E agora, Eduardo?

  • por Doentes por Futebol
  • 5 Anos atrás
Técnico se vê em mais uma encruzilhada (Foto: Marlon Costa/FPF)

Técnico se vê em mais uma encruzilhada (Foto: Marlon Costa/FPF)

Por Daniel Schvartz

Sensação. Esse é o termo com que a maioria dos comentaristas esportivos define o Sport no Campeonato Brasileiro 2015. Não é para menos. Depois de um início de temporada abaixo da média (eliminado na Copa do Nordeste e Pernambucano), os rubro-negros bancaram Eduardo Baptista e, além dos resultados positivos, reconquistaram o apoio da torcida. Das 19 rodadas, o Sport só não esteve no G-4 em cinco, sendo ainda líder em outras cinco oportunidades (1ª, 3ª, 8ª, 9ª e 10ª rodada). Mas, nem tudo são flores na trajetória do Leão. O time comandado por Eduardo é o que mais empatou no campeonato, perdendo preciosos pontos, principalmente na reta final do primeiro turno. Tropeços que custaram não só o G-4 (o time caiu para 7º) como ligaram o sinal de alerta em grande parte da torcida, já que são cinco jogos sem vitórias.

Na próxima quarta-feira (19), o Leão inicia a trajetória na Copa Sul-Americana contra o Bahia, na Arena Fonte Nova. Segundo a diretoria e o técnico Eduardo Baptista, a prioridade é o Brasileirão. Para grande parte dos torcedores, a força do Sport em matas-matas e um caminho mais curto para a Copa Libertadores proporcionam uma maior chance ao time da Ilha.

Sport é um dos melhores times brasileiros nesta edição da Sul-Americana (Foto: Marlon Costa/FPF)

Sport é um dos melhores times brasileiros nesta edição da Sul-Americana (Foto: Marlon Costa/FPF)

Bem, poderia até ser. O problema é justamente o primeiro adversário. Dos 82 jogos contra o Bahia, o Rubro-Negro pernambucano ganhou apenas 20, contra 34 vitórias do Tricolor de Aço e 28 empates. Nos últimos 10 confrontos, Sport venceu apenas um, enquanto o Bahia derrotou o Leão seis vezes. Em jogos eliminatórios, são seis vitórias dos baianos contra uma dos pernambucanos.

Na cabeça da torcida leonina, mesmo com todos os números contra, a obrigação é vencer, até pelo momento do time, que é bastante diferente das semifinais da Copa do Nordeste. Mas, qual vai ser a atitude de Eduardo para esses dois confrontos? Preservar jogadores importantes, priorizar o Brasileiro e correr o risco de mais uma eliminação para o Bahia ou colocar força máxima e tentar administrar o cansaço dos atletas para a disputa de dois campeonatos? E a torcida, será que entenderia ver o time sendo eliminado para o maior rival regional e, novamente, na segunda fase da competição?

Torcida tem receio do histórico rubro-negro contra o Bahia (Foto: Marlon Costa/FPF)

Torcida tem receio do histórico rubro-negro contra o Bahia (Foto: Marlon Costa/FPF)

São várias as perguntas e as respostas serão dadas a partir desta quarta-feira, no primeiro confronto, na Arena Fonte Nova. Até lá, a torcida Rubro-Negra se mantém receosa, com medo de que uma má atuação prejudique o time na competição continental e, por tabela, possa colocar o ano todo a perder. Ficar “em cima do muro” e aguardar o que está por vir não é uma tarefa fácil nem para os torcedores nem para Eduardo. Mas, para ele, não existe tal condição. É necessário fazer uma escolha. A pergunta é: e agora, Eduardo?

*Dados: Footstats e Futebol.com

Comentários