão do Brasil teve um time com uma média tão pífia quanto a de 0,50 gol por jogo até a décima sexta rodada.

PIORES ATAQUES DA SÉRIE A DESDE 2003 – ATÉ A 16ª RODADA

2003 – Fortaleza – 15 gols marcados (média de 0,94 gol por jogo)
2004 – Guarani – 13 gols marcados (média de 0,81 gol por jogo)
2005 – Figueirense – 14 gols marcados (média de 0,87 gol por jogo)
2006 – Fortaleza – 12 gols marcados (média de 0,75 gol por jogo)
2007 – Grêmio e América-RN – 14 gols marcados (média de 0,87 gol por jogo)
2008 – Atlético-PR – 15 gols marcados (média de 0,94 gol por jogo)
2009 – Fluminense – 13 gols marcados (média de 0,81 gol por jogo)
2010 – Ceará – 12 gols marcados (média de 0,75 gol por jogo)
2011 – Atlético-GO e Atlético-PR – 15 gols marcados (média de 0,94 gol por jogo)
2012 – Bahia – 12 gols marcados (média de 0,75 gol por jogo)
2013 – Náutico – 9 gols marcados (média de 0,56 gol por jogo)
2014 – Criciúma – 9 gols marcados (média de 0,56 gol por jogo)
2015 – Vasco – 8 gols marcados (média de 0,50 gol por jogo)

O caso do Vasco da Gama é seríssimo. Mas, entre todos esses problemas enfrentados pelo time da Colina, um ganha destaque pelo tom até cômico. O principal artilheiro do Campeonato Brasileiro, o atacante Ricardo Oliveira, do Santos, marcou sozinho mais gols no campeonato (11) do que todo o time do Vasco. O vice-artilheiro do Brasileirão, o atacante Lucas Pratto, do Atlético-MG, também fica à frente do time carioca em número de bolas na rede: 9 contra 8.

11918946_711568662280304_1973913615141502575_n

De acordo com as estatísticas publicadas pelo site FutDados, o Vasco é também o time que mais sofreu goleadas neste Campeonato Brasileiro: seis no total.

Tem como o retrospecto dos vascaínos ser ainda pior? Sim, tem! O clube cruzmaltino é líder também em terminar um jogo sem marcar gols. No geral, o Vasco passou em branco em 13 partidas. O que estariam pensando Romário e Edmundo neste momento?

DESEMPENHO DOS ATACANTES CONTRATADOS PELO VASCO EM 2015 (Números do “O Globo”)

Gilberto – 26 jogos disputados (25 como titular) – 9 gols marcados
Mosquito – 2 jogos disputados (1 como titular) – nenhum gol marcado
Romarinho – 2 jogos disputado – nenhum gol marcado
Erick Luís – nenhum jogo disputado
Dagoberto – 18 jogos disputados (15 como titular) – 1 gol marcado
Riascos – 20 jogos disputados (16 como titular) – 5 gols marcados
Herrera – 9 jogos disputados (5 como titular) – 1 gol marcado
Nenê – 5 jogos disputados (5 como titular) – nenhum gol marcado
Jorge Henrique – 4 jogos disputados (4 como titular) – 1 gol marcado

VOLTA DE EMPRÉSTIMO


Éder Luís – 2 jogos disputados – nenhum gol marcado

Técnico Jorginho (à direita) e auxiliar-técnico Zinho (ao fundo) foram contratados para tentar salvar o Vasco do rebaixamento. Será que eles farão esse milagre? Atacante Gilberto (à direita) ainda é o artilheiro do Vasco na temporada 2015, com nove gols (Foto: Paulo Fernandes/Vasco.com.br))

Técnico Jorginho (à direita) e auxiliar-técnico Zinho (ao fundo) foram contratados para tentar salvar o Vasco do rebaixamento. Será que eles farão esse milagre? (Foto: Paulo Fernandes/Vasco.com.br)

Hoje, o saldo de gols do Vasco no Brasileirão é de menos 27. Há quatro rodadas, o saldo do Gigante da Colina era de menos 21. Essa marca vergonhosa se destacou por ser a pior da era dos pontos corridos até a décima sexta rodada. Em outras palavras, nunca houve um time tão incompetente quanto o atual Vasco desde 2003. Até o saco de pancadas América-RN, que fez inesquecíveis 17 pontos em 38 rodadas no Brasileirão de 2007, foi superior ao Vasco no quesito saldo de gols nas 16 primeiras jornadas.

Quando o clube da Cruz de Malta foi rebaixado nas duas primeiras vezes, em 2008 e 2013, o discurso que vinha do presidente do clube na época era o mesmo que sai da boca de Eurico Miranda hoje: “O Vasco não vai cair”. Como se pôde notar, em nenhuma das duas vezes tal discurso virou realidade. Em 2008, Eurico Miranda chegou a presidir o Vasco no início daquele Brasileirão, mas depois teve seu posto ocupado por Roberto Dinamite, que viria a ser o presidente do clube também no rebaixamento de 2013.

“A grande comparação é que estou aqui (agora). O grande reforço do Vasco sou eu. Eu tenho crédito. Se eu digo que não vai cair, não vai cair. Não há hipótese de rebaixamento”, disse Eurico Miranda, há alguns dias.

Após essa entrevista cômica do atual presidente vascaíno, fica até complicado saber o que é mais patética: a campanha que o Vasco vem fazendo no Brasileirão 2015 ou essa filosofia desgastada de salvador da pátria de Eurico. Mas, uma coisa é certa: o Vasco da Gama tem mais 17 jogos para tentar evitar aquilo que seria o seu terceiro rebaixamento desde 2008.

A grande esperança para os torcedores do clube é que o time consiga se reinventar e renascer das cinzas após eliminar o arquirrival Flamengo na Copa do Brasil, para, assim, fugir da zona da degola no Brasileirão. Não será nada fácil. Alguns consideram até uma missão impossível, e se levarmos em conta a trajetória do Vasco neste Brasileirão – destacada abaixo por imagem do Footstats – fica difícil crer que o time da colina não será rebaixado neste ano:

Trajetória do Vasco até a 19ª do Brasileirão 2015

Trajetória do Vasco até a 19ª do Brasileirão 2015

 

Projetando a briga contra o rebaixamento, o pessoal do Futdados fez um cálculo nada animador para os cruzmaltinos. No cenário mais favorável, o Vasco teria de saltar do pífio aproveitamento de pontos atual de 20,63% para 52,94%:

Comentários

Jornalista esportivo. Blogueiro na Gazeta Esportiva.com e colunista no Doentes por Futebol e Sportskeeda.com. E-mail: [email protected]